Israel: Uma Parábola Profética para a Igreja

Publicado em: 20/02/2018 Categorias: 2018 / Revive Israel

Yoni Koski

Israel é, em muitos aspectos, uma parábola para a Igreja internacional: por um lado, manifestamente incompleta e deficiente, e, por outro, beneficiária da promessa divina de “plenitude”, “perfeição” e, por fim, “paz” – todas as quais derivam da mesma palavra hebraica “שלם”, a partir da qual temos a palavra bem-conhecida “shalom”.

“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1.6).

É claro que Israel e a Igreja têm visto grandes avanços com o poder e a direção do Espírito Santo, mas ainda resta muito a superar:

  1. Envolvido: Israel e a Igreja estão envolvidos com os valores e as influências de outros deuses, religiões, filosofias e valores. Tanto em Israel como em sociedades que uma vez foram majoritariamente cristãs, a influência invasiva do Islã busca agressivamente substituir os alicerces da sociedade judaico-cristã; enquanto isso, o secularismo centrado no homem e no materialismo procura empurrar Deus para um canto e, no final das contas, para fora da vida humana; enquanto a espiritualidade oriental e os vícios relacionados com drogas oferecem falsas promessas de satisfação.
  2. Ocupado”: Israel e a Igreja são, até certo ponto, ocupados por autoridades institucionais formais que não são representantes do Reino de Deus. Quer se trate de clínicas do Estado de Israel que fornecem aborto sob demanda, órgãos religiosos cujas regras negam Yeshua como Messias, territórios que “limpam etnicamente” a população judaica, ou denominações que defendem oficialmente a homossexualidade ativa ou um Deus universalista – todos já formalizaram sua oposição a uma compreensão bíblica do Reino de Deus.
  3. Muito pequeno: Nem Israel nem a Igreja são do tamanho que devem alcançar – em Gênesis 15.18, Deus prometeu a Israel toda a terra desde o lugar onde hoje é o Canal de Suez, no sul, até o rio Eufrates, no norte. Para todo o Corpo do Messias, em todo o mundo, Deus prometeu uma grande colheita no Fim dos Tempos (Amós 9.13), quando o Evangelho será pregado a todos os povos (Mateus 24.14; Apocalipse 7.9).
  4. Potencial não realizado: Tanto a Igreja como Israel ainda precisam alcançar a plenitude de influência e eficácia mundial – o Reino de Deus na terra, onde Israel será manifestamente separado para Deus (Deuteronômio 26.18-19) e a Igreja reinará (Apocalipse 20.4; Daniel 7.22).
  5. “Não entronizado”: Ainda esperamos ver a Igreja cheia do Espírito Santo globalmente e constantemente (Daniel 12.10), e Yeshua reinando em seu trono glorioso em Jerusalém (Romanos 11.26; Isaías 24.23).

O propósito de uma parábola é a instrução. Em nosso estado perdido, achamos a verdade difícil de absorver. Discernindo isso, o maior professor de todos nos deu o dom de parábolas, histórias que tocam coração e mente, e apelam à criança em todos nós.

Se Israel é uma parábola, então há muito para a Igreja aprender, enquanto o mundo observa o desenvolvimento da nação e o aquecimento da batalha pela terra prometida e especialmente pela capital, Jerusalém. Através dos olhos da fé, vemos o brotamento e agora o florescimento de Israel (Isaías 27.6) como a obra soberana de um Deus que é confiável e tem poder para cumprir sua Palavra contra todas as probabilidades e adversidades. Se Deus pode levantar Israel no meio de uma grande oposição, então ele certamente poderá levantar cada um que confia nele, apesar das piores circunstâncias.

Assim como a Igreja pode aprender de Israel, Israel também pode aprender sobre a fidelidade de Deus a partir da parábola da longa e complexa história da Igreja.

Deus é fiel e poderoso para levar cada indivíduo, cada congregação e o Corpo mundial do Messias para um lugar onde nos livraremos do envolvimento com influências erradas, superaremos a “ocupação”, alcançaremos a plenitude de “tamanho” e potencial e veremos Yeshua entronizado, no lugar onde ele deveria estar. Nossa parte é cooperar com ele sem perder o foco, a contemplação e a atenção (Salmos 27), de modo que o caminho no meio da fornalha que logo virá (Mateus 24.21) se torne um deleite e não um trauma, porque percebemos Yeshua bem pertinho, ao nosso lado (Mateus 25.1-13).

Tempo e Geografia

À medida que nos aproximamos do fim dos tempos, tempo e geografia se tornarão cada vez mais importantes.

Legendas disponíveis em: Dinamarquês, Holandês, Inglês, Francês, Alemão, Coreano, Português (BR) e Espanhol!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *