Oração por uma igreja avivada 

Publicado em: 24/02/2020 Categorias: Abre bem a tua boca / Arauto

Arauto - Ano 37 - nº 03 - Set/Dez 2019

Por Andrew Murray 

Seja Deus gracioso para conosco, e nos abençoe, e faça resplandecer sobre nós o rosto; para que se conheça na terra o teu caminho e, em todas as nações, a tua salvação…  A terra deu o seu fruto, e Deus, o nosso Deus, nos abençoa. Abençoe-nos Deus, e todos os confins da terra o temerão” (Sl 67.1,2,6,7).
Ao falar e orar por avivamento, é importante que entendamos o que realmente desejamos e pedimos. Para a maioria dos cristãos, a palavra significa um aumento expressivo no número de conversões. Quando isso acontece, eles dizem: “Está havendo um avivamento naquela igreja (ou cidade)”.

O verdadeiro significado da palavra é muito mais profundo. A palavra significa trazer à vida aqueles que antes estavam vivos, mas que caíram no que é chamado de estado frio ou morto. São cristãos e têm vida, mas precisam de um reavivamento para retornar ao seu primeiro amor e ao crescimento espiritual saudável para a qual a conversão era apenas a porta de entrada. Quando a igreja como um todo, seus ministros e membros, não está vivendo em plena devoção de todo o coração a Cristo e seu serviço, nem está andando na alegria do Senhor e na separação do mundo, então precisamos orar para que o povo de Deus possa realmente ser reavivado e restaurado plenamente ao poder e à vida de Deus.

O que o mundo precisa acima de tudo não é de mais homens e mulheres cristãos do tipo comum, mas de pessoas acima da média. Precisamos de cristãos que sejam mais fortes na fé e mais santificados na vida, intensamente dedicados a Cristo e a seu serviço e prontos para sacrificar tudo pela salvação daqueles que estão perdidos. Quando o Espírito de Deus for derramado sobre a igreja, e homens e mulheres que agora estão lutando no meio de fraqueza e apatia estiverem revestidos com vestes de louvor e o poder do Espírito, o mundo em pouco tempo participará das mesmas bênçãos.

Esses crentes avivados estarão prontos para se entregar à obra de Deus, seja em casa ou pelo mundo afora, e suas palavras e testemunhos terão poder. Os cristãos comuns serão impactados pelo poder do exemplo dos avivados e confessarão que Deus está com eles. E o mundo, ao ser tocado pelo número maior e pelo fervor ardente dos mensageiros de uma igreja vivificada, participará da mesma vida abundante. Um avivamento entre os crentes é a grande necessidade de nossos dias. Uma igreja avivada é a única esperança de um mundo que está num estado cada vez mais degenerado e sem vida.

Capacitados pelo Espírito Santo

À igreja foi delegada a responsabilidade do mundo. Todo o corpo de crentes e todo crente individual deve ser como Cristo, a luz do mundo, cujo objetivo definido e exclusivo é iluminar suas trevas e assim trazer homens e mulheres das trevas para a luz.

Para fazer seu trabalho, a igreja tem a promessa do poder do Espírito Santo de Deus. Esse Espírito é dado a todo crente para que tenha no seu interior o poder de uma vida divina e santificada. Esse Espírito deve ser para ele o selo de sua adoração e aceitação, a fonte de amor e alegria, a graça para vencer o pecado e o mundo, o poder de fazer tudo o que Deus deseja que façamos.

Esse Espírito deve iluminar, guiar e liderar, a fim de santificar e qualificá-lo para comunhão ininterrupta com um Deus santo, e revelar Cristo como o Filho de Deus Pai dentro do coração. É uma fonte jorrando do interior e fluindo como correntes de águas vivas. Trabalhando assim na experiência pessoal, ele equipa o cristão para testemunhar corajosamente sobre o poder de Deus e comunicar aos outros os acontecimentos de sua própria vida. Sem o poder do Espírito Santo totalmente reconhecido e agindo na experiência diária, a igreja não é capaz de conhecer ou cumprir seu chamado.

Os cristãos vivem tanto em função deste mundo presente e sob seu poder que o espírito de materialismo se apodera deles, entristecendo e apagando o Espírito de Deus. Perdem o poder de vencer o pecado ou viver uma vida mais santa. Perdem qualquer desejo intenso de viver para Deus e seu reino. Perdem o amor divino que os capacitaria a viver em favor de seus vizinhos ou de influenciá-los.

A religião deles se torna uma religião da mente e não do coração. Eles se dispõem a ouvir belas palavras sobre o cristianismo e consideram as impressões agradáveis que tais palavras causam como sentimento espiritual. Enquanto isso, o tempo todo estão extinguindo a vida que há neles, levando-os a impotência e morte. Este é o estado em que multidões de cristãos vivem, tornando a si mesmos e suas igrejas impotentes para praticar o bem ou para levar bênção aos outros.

Somente um avivamento é capaz de elevar a igreja desse estado deplorável e restaurá-la à sua verdadeira vida, de acordo com o padrão divino.

Preparando o caminho para o avivamento

Um verdadeiro avivamento significa nada menos que uma revolução, capaz de expulsar o espírito de materialismo e egoísmo, levando Deus e o seu amor a triunfar tanto no coração, quanto na vida. Assim como todo nascimento só vem por meio de dores de parto e angústias, da mesma forma a entrada de nova vida e poder divinos na igreja forçosamente é precedida e acompanhada por dores de convicção e confissão, por intermédio de sinceras buscas de coração e de um processo em que o pecado é revelado causando vergonha e arrependimento.

Em tal obra de graça, muitos aprenderão quão pouca autenticidade ou poder houve em sua conversão ou vida espiritual. Verão coisas que antes toleravam como pecados vis que somente o sangue de Cristo pode lavar e somente o poder de Cristo pode vencer. Verão que agora, pela primeira vez, eles realmente conhecem o poder da graça, o deleite do amor de Deus e a alegria de um coração entregue a seu serviço. E realizar algo para Cristo será o fruto espontâneo do Espírito de Deus sobre suas vidas.

Sobre aqueles que acreditam que um avivamento é necessário e possível repousa a solene responsabilidade de preparar o caminho do Senhor, falando com Deus e com os homens a respeito disso. A Deus, falamos sobre isso por intermédio da oração, pedindo que ele abra nossos próprios olhos e corações, e os da igreja, para perceber o que ele pensa e declara sobre a nossa vida espiritual.

Devemos confessar nosso próprio pecado e o pecado de nossos irmãos. Devemos nos oferecer para ficar na brecha e para tomar posse da força de Deus. Pedimos ao Espírito que nos dê a consciência de ser intercessores, a fim de que, com terno amor e, ainda, com santo zelo e verdade, falemos com Deus sobre o estado em que sua igreja está. Não no espírito de julgamento ou autoexaltação, mas com profunda humildade e espírito de sacrifício pessoal, que possamos pedir a Deus que nos mostre se é verdade o que pensamos enxergar: que o espírito de vontade própria e do mundo está roubando da igreja o poder de continuar a obra que Cristo começou. Devemos pedir a Deus para nos revelar se e como a libertação pode acontecer.

É dessa forma que nos preparamos para erguer nosso testemunho e falar aos nossos irmãos. Pode não acontecer de maneira imediata: o fogo pode queimar por muito tempo em nossos ossos. Pode não ser para grandes audiências ou com qualquer resultado definido. Mas se nosso testemunho aos homens for fruto de intensa comunicação com Deus, de esperar realmente nele por avivamento, haverá fruto. Conforme um indivíduo aqui e outro ali – pois esse é geralmente o jeito que Deus age – começa a ver qual é a real vontade de Deus em relação à sua igreja, qual a causa de seu fracasso, onde está o caminho da restauração e qual a certeza de uma visitação da sua graça, a oração deles se tornará mais urgente e cheia de fé, e as bênçãos começarão a chegar.

Fé em Deus por avivamento

Tudo isso deve levar à fé convicta de que uma igreja avivada é uma possibilidade, uma promessa e uma certeza. Como acontece em relação ao indivíduo e suas necessidades, o mesmo é válido com a igreja e com a poderosa mudança que precisa ser efetuada nela: a incredulidade é o grande obstáculo. E a fé só pode triunfar onde ela se origina, não na sabedoria dos homens nem na esperança de gerar avivamento a partir das agências que estão atuando ou do progresso visível, mas do poder de Deus e de sua intervenção direta. A fé eleva os olhos e adora o Deus da absoluta onipotência e do infinito amor. Deus pode, Deus quer – estas são suas forças fundamentais, à sua mão direita e à esquerda.

Sim, Deus é capaz! Precisa apenas de um ato de sua vontade para que seu Espírito Santo, o incomparável poder de Deus que age na igreja, comece a dar nova vida a todos que anseiam recebê-lo. Ele pode gerar convicção de pecado naqueles que descansam satisfeitos em prosperidade externa e em obras humanas. Ele pode dar a alegria do Espírito Santo, primeiro em igrejas individuais e depois em segmentos maiores. Ele pode despertar seu povo, como se estivesse adormecido, para que consiga ver, reconhecer e se alegrar por serem de fato a verdadeira esperança de um mundo em decadência total.

E Deus está pronto! À medida que o sol derrama sua luz e calor sobre cada pequena flor para dar-lhe crescimento e beleza, o amor de Deus espera e anseia por se derramar em corações que desejem alcançar a sua presença. Às vezes pode parecer que ele espera muito e atrasa sua vinda. Mas tenhamos certeza disso: ele não espera um momento sequer além do necessário. Podemos depender disso, com a máxima confiança de que se seus filhos se unirem em oração por uma igreja avivada como a única esperança de um mundo à beira do abismo, ele ouvirá a oração.

À medida que as palavras solenes: “uma igreja avivada, a única esperança para um mundo à beira do abismo” se tornam um encargo solene, gravadas com chamas vivas no coração, a oração e a intercessão se transformarão numa verdadeira transação com Deus. Nossa total impotência terá que se apegar ao seu poder infinito. Todo o nosso ser precisa ser dominado pelo pensamento de que não há nada que valha a pena como o sentido da vida senão a vontade de Deus de levar salvação a todos os homens.

– Adaptado de Avivamento por Andrew Murray.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *