Reavivamento entre os Zulus

Publicado em: 01/05/2012 Categorias: Arauto / Minha Vida - Um Sacrifício Vivo

Arauto - Ano 15 - nº 03 - Jul/Set 1997

Por: Dr. Kurt E. Koch

O sinal de um reavivamento genuíno é quando milhares de pessoas se arrependem, reconhecem os seus pecados e pela fé aceitam Jesus como seu Senhor”, escreve o Dr. Kurt E. Koch. Ele conheceu pessoalmente o reavivamento entre o povo zulu na África do Sul e confirmou o relato de que milhares e milhares de almas se arrependeram e se tomaram novas criaturas em Cristo Jesus, tanto dentro da África do Sul, como fora, através de equipes do reavivamento, que saíam viajando para outros lugares. O reavivamento continuou por cerca de trinta anos a partir do derramamento inicial do Espírito Santo. Erlo Stegen, que Deus usou desde o começo do reavivamento, continua exercendo a liderança em Kwa Sizabantu, ponto central do reavivamento. O relato a seguir foi tirado do livro do Dr. Koch, “God Among The Zulus,” (Deus entre os Zulus).

Há homens na Bíblia que lutaram e se esforçaram pela bênção de Deus. Queremos mencionar aqui dois deles. Em 1 Crônicas 4.10 lemos: “Jabez invocou o Deus de Israel dizendo: Oxalá me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.”

A luta pela bênção de Deus se vê com mais intensidade em Gênesis 32 que narra a luta de Jacó em Peniel. O clamor de Jacó se tornou um alento para muitos crentes desde então: “Não te deixarei ir se me não abençoares!”

Lutando pela bênção de Deus

Erlo Stegen foi levado a lutar pela bênção de Deus. Antes do derramamento do Espírito Santo, e depois de uma campanha evangelística numa tenda missionária, ele viajava durante alguns meses para verificar como estavam aquelas pessoas que receberam aconselhamento nas reuniões.
Freqüentemente ele os encontrava em condições espirituais muito deploráveis. Haviam recaído na desunião e inimizade. Às vezes Erlo levava mais de quinze dias para colocá- los de novo em ordem.

Aqueles que não pertenciam a uma igreja eram reunidos em pequenos círculos bíblicos nas casas. Numa visita subseqüente as mesmas correções se faziam necessárias às vezes. O pastor preocupado com freqüência perguntava ao Senhor: “Isto precisa continuar assim tão sem vida e sem poder? Uma vida de altos e baixos? Nada de uma vitória depois de outra, mas sempre uma derrota depois de outra?”

A época da grande virada para o novo começo divino finalmente chegou. No outono de 1966, Erlo estava em Mapumulo. Após as amargas experiências dos anos anteriores, ele começou um estudo bíblico entre os cristãos, para ver se as suas vidas espirituais estavam de acordo com as Sagradas Escrituras. Leram juntos o livro de Atos. O lugar onde se reuniam era um velho estábulo que havia sido rebocado com esterco de vaca e cal.

Estas reuniões de estudo bíblico se transformaram em horas de auto-exame e de correção para todos os que estavam presentes – e também para o próprio Erlo. A pequena sala onde se reuniam tinha uma janela que dava para uma quadra de tênis onde os abonados do lugar se divertiam. Como as orações e os clamores dentro da sala podiam ser ouvidos lá fora, Erlo queria fechar a janela.

O Senhor o repreendeu e lhe disse: “Se for assim, Eu ficarei do lado de fora. Será que é tão desagradável para vocês que as pessoas de fora ouçam alguma coisa? Vocês parecem se preocupar muito com o que os outros pensam.”

Em outra ocasião Erlo estava andando na rua e queria fazer a barba e trocar de roupa antes de ir para aquele pequeno local de reunião. De novo ele foi repreendido no seu coração. “Com certeza ainda existe orgulho no seu coração – você se sente envergonhado de aparecer diante das pessoas com a barba por fazer!”

O Senhor exaltado iniciou um processo de purificação nos Seus filhos. Os tempos de oração se tornaram cada vez mais em horas e horas de arrependimento e lamentação pelas suas vidas impuras. Eles ficaram tão intensos que virtualmente todas as outras coisas foram esquecidas. Os que participavam daquele pequeno grupo dificilmente queriam um intervalo para comer ou para dormir. Na verdade, até o Natal foi esquecido naquela época de oração conjunta. Ali estava um grupo de vinte ou trinta pessoas que simplesmente sentiam um peso espiritual de penitência e oração.

Céus abertos!

Algumas semanas antes do derramamento do Espírito Santo, uma mulher no grupo de oração se pôs de pé e disse: “Eu simplesmente não posso mais permanecer neste estado de impotência (ou ausência de poder). Não posso orar agora?” Todos prontamente acederam ao seu desejo. Então aquela mulher, que tinha se convertido somente há três meses, perguntou ao Senhor, com um forte apelo entre lágrimas se Ele não poderia Se revelar de novo como fizera na Bíblia.

Erlo ficou completamente embevecido por esta oração. Ele contou mais tarde ao seu irmão: “Meu coração se abrasava como os daqueles dois discípulos de Emaús quando Jesus falava com eles. Creio que aquela oração foi dirigida pelo Espírito Santo, e se realmente foi assim, logo experimentaremos aquilo que aconteceu na comunidade primitiva dos cristãos.”

As impressões de Erlo se confirmaram por si mesmas. Algumas semanas depois da oração daquela mulher, aqueles que oravam juntos tiveram uma experiência indescritível. O Espírito de Deus veio sobre eles. Sentiram uma fortíssima lufada de ar e ao mesmo tempo ouviram um som. Uma grande convicção de pecado veio sobre eles enquanto oravam e ao mesmo tempo uma indizível certeza da presença de Deus. Toda a sensação de carência e de preocupação que haviam suportado até então foi jogada para trás pelo poder do Espirito Santo. Um novo caminho para o trabalho de Erlo e da sua equipe acabava de ser introduzido…

Conseqüências do Derramamento
A grande experiência espiritual em Mapumulo imediatamente começou a produzir uma rica colheita de bênçãos. Este fruto pode ser descrito peia Palavra: Lucas 9:1,2. Poder e autoridade numa tríplice forma logo se tornaram evidentes: Proclamação, Cura e Libertação.

Proclamação: O poder miraculoso do Evangelho se tomou tão largamente conhecido que pessoas tanto de perto como de longe acorreram para ouvir a Palavra. Às vezes, quando Erlo saía da casa, cerca de duzentas pessoas já estavam esperando, sem nenhum convite, simplesmente levados por uma compulsão interior para ouvir a mensagem da Bíblia.

Depois de cada reunião muitas pessoas permaneciam para aconselhamento espiritual, para confessar seus pecados e endireitar suas vidas diante de Deus. Uma coisa boa foi que Erlo desde o começo teve uma equipe de colaboradores que o amparavam e eram capazes de ajudá-lo no aconselhamento espiritual. Estas confissões e endireitamento de vidas continuam até o dia de hoje. O reavivamento que começou em 1967 ainda não enfraqueceu.

Durante minhas viagens com Erlo e sua equipe, eu mesmo fui testemunha da maneira como centenas, sim, milhares, aceitavam o Senhor Jesus. Um membro da equipe, que é comerciante por profissão, contou 3.900 pessoas que ficaram para aconselhamento durante uma campanha evangelística de nove dias. Não se trata aqui de enfocar números; os anjos e o Senhor se alegram com o arrependimento de um só pecador. Os números simplesmente mostram como o Senhor opera poderosamente neste reavivamento…

Cura: Em Nqutu Maposwane duas mulheres doentes moravam lado a lado. Uma delas tinha sofrido por muito tempo uma dor interna muito forte. Tanto para a retirarem da sua casa como para retorná-la era necessário usar um carro. Ela ouviu a Palavra de Deus e abriu o seu coração para o Senhor Jesus. Pouco tempo depois Martin Stegen levou esta mulher doente para um culto em Tugela Ferry. Erlo orou por ela e ela foi imediatamente liberta da sua dor.

A sua cura instantânea encorajou a sua vizinha a pedir oração. Ela estava completamente paralizada e não podia cuidar das suas seis crianças. Ela pediu se algum membro da equipe podia vir e orar por ela.

Como Erlo estava pregando na área de Kranskop, Martin se ofereceu para levar até lá a mulher paralítica. A inválida foi levada para a carroceria aberta de um caminhão num couro de vaca. Ela não pôde nem segurar o lenço da sua cabeça. O vento o levou embora. Tiveram que dar marcha a ré e recolher o lenço.

O caminhão chegou no culto ao ar livre na hora em que estava começando. A mulher paralítica foi colocada num lugar apropriado no meio da multidão. Ela ouviu a mensagem e ficou depois para receber aconselhamento. Uma mulher da equipe falou com ela e então toda a equipe orou pela sua cura. A mulher paralítica se pôs de pé e foi caminhando de volta para o veículo.

Ainda estava escuro quando o caminhão chegou na sua cidade. A família se preparou para carregá-la de volta para casa. A mulher curada desceu do caminhão sem ajuda de ninguém e caminhou para lá e para cá iluminada pelos faróis do caminhão. Ninguém disse uma palavra. Finalmente uma pessoa falou: “Veja, Deus realmente existe!”

Libertação: No começo Erlo não tinha nenhuma experiência prévia em aconselhamento de pessoas que estivessem possuídas por um espírito maligno.
Logo após o derramamento do Espírito em Mapumulo, uma macumbeira pediu ajuda espiritual. Esta mulher tinha a sua própria escola para formação de novas feiticeiras. Ela também possuía poderes mediúnicos.
Quando ela veio e pediu ajuda, Erlo chamou cinco dos seus colaboradores para a sua sala. Todos se sentaram num círculo, oraram e cantaram o hino: “My Jesus lives, why should I be afraid?”(Meu Jesus vive, por que temerei?). Enquanto cantavam o hino a feiticeira se levantou e foi para o centro do círculo. Logo em seguida ela caiu sobre suas mãos e joelhos. Seu rosto assumiu o aspecto de um animal feroz. Isto é o que os espíritas chamam de transfiguração, mudança de rosto.

Quando aqueles seis homens e mulheres crentes viram a expressão demoníaca no rosto da mulher, o medo apertou os seus corações. Um dos obreiros se levantou com a intenção de sair. Entretanto Erlo gritou: “Jesus é o vencedor! Não se vá embora!”

A macumbeira veio de um lugar onde não se falava inglês. Portanto ela não sabia inglês. Enquanto continuaram orando por ela, subitamente ela começou falar um inglês excelente. Em seguida ouviram sons de vários animais saindo dela. No começo foi o latido de cães e depois o ronco dos porcos. Erlo deu ordem àquelas potestades que deixassem a mulher em nome de Jesus. Zombeteiramente as vozes declaravam: “Não sairemos. Nenhum poder pode nos mandar embora.”

Erlo repetiu a ordem em nome da Trindade. Depois destas orações subseqüentes as potestades declararam: “Conhecemos o Deus Pai e conhecemos o Deus Filho, mas não tínhamos encontrado o Espírito Santo até agora. Agora que Ele veio e por causa da Trindade nós estamos em brasas. Temos que limpar a área.”

A expressão do rosto da macumbeira mudou imediatamente. Seu rosto começou a brilhar com alegria e ela exclamou: “Que maravilha! Estou completamente livre!”

As potestades do mal nunca mais voltaram. Depois disto, muitas feiticeiras que ouviram como Jesus é vitorioso, vieram para serem libertadas.

Salvação – cura – libertação. Esta foi a mensagem e a autoridade tríplice dos primeiros discípulos de Jesus. Muitos teólogos dizem que isto não é mais aplicável ao século vinte. Entretanto em cada avivamento genuíno podemos ver esta triplicidade da autoridade divina.

Extraído do livro “GodAmongthe Zulus” (Deus entre os Zulus) pelo Dr. Kurt
Koch. Copyright 1981. Usado com permissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *