Minha Vida – Um Sacrifício Vivo

Publicado em: 01/05/2012 Categorias: Arauto / Minha Vida - Um Sacrifício Vivo

Arauto - Ano 15 - nº 03 - Jul/Set 1997

Por: Wesley L. Duewel

Um dos meios que Deus usa freqüentemente para avaliar as nossas vidas é o sacrifício. Avalie a sua vida pelo sacrifício. Mas tenha muito cuidado ao avaliar o sacrifício dos outros. O sacrifício começa nos recônditos escondidos do coração, onde só Deus pode ver. É verdade que terá de se manifestar visivelmente em muitos aspectos da sua vida, mas também é a coisa mais fácil de ser mal interpretada. Os sacrifícios mais profundos não se constituem das coisas mais óbvias aos olhos humanos. Meça o seu próprio sacrifício, mas deixe que Deus meça o sacrifício dos outros.

Paulo exorta que o sacrifício vivo seja parte integrante do nosso estilo de vida espiritual. A ilustração que ele usa a respeito do sacrifício é mais facilmente compreensível para um judeu da sua época do que para nós hoje em dia. Todo judeu já presenciara a apresentação do sacrifício no templo. Ele sabia que significava a morte para o animal que fora totalmente dedicado com o objetivo de ser oferecido em morte como um sacrifício.

Agora devemos apresentar os nossos corpos (sem dúvida incluindo nossa totalidade) como um sacrifício vivo. É para nós nos comprometermos com Deus para uma vida para Ele como a oferta de um animal sacrificial era comprometida para a morte. A diferença está no fato de que nós nos oferecemos voluntariamente, ao passo que o animal era oferecido por outro e colocado no lugar do ofertante.

“… rogo-vos, pois… pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos por sacrifícío vivo, santo e agradável a Deus – que é o vosso culto racional.” (Rom 12:1) Note a riqueza de significado neste versículo:

1. Você é um devedor para com Deus pela Sua misericórdia em providenciar a salvação cujo preço foi a morte do Seu Filho Jesus Cristo. Você deve também por uma multidão de outras misericórdias subseqüentes. É à luz desta tremenda dívida que você faz um compromisso de amor com Deus – um compromisso que é um sacrifício, um compromisso que não olha para o preço.

2. O seu compromisso deve ser voluntário. Você se oferece livremente, por causa de tudo o que Deus fez por você através de Cristo Jesus.

3. O seu compromisso é motivado pelo amor por causa da misericórdia de Deus. O amor tem prazer em se sacrificar em favor do seu Amado.

4. O seu compromisso deve ser como uma oferta queimada inteiramente (holocausto), santa e completa – totalmente dedicada e consagrada a Deus. O que você deve a Deus é nada menos do que tudo que você é.

5. O seu compromisso e a sua vida prática como fruto do seu amor, é o seu culto ou adoração espiritual. A palavra “espiritual” também pode ser traduzida por “racional”, e contém o significado de ambas as palavras. Racionalmente, intelectualmente, você não pode dar menos do que o seu todo, tendo em vista que Cristo se deu a Si mesmo por você. Adorar é amar a Deus desta maneira, fazer um compromisso total de você mesmo e de tudo o que é seu.

6. A palavra “oferecer” ou “apresentar” no grego significa uma ação decisiva, momentânea, mas com um resultado permanente. Isto não é uma consagração experimental de si mesmo. É uma ação que é intencionalmente definitiva e final, e que determina o seu estilo de vida espiritual a partir de então. Você não vai se sacrificar continuamente, mas vai viver com uma atitude de permanente compromisso, pronto para fazer um sacrifício pessoal quando o Espírito Santo assim o indicar. É um compromisso positivo, dinâmico.

Esta atitude de compromisso sacrificial total tem aplicações práticas de várias maneiras. Pode significar a doação em serviço de si mesmo, de sua família, seu tempo, suas finanças. É uma atitude de auto negação. É tomar a sua cruz. Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e me siga.” (Lucas 9:23).

Auto negação, outra palavra para sacrifício, é uma parte do discipulado cristão. O discípulo deve estar pronto para seguir seja qual for o custo.

Tomar a cruz tinha somente um significado nos tempos do Novo Testamento. A cruz era o instrumento de execução, e a pessoa a ser executada tinha de carregá-la. Não era nem enfeite nem símbolo romântico. Tomar cada um a sua cruz significava ser encaminhado para a execução. Jesus estava dizendo: “Ser meu discípulo significa estar disposto a morrer por mim.”

Observe também que a cruz não é colocada nos seus ombros. Você é que deve voluntariamente tomá-la e colocá-la sobre si. Isto não se aplica à doença. Você não escolhe ficar doente. Não se refere a uma ação que você é obrigado a praticar. Você precisa escolher se abaixar, voluntariamente colocar a sua cruz sobre os seus ombros, e seguir a Jesus, diariamente – mesmo que isto tenha um preço pessoal muito grande para você, mesmo que isto signifique arriscar a sua vida por Jesus.

Hoje em dia muitos cristãos têm uma compreensão muito barata do que significa ser um discípulo. Na média, atualmente, o estilo de vida cristão não custa quase nada. Jesus quer seguidores que estejam dispostos a voluntariamente pagar o preço, que estejam dispostos a sofrer, se necessário, por Ele. Este é um compromisso santo que Ele quer que caracterize o seu estilo de vida espiritual.

Avalie a sua vida pela sua disposição em negar-se por amor de Jesus. Esteja alerta, descobrindo oportunidades para obedecer e glorificar a Deus mesmo quando isto seja pessoalmente caro para você. Avalie a sua vida pelo seu compromisso diário de amar, seja qual for o preço. Avalie o seu amor por Jesus pela sua disposição em sofrer por Ele, se o Espírito o levar a isto, e se for necessário para a causa de Deus e a glória de Deus.

Avalie a sua vida pelo número de vezes em que você deliberadamente escolheu abaixar-se para tomar a cruz que estava diante de si ou aquela que você tinha capacidade de pegar, e para carregá- la por amor de Jesus. Avalie a sua vida pela sua atitude de vigilância para encontrar oportunidades de sacrificar por Jesus.

As suas finanças e coisas materiais podem ou não ser envolvidas no sacrifício. O seu compromisso financeiro é importante para Cristo. Ele se preocupa com a sua liberalidade em doar. Quando estava em Jerusalém, Ele observou as ofertas que o povo dava para a causa de Deus (Marcos 12:41). Ele ensinou que o dízimo devia ser mantido, mas também que fosse acompanhado por um espírito sacrificial e por retidão de vida. (Mt 23:23)…

Avalie a sua vida pela sua disposição de se privar dos luxos e confortos a fim de ter mais para contribuir para a extensão do reino de Cristo. Esta é uma área na qual você deve ter muito cuidado na sua avaliação. O que é luxo para mim pode ser uma necessidade para você no lugar onde você mora ou no trabalho que tem que realizar. O que é um luxo para uma pessoa sadia pode ser uma necessidade para alguém doente ou fraco.

Aquilo que é um luxo para um pai pode ser uma necessidade para um filho. Não tente avaliar a auto negação dos outros. Avalie somente a sua.

Na próxima vez que você tiver que gastar dinheiro para suas roupas, seus enfeites, sua casa, pergunte a Deus se Ele tem uma sugestão diferente para você. Na Bíblia a simplicidade está sempre associada à piedade. Muitas coisas podem não ser pecaminosas, entretanto podem impedir que tenhamos um espírito sacrificial. Pureza, sinceridade, atratividade com simplicidade, fortalecem nosso testemunho de Deus. Mas será que há alguma coisa relacionada com a sua aparência pessoal, seu lar, seus hábitos, ou sua recreação, a respeito da qual Deus gostaria de sussurrar algo para você? Não tenha certeza antes de falar com Ele. Avalie a sua vida pelo seu estilo de vida sacrificial…

Avalie a sua vida pelo seu uso sacrificial do tempo. O tempo é aquilo que se gasta mais extravagantemente. Pode-se avaliar onde está o seu coração pelas coisas às quais você dedica tempo. A maioria das pessoas encontra tempo para fazer aquilo que realmente querem fazer. Se você quer orar de verdade, passará a dedicar menos tempo em conversações sociais ocasionais, vai jejuar uma refeição e usar este tempo para oração, vai levantar-se mais cedo, ou vai sacrificar tempo de qualquer outra coisa.

Se você realmente quer estudar a Palavra de Deus, dedicará menos tempo à leitura do jornal ou tirará o tempo de alguma outra coisa. Está disposto a sacrificar o tempo e ler cinco capítulos por dia, para poder tranquilamente completar a leitura da Bíblia do Gênesis ao Apocalipse em um ano? Para fazer aquilo que realmente lhe dá prazer, não lhe será um sacrifício separar tempo.

Você pode avaliar muitas outras formas de sacrifícios por amor de Jesus. Talvez você tenha de sacrificar a amizade de alguém a fim de obedecer à chamada de Deus. Você pode sacrificar a convivência com a sua própria família a fim de servir a Deus num lugar distante. Você pode sacrificar o descanso a fim de testemunhar para alguém, ou levantar-se mais cedo a fim de poder orar à vontade pela sua igreja. Você pode sacrificar a boa vontade de uma pessoa, a fim de ser fiel na exortação a respeito do pecado dela.

Você pode sacrificar as suas chances de promoção a fim de se manter fiel ao que é correto diante de Deus. Você pode sacrificar os seus próprios planos a fim de fazer a vontade de Deus. Você pode sacrificar um salário elevado para se manter fiel à chamada de Deus. Você pode sacrificar o tempo de algum tipo de recreação e lazer a fim de colocar Cristo e o Seu reino em primeiro lugar. Cada escolha traz consigo uma oportunidade para sacrifício, e a escolha que você fizer servirá como uma medida para avaliar a sua vida.

Avalie a sua vida pelo número de vezes que você se nega a si mesmo para agradar a Deus. Avalie a sua vida pela extensão em que você constantemente cede a sua própria vontade para fazer a vontade de Deus. Avalie a sua vida pela intensidade da alegria que sente ao negar a si mesmo para sacrificar para Deus. Afinal, sacrificar-se ou negar-se quando se está apaixonado não é obrigação – é prazer. O sacrifício é uma característica do seu estilo de vida? É um hábito ceder à vontade de Deus? Colocar os interesses de Deus à frente dos seus próprios interesses, e a vontade de Deus à frente da sua própria vontade, é uma escolha tão freqüente que toda a sua vida se transformou num sacrifício vivo para Deus?

Esta é a avaliação de uma vida que é preciosa aos olhos de Deus.

Avalie a sua vida, não pelo quanto você recebe, mas pelo quanto você dá. Avalie a sua vida pela extensão em que você põe Deus em primeiro lugar, os outros em segundo, e você mesmo por último. Avalie a sua vida pela extensão do seu sacrifício em colocar o reino de Cristo em primeiro lugar (Mt 6:33), e pela alegria com que você se nega a si mesmo por amor de Jesus. Avalie a sua vida pelo sacrifício de amor.

Extraído do livro “Measure your Life” por Wesley L. DueweL Reimpresso com permissão da Duewel Literature Trust, Inc. Greenwood, Indiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *