Transferência dos Pais (parte 1)

Publicado em: 02/07/2019 Categorias: 2019 / Revive Israel

Asher Intrater

Gostaria de compartilhar com você o que descobri ser a chave mais importante para a saúde e o desenvolvimento psicológico, levando a vários tipos de bênçãos em nossa vida. Tem a ver com o relacionamento com nossos pais.

O relacionamento com os pais é mencionado em dois dos dez mandamentos. Isto por si só é uma indicação de seu significado. Uma das referências é positiva, a outra é negativa.

Êxodo 20.5 – Porquanto Eu, o SENHOR teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniquidade dos pais sobre os filhos até a terceira e quarta geração dos que me odeiam. [Versão King James Atualizada]

O mau comportamento (pecado) será transferido da geração dos pais para a dos filhos, chegando até a terceira e quarta geração. Esta não foi a intenção de Deus, uma vez que a passagem continua afirmando que ele abençoará até mil gerações. Deus estabeleceu um mecanismo de transferência geracional para abençoar, mas se for mal utilizado mesmo assim terá efeito.

Visitar a iniquidade não significa que Deus punirá uma criança pelo pecado de seus pais. Significa que a influência do comportamento destrutivo perdura por várias gerações. Um pai ou mãe que é abusivo, ausente ou de comportamento inaceitável prejudicará seus filhos, que por sua vez terão a tendência de fazer o mesmo a seus filhos, e assim por diante. Somos moralmente responsáveis pelo nosso comportamento e o nosso comportamento afeta os que nos rodeiam.

If you are a theological student, or a philosophy scholar, or a researcher, who needs information for your study, check out the best UK essay writing service and read the full info here. I know that you have done some work on some sites and are well versed with writing services, but this one is a real deal! Check it out!

Reversão da Maldição
Chamamos essa influência geracional destrutiva de “maldição”. No entanto, é possível parar essa transferência negativa e restaurar o mecanismo ao seu propósito positivo original. Existem três componentes principais para “reverter a maldição”:

1. Arrepender-se: não persista com o comportamento negativo. Não importa qual seja a influência ao nosso redor, podemos sempre escolher a coisa certa. Se seus pais foram violentos (por exemplo), você pode optar por não ser violento.

  • Para mudar, primeiro é preciso identificar o comportamento negativo e depois optar por não fazer a mesma coisa.
  • Às vezes, o padrão persiste ao se fazer o extremo oposto. Uma pessoa com pais violentos pode se tornar excessivamente passiva. Uma mulher que sofreu abuso sexual pode passar a não corresponder sexualmente ao marido.
  • Decidimos não continuar com este padrão, não fazendo a mesma coisa e não reagindo de maneira oposta. Escolhemos agir de maneira saudável e ética em todas as situações, livres de todas as influências negativas do passado.
2. Perdoar: livrar-nos dos sentimentos negativos em relação aos nossos pais. Nunca alguém teve pais perfeitos. Alguns pais são bem melhores que outros, mas ninguém é perfeito. Há sempre necessidade de perdoar nossos pais de alguma coisa.
  • Deus nos perdoou pela graça através da expiação de Yeshua na cruz. Não merecíamos ser perdoados. Deus espera que perdoemos aos outros da mesma maneira. Este perdão começa com nossos pais.
  • Perdoar os pais não é fácil porque somos influenciados por eles até mesmo no ventre de nossa mãe. Nossa composição física é composta do DNA de nossos pais. Nossa identidade e personalidade estão ligadas às deles. Temos que sondar profundamente nosso interior a fim de perdoá-los.
  • Removemos toda a amargura e ressentimento do nosso coração. O perdão é uma via de mão única. Perdoamos mesmo que o outro não mude seu comportamento. Isto não significa que será possível confiar neles em tudo, ou que continuamos a permitir que nos machuquem com facilidade.
  • A confiança é uma via de mão dupla e exige a participação do outro. O ideal é a outra pessoa se abrir para construir um relacionamento cooperativo conosco. Entretanto, mesmo que não queira, podemos remover a falta de perdão de nosso coração em relação a ela. Desta forma, nos libertamos da prisão psicológica.
  • Perdoar também significa esquecer. O evento negativo não deve ser “repetido” em nossa consciência vez após vez. Até pode estar no banco de memória do nosso computador mental, mas deve ser excluído de qualquer aparecimento ativo na tela de nossos pensamentos e imaginação.

3. Proclamar: também devemos romper maldições falando positivamente e cancelando sua jurisdição “legal” em nossas vidas. As palavras têm autoridade no reino espiritual. Simplesmente declaramos: “Perdoo meus pais de todos os erros cometidos contra mim, quebro todas as maldições e anulo qualquer influência negativa em minha vida, em nome do Messias Yeshua”.Na próxima semana, na Parte 2, mostrarei os detalhes da segunda referência, a positiva, mencionada nos Dez Mandamentos a respeito do nosso relacionamento com os pais.

Mais Qualidade do que Quantidade

Cody Archer achava que, ao encher a agenda de suas equipes com atividades, eles realizariam mais; no final, porém, havia poucos frutos duradouros. Tudo o que fizeram tinha um centímetro de profundidade e um quilômetro de largura [muito superficial]

Legendas em: dinamarquês, holandês, francês, polonês, português e espanhol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *