Davi Ungido Três Vezes

Publicado em: 23/07/2022 Categorias: 2022 / Revive Israel

No dia 27/08, o TJCII Brasil estará fazendo um Webinar internacional, com o tema Rumo ao Novo Homem e ficaremos honrados com sua participação. CLIQUE AQUI e inscreva-se!

Gratuito com transmissão pelo zoom.


Asher Intrater

Você sabia que o Rei Davi foi ungido com óleo três vezes para ser rei?

A primeira vez foi pelo profeta Samuel no meio de sua família, com Jessé (Yishai) seu pai, e todos os seus irmãos:
1 Samuel 16.13

Samuel apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e, a partir daquele dia, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para Ramá.

A segunda vez foi pelos anciãos de Judá em Hebrom, logo após a morte do rei Saul:
2 Samuel 2.4

Então, vieram os homens de Judá (Yehudah) e ungiram ali Davi rei sobre a casa de Judá.

A terceira vez foi por toda a nação de Israel, tanto Judá como Israel juntos:
1 Crônicas 11.3 (2 Samuel 5.3)

Assim, pois, todos os anciãos de Israel vieram ter com o rei em Hebrom; e Davi fez com eles aliança em Hebrom, perante o Senhor. Ungiram Davi rei sobre Israel, segundo a palavra do Senhor por intermédio de Samuel.

Logo após esta terceira unção como rei, Davi e o exército subiram e conquistaram Jerusalém.

Davi reinou por aproximadamente sete anos em Hebrom sobre Judá e depois 33 anos em Jerusalém sobre todo Judá e Israel juntos.

Há sucessões nesta série de três unções crescentes. A primeira sucessão tem a ver com o grupo de pessoas envolvido:

  1. Família
  2. Tribo
  3. Nação

A segunda sucessão tem a ver com quem o ungiu:

  1. Samuel, o profeta;
  2. Anciãos de Judá;
  3. Anciãos de Judá e Israel.

E a terceira sucessão tem a ver com localização:

  1. Belém
  2. Hebrom
  3. Jerusalém.

A segunda e a terceira unção foram vistas como uma continuação e extensão da primeira unção de Samuel. Foi a mesma unção que passou por estágios de expansão em períodos de tempo consecutivos.

A expansão da unção também significou uma expansão da autoridade. O território ou esferas de sua realeza cresciam a cada estágio.

Houve diferentes batalhas e desafios espirituais com cada nova unção. Após a primeira, Davi matou Golias; depois teve de lidar com o ciúme de Saul. Havia sobre ele um poder sobrenatural de vitória e proteção. A sua família foi atacada pelos amalequitas, e ele resgatou-os em Ziclague.

Após a segunda unção, Davi teve de travar uma longa guerra com os exércitos que tinham seguido Saul; houve ciúmes das 10 tribos de Israel em relação à liderança da tribo de Judá. Além disso, houve violência dentro do exército de Judá, liderado por Joabe. (David disse que era “ungido”, mas muito brando e fraco para lidar com a dureza de Joabe – 2 Samuel 3.39).

No terceiro estágio, Davi era rei sobre toda a nação, o que trouxe grande glória, prosperidade e adoração central em Jerusalém. No entanto, também trouxe diferentes tipos de desafios. Houve luta interna dentro da família real; guerras com outras nações; adultério e corrupção.

O mesmo processo histórico continuou sucessivamente depois de Davi. O seu filho Salomão reinou sobre todo o Israel. Ele construiu o Templo e expandiu o reino ao seu maior domínio territorial. No entanto, continuaram as lutas internas, o pecado sexual, o orgulho e o ciúme, a corrupção política e financeira.

No tempo do filho de Salomão, Roboão, a nação se dividiu novamente em Judá, no Sul, ao redor dos descendentes de Davi, e Israel, no Norte, com as outras 10 tribos. A história de Judá e Israel teve momentos de glória, vitória e avivamento; e também teve momentos de divisão, pecado e derrota.

Embora os profetas chamassem o povo ao arrependimento, finalmente Israel foi destruído e exilado em 722 a.C. pela Assíria; então Judá foi destruído e exilado em 586 a.C. pela Babilônia. Ezequiel orou e profetizou que um dia os dois “ramos” de Judá e Israel seriam unidos novamente (Ezequiel 37).

O Grande Rei Ainda por Vir

Os profetas também começaram a descrever visões de um rei maior que estava ainda por vir. Ele seria filho de Davi, mas ao mesmo tempo divino. O seu reino seria baseado no reino israelita, mas também seria celestial e eterno. Essas profecias, intensificadas pelos desastres do exílio, cultivaram uma expectativa cada vez maior pela vinda do Messias e do reino messiânico. A própria palavra Messias (Mashiach) significa ungido.

Foi essa esperança da vinda do Rei Ungido que abriu o caminho para o nascimento do Messias Yeshua, conforme descrito nos evangelhos. Ele era filho de Davi e filho de Deus: Davídico e Divino.

Yeshua recebeu a mesma unção real que Davi recebeu, mas em uma expansão ainda maior de autoridade. A sua autoridade se estendia não apenas a Judá e Israel, mas também aos novos crentes que o seguiriam em todas as nações do mundo. A Ecclesia pode ser vista como mais uma expansão do reino dado a Davi: Família, depois Tribo, Nação, Ecclesia Internacional.

A autoridade de Yeshua também uniu céu à terra. Ele nasceu na terra e ascendeu ao céu. Ele une a Jerusalém terrena com a Jerusalém celestial. Um dia em breve Ele retornará para finalizar essa unidade. A sua unção e autoridade régias unificarão o céu e a terra; Israel e as nações.

A unção que veio sobre Davi foi essencialmente a unção do próprio Messias Yeshua. Todos os que creem nele têm acesso a qualquer momento à mesma unção pelo Espírito Santo e à mesma autoridade pelo nome de Yeshua.

Davi foi ungido três vezes. A unção e autoridade real continuaram a crescer e se expandir ao longo do tempo em diferentes estágios. Como seguidores de Yeshua, vamos andar nessa mesma unção que agora é passada para nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.