Uma Busca por Unidade

Publicado em: 05/07/2015 Categorias: 2015 / Revive Israel

Dan Juster

A oração de Yeshua de João 17 prevê uma unidade entre os cristãos semelhante à unidade que ele tem no seu relacionamento com o Pai. “A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17.21). Também podemos ver que a unidade dos seguidores de Yeshua é uma chave para a redenção do mundo.

A sua oração exige que acreditemos que isso acontecerá. Como podemos trabalhar pela unidade? Primeiro, em nossas próprias congregações, devemos orar pela unidade e lutar contra os espíritos maus que nos atacam e trazem divisão, fofoca e muitas outras coisas. Além disso, devemos apoiar a visão e direção dos líderes sempre que estiverem de acordo com as Escrituras. No que excede os limites da congregação local, essa unidade será expressa ao orarmos pela unidade de líderes e congregações em nossas cidades, países e regiões. Isso significa que líderes congregacionais se aproximarão uns dos outros para orarem e atuarem num ministério cooperativo. E, também, isso quer dizer que oraremos por uma liderança reconhecida com o chamado de Deus para liderar a unidade das congregações na cidade. Eles terão um papel governamental.

Níveis de Unidade

A unidade é expressa em muitos níveis. Uma família em verdadeira unidade tem um poder tremendo como uma força a favor do Reino. Um presbitério em unidade também tem um enorme poder. Uma congregação inteira tem ainda mais poder. Uma rede apostólica de congregações tem ainda mais poder. Quando as congregações numa região estão em unidade, elas têm o poder de deter os príncipes das trevas sobre um território. Nessa unidade, grande poder será liberado para salvação em cada região.

Sabemos que quando irmãos vivem juntos em união, Deus ordena uma bênção (Salmo 133). A unidade vem através do amor que flui sobrenaturalmente do nosso relacionamento com Yeshua. A oração de Yeshua tem o objetivo, no fim das contas, de vincular os verdadeiros discípulos em unidade pelo mundo inteiro. Essa oração pela unidade deve ser cumprida antes da sua segunda vinda, pois, depois disso, nenhuma oração pela unidade será necessária.

Cada Vez Mais Próximos

Os cinco ministérios (Ef 4.11-16) são uma chave para essa unidade, especialmente o reconhecimento da autoridade e liderança apostólica e profética. Pois sob a direção desses ministérios preparadores, chegaremos à unidade da fé e cresceremos até atingir o homem corporativo maduro, totalmente capacitado.

Creio que apenas um avivamento poderoso poderá trazer essa unidade, o que incluirá novas orientações em doutrina para que possamos estar juntos. A ideia de uma unidade relaxada onde há um afrouxamento das convicções não é bíblica. O Espírito de Deus pode nos aproximar cada vez mais em nossas convicções e nos ajudar a cooperar em esforços mutuamente benéficos para o Reino. Essa busca pela unidade deveria caracterizar toda a nossa vida.

Trazendo o Reino do Céu para a Terra – Parte 2

Neste vídeo, Asher continua seu ensino sobre o Reino de Deus. Ele mostra como o Reino de Deus é revelado em etapas e como ele está progredindo em nossos dias. Para assistir em inglês:
https://youtu.be/7Au8VS5qmoE?list=PLrQIjPM4N0r0YMjvi9chiolg1Y9OPBvn7

Vivendo em Secreto

Joel Helski

Em Mateus 6, Yeshua deu três parábolas cujo ponto central era viver em secreto. Ele está nos ensinando a orar, jejuar e ofertar em secreto. Em todas as três, aparecem as mesmas palavras – aquele que vê em secreto. Esse é um princípio poderoso. A principal lição a ser aprendida aqui não é que fazer essas coisas em público é ruim, mas que a principal motivação por trás da nossa vida espiritual deve ser secreta, não pública. Se receber o reconhecimento dos homens for o motivo, isso é pecado; simples assim.

São as motivações secretas que importam, as que existem entre nós e Deus apenas. Esse é o objetivo. Até mesmo grandes obras, quando movidas por orgulho, reconhecimento ou egoísmo são pecado – e frutos nocivos aos olhos de Deus. Essas obras não o glorificam – elas alimentam nosso ego e nossa necessidade por reconhecimento.

Hoje, nossa sociedade está obcecada com o “eu”. Isso vai contra o que Yeshua ensinou. O mundo nos encoraja a mostrar aos outros só a imagem positiva de nós mesmos: “não seja o diferente, seja legal, seja aceito”. Nós montamos um “show” para os outros verem e, muitas vezes, nem percebemos que fazemos isso (pelo menos nós jovens), porque se tornou tão normal.

Valorizando a Vida Interior

Nossa necessidade de pensar constantemente em como os outros nos veem, como está a nossa aparência, nosso jeito de falar e de sermos aceitos pela sociedade é errada. Você pode compará-la à parábola das 10 virgens: as cinco virgens tolas estavam prontas para ir ao casamento. Elas tinham o vestido, a maquiagem, os sapatos e até mesmo a lâmpada – só não tinham o azeite. Do lado de fora, elas pareciam preparadas. Mas, assim que todas essas coisas foram tiradas, e a realidade bateu, elas não tinham nada. O azeite era tudo, e as coisas ocultas eram muito mais valiosas que aquelas que podiam ser vistas pelos outros.

Hoje, empresas inteiras baseiam seus produtos e marketing nesses princípios – começando com a mídia social, até mesmo à vara selfie! É tudo sobre “mim”, e como os outros me veem, ser reconhecido e visto em público. A tecnologia de hoje criou para nós uma “realidade virtual” compartimentalizada, na qual exibimos apenas uma pequena fração da nossa experiência de vida real. As pessoas apresentam o que elas querem apresentar, o que querem que os outros vejam. Isso nos faz sentir bem, como se tudo estivesse uma maravilha, quando, muitas vezes, nossas vidas, na verdade, estão bem vazias. A satisfação baseada na aceitação de outras pessoas é falsa, e muito limitada – e nunca é suficiente. A satisfação baseada na intimidade com o Senhor é o desejo dele para nós.

Chamado para se Posicionar contra o Islã

Brigitte Gabriel recentemente se dirigiu a um grupo de pastores sobre os perigos que os EUA estão enfrentando por causa do Islamismo radical e o que precisa ser feito para confrontar essa ameaça tão real. Para assistir em inglês:
https://youtu.be/-7h-9uPwXk8

Cadastre seu e-mail para receber, semanalmente, os informativos Revive Israel: https://www.revistaimpacto.com.br/cadastro-revive-israel/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *