ISIS, Israel e o Islã

Publicado em: 14/12/2015 Categorias: 2015 / Revive Israel

Asher Intrater

Muitos tentam definer a recente onda de ataques terroristas como “não islâmicos”. Isso exigiria classificar a Irmandade Muçulmana, o Hamas, a Hezbollah, a Jihad Islâmica, Shabab, Boko Haram, Al Qaeda, Taliban, ISIS e os Aiatolás como “não islâmicos”. Quase todos os ataques terroristas são acompanhados por gritos de “Allah Akhbar”.

Poderia se dizer que há uma diferença entre o islamismo “moderado” e o “extremista”. Essa é uma discussão legítima. Certamente, existem linhas diferentes também dentro do cristianismo e do judaísmo. Alguns afirmam que o islamismo moderado é o “verdadeiro” e os extremistas, uma perversão; outros dizem o oposto: que os extremistas representam o islamismo “verdadeiro”, sendo os moderados, nesse caso, uma versão diluída.

Radicalização

Em todo caso, uma comunidade muçulmana moderada é necessária na maior parte das situações para que os elementos extremistas criem raízes. O padrão normalmente é:

  1. Comunidade islâmica moderada; depois
  2. Doutrinação islâmica extremista; depois
  3. Ataques terroristas.

O terrorismo deve ser precedido por uma doutrinação extremista; e esta, por uma comunidade moderada.

Alguns muçulmanos moderados se opõem ferozmente ao radicalismo islâmico. Vamos chamá-los de Adversários.

Alguns muçulmanos moderados são abertamente a favor do radicalismo islâmico: vamos chamá-los de Defensores.

Muitos moderados estão sendo usados e abusados pelo radicalismo islâmico: vamos chamá-los de Vítimas.

Todos os três tipos de moderados, os Adversários, os Defensores e as Vítimas, querendo ou não, acabarão sendo manipulados pelos radicais; a menos que sejam tomadas medidas fortes nas áreas de educação, leis e segurança.

As medidas contra o terror devem ser as mesmas para grupos de qualquer origem. Existem alguns grupos pequenos de judeus em Israel que defendem a atividade terrorista; esses devem ser tratados (e realmente são) como ilegais pelo governo israelense. Qualquer grupo que defenda o terror é criminoso. No entanto, se contabilizássemos toda a atividade terrorista de grupos budistas, hindus, cristãos e judeus nos últimos dez anos, duvido que chegaríamos em 1% do que é praticado pelos extremistas islâmicos.

A Questão

Alguns dizem que o problema dos ataques terroristas é a falta de controle de armas. Isso pode ser um fator, mas se essa fosse a raiz do problema, o ataque às Torres Gêmeas teria sido uma questão de licenciamento de pilotos; e a recente onda de ataques por faca e decapitações seriam um problema de utensílios de cozinha.

O clip de vídeo recente, mostrando as duas meninas tentando se tornar mártires-Shaheed, destaca o dilema das forças de segurança. A política é simples: um agressor deve ser morto apenas quando representar uma ameaça a outras vidas. A aplicação dessa regra pode ser complicada.

Em Israel, temos ataques terroristas todo santo dia. Na semana passada, houve um ataque a 100 metros do jardim de infância dos nossos netos; uma hora depois, teve outro no cruzamento da estrada que leva até a casa de um dos nossos filhos. As meninas no vídeo tinham, alguns momentos antes, esfaqueado um árabe inocente no pescoço. Uma delas foi morta e a outra apenas ferida antes de ser levada em custódia.

Martírio

Muitos vídeos mostram pessoas aparentemente normais, incluindo mulheres e adolescentes, puxando facas de repente e esfaqueando guardas de segurança sem nenhuma provocação imediata. O vídeo sobre as meninas mostra que elas tinham apenas uma meta: ser mártir. Em outro incidente recentemente, um terrorista matou 3 pessoas e depois foi capturado vivo. Ele chorou, porque não conseguiu ser morto como mártir. Não havia remorso pelo assassinato; apenas remorso por não ter alcançado o paraíso da Jihad.

Um tema comum por trás de toda Jihad e atividade terrorista é o ódio contra Israel. É bem possível que o ataque à Califórnia tenha sido provocado pelos argumentos de um “Judeu Messiânico” Cristão que defendia tanto sua fé em Yeshua (Jesus) como o Messias quanto seu apoio à nação de Israel. Ele foi um verdadeiro mártir.

Visão do Islamismo

Neste vídeo, Asher compartilha sobre a ligação entre as diferentes correntes do islamismo moderado e como ele tem potencial para levar ao terrorismo e Jihad islâmicos.

Para assistir em inglês: https://youtu.be/fglHMCzcvBI

Notícias da França

Neste vídeo, Youval compartilha sobre a sua viagem ministerial junto com Malek para Toulouse, França. Para assistir em inglês: https://youtu.be/iQgRHKMnAHU

Seminário de Evangelização Muçulmana

Na semana que vem, receberemos 50 líderes – tanto judeus como árabes de todo o Israel para um dia de oração, comunhão e ensino sobre como alcançar o mundo muçulmano com o evangelho. Por favor, ore para que esse seminário seja bem-sucedido, por segurança e para que relacionamentos mais profundos sejam desenvolvidos.

Nova Clínica Odontológica Messiânica

Esta semana, o Projeto HaTikva, sob a direção de Evan Levine, inaugurou uma nova clínica odontológica messiânica no centro de Jerusalém. Essa clínica messiânica, que recebeu o apoio do governo, atenderá as necessidades dos israelenses locais com um custo subsidiado, tudo no nome de Yeshua. Todos os cidadãos israelenses são bem-vindos e há uma ênfase especial em relação a servir os sobreviventes do Holocausto. Evan acredita que o Corpo Messiânico é chamado e capacitado para liderar em muitas áreas em Israel, incluindo a de cuidados médicos. Para saber mais ou se tornar um parceiro deste ministério, por favor, acesse www.hatikvaproject.org

Orando por Paz em Jerusalém

Qual é o fator motivador para orar pela paz de Jerusalém? É mais do que simplesmente receber uma bênção quando abençoamos Israel? Nesta mensagem, Cody Archer ensina sobre a visão do reino vindouro, a visão que motivará você a orar pela paz de Jerusalém.

Para assistir em inglês: https://soundcloud.com/revive-israel-media/praying-for-the-peace-of-jerusalem-cody-archer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *