A Palavra Que Julga

Publicado em: 11/03/2014 Categorias: Arauto / Começai pelo meu Santuário

Arauto - Ano 31 - nº 03 - Ago/Nov 2013

  Horatius Bonar

Haverá um dia final. Este mundo não continuará em seu ritmo normal para sempre. Haverá uma interrupção, um rompimento. Deus intervirá finalmente. Ele falará e não mais se calará.

É o dia de Deus que está chegando. “Ele estabeleceu um dia” (At 17.31). Não será o “ultimo” dia, num certo sentido, pois não existe um último dia nem para justos, nem para ímpios. Porém, em relação ao estado atual, à ordem presente de coisas e eventos, haverá um último dia, um encerramento, uma prestação de contas. O grande rio do mundo chegará afinal ao mar.

Aquele dia será de julgamento. Os casos deste mundo, há longo tempo sem solução final, serão nesse dia encerrados. Os enigmas e mistérios do tempo serão todos esclarecidos. Todas as injustiças, que ficaram sem julgamento, serão acertadas. Os oprimidos serão vindicados; o triunfo dos ímpios cessará; o malfeitor será envergonhado.

Ninguém mais chamará o bem de mal ou o mal de bem; tampouco colocarão luz no lugar de trevas, ou trevas no lugar de luz. Nada de fraude, de áreas cinzentas, de zombaria, desonestidade ou hipocrisia. Tudo será transparência, luz, verdade, justiça. O julgamento será justo; a maldade será desfeita; o bem será estabelecido e aperfeiçoado; não haverá acepção de pessoas, temor dos homens, propina nem influência corrupta. O Juiz é justo, e suas sentenças serão tão justas quanto ele próprio.

A Palavra de Cristo nos julgará. Não é que essa Palavra superará o Juiz, mas é dela que virá o teste, a base do julgamento. Por essa Palavra, portanto, julguemos a nós mesmos agora, para que não sejamos condenados por ela naquele grande dia. É uma Palavra viva e poderosa, assim como aquele que a proferiu. Vamos aplicá-la, desde agora.

Lembre-se: é com uma Palavra que julga, testa e discerne que você está lidando. É mais afiada que uma espada de dois gumes. Não permitirá que se brinque com ela. Ela traz seu próprio juízo, sua própria vingança dentro de si mesma. Exige aceitação imediata e promete, quando aceita, perdão imediato e salvação eterna.

Aquele que recebe a Palavra do Amém, da fiel e verdadeira Testemunha, será salvo. Não existe “se” nem “talvez”; É uma certeza presente, sem qualquer sombra de dúvida. Nessa Palavra, há vida, paz, perdão, reconciliação; sim, aquele que crê será salvo; mas quem não crê será condenado.

Extraído de uma publicação: Light and Truth; or Bible Thoughts and Themes. The Gospels (Luz e Verdade; ou Pensamentos e Temas Bíblicos. Os Evangelhos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *