Tragédia de Uma Igreja Ineficaz

07/07/2012 Publicado por: Impacto

Arauto - Ano 11 - nº 03 - Out/Dez 1993

Por: Samuel Chadwick

A Igreja de Deus é criação do Espírito Santo. Ela é a comunidade de fiéis que devem sua vida espiritual do início ao fim ao Espírito Santo. Sem Ele não pode existir nem cristãos nem Igreja. A religião cristã não é institucional, mas sim experimental. Ela não funciona através de uma classe clerical, nem consiste de ordenanças e sacramentos. Não é uma sociedade de pessoas com interesses comuns em cultura, valores ou serviços.

Adquire-se a qualidade de membro através do nascimento espiritual. O rol de membros é mantido nos céus. Cristo é a porta. Ele conhece os Seus e os Seus O conhecem.

O rol de membros da igreja e o Livro da Vida do Cordeiro nem sempre são idênticos. “Ninguém pode dizer, ‘Jesus é Senhor,’ a não ser pelo Espírito Santo,” e a confissão do senhorio de Jesus Cristo é a primeira condição para se tomar um membro em Sua igreja.

A ordem para permanecer em Jerusalém até que viesse o revestimento de poder do alto prova que o único instrumento essencial para a igreja é o dom do Espírito Santo. Nada, além disso, pode contribuir para o verdadeiro trabalho da igreja.

O Espírito Santo  não é mais necessário para dirigir bazares, clubes sociais, instituições e piquenique do que Ele seria necessário para dirigir um circo. Estas atividades podem ser suplementos necessários da igreja moderna, mas não é para receber poder para dirigir estas coisas que precisamos buscar a Deus. Cultos religiosos e instituições organizadas não constituem uma igreja cristã, pois tais coisas podem ser ..muito bem realizadas sem o dom do fogo pentecostal.

A Obra do Espírito Santo

A obra do Espírito na Igreja foi apresentada por Jesus nas promessas que deu na véspera de Sua partida, e foi demonstrada nos  Atos  dos Apóstolos. Os Evangelhos falam sobre todas as coisas que Jesus fez e ensinou.até o dia em que foi elevado às alturas (At 1:1,2) e os  Atos dos Apóstolos nos contam sobre tudo que Ele continuou a fazer e a ensinar após o dia em que Ele foi elevado às alturas.

O Espírito Santo é o agente ativo e administrativo do Filho glorifícado. Ele é o Paracleto, o Agente e o Representante ativo do Cristo assunto. Sua missão é glorificar a Jesus perpetuando Seu  caráter, estabelecendo Seu reino é realizando ‘Seu propósito de redenção do mundo.

A Igreja é o corpo de Cristo, e o Espírito é o Espírito de Cristo. Ele enche  o Corpo, dirige  seus movimentos, controla seus membros, inspira… sua sabedoria, supre suas forças. Ele o leva à verdade, santifica seus representantes, e os enche de poder para testemunhar.

O Espírito Santo nunca abdicou de Sua autoridade nem tampouco se distanciou de Seu poder. Nem Papa nem Parlamento, nem Conferência nem Conselho tem autoridade suprema na Igreja de Cristo. A  igreja que é administrada por homens ao invés de ser governada por Deus, está destinada ao fracasso. Um ministro que é treinado na faculdade mas não é cheio do Espírito, não pode operar milagres. A igreja que multiplica seus comitês e negligencia a oração pode; ser ativa, empreendedora e fazer bastante barulho, mas trabalha e gasta, suas forças em vão.

É possível se aperfeiçoar na mecânica da organização e falhar na dinâmica. Existe uma superabundância de maquinário e aparelhagem estrutural. O que está faltando é o poder. Para dirigir uma organização,Deus não é necessário. Os homens podem suprir a energia e a coragem para assuntos naturais. O trabalho real de uma igreja depende da força do Espírito.

A presença do Espírito é vital e central para o trabalho da igreja. Nada mais resolve. Sem Ele a sabedoria se transforma em tolice e a força se transforma em fraqueza A igreja é chamada para ser “casa espiritual” e sacerdócio santo. Só as pessoas espirituais podem ser as “pedras vivas”, e somente as que forem cheias do Espírito seus sacerdotes.

O conhecimento natural é cego à verdade espiritual até que o Espirito traz revelação. A adoração é idolatria até que Ele inspire. A pregação é  ineficaz se não for a demonstração de Seu poder. A oração é vã a menos que Ele dê a força. Os recursos humanos de aprendizagem e organização, riqueza e entusiasmo, reforma e filantropia, são mais do que inúteis se neles não estiver o Espírito Santo.

A igreja sempre falha no ponto de auto-confiança. Quando uma igreja é dirigida da mesma forma que um circo, pode haver multidões, mas não há presença nem glória de Deus É por isso que a oração é o teste da fé e o segredo do poder. O Espírito de Deus trabalha arduamente como em dores de parto na vida intima de oração.

A pessoa carnal pode discutir, mas é o Espírito que convence. A educação pode civilizar, mas nascer do Espirito é o que salva. A força da carne pode organizar bazares, diversões e arrecadar milhões, mas e a presença do Espírito Santo que faz da igreja um Templo do Deus Vivo.

A raiz da aflição atual é que a igreja tem  mais fé no mundo e na carne do que no Espírito Santo. As coisas não vão melhorar até que voltemas a reconhecer Sua presença e poder. O sopro dos quatro ventos transforma morte em vida e ossos secos em exércitos poderosos, mas somente pela oração.

Sem o Espírito Santo

Os Atos dos Apóstolos nos dão um relato sobre uma igreja destituída do Espírito Santo. O quadro corresponde em muitos detalhes com o da igreja no Apocalipse que havia perdido seu Cristo. A igreja em Laodicéia era rica e respeitada, próspera e influente, complacente e alegre, mas era cega à tragédia às suas portas.

O culto deles era impecável na forma e impassível em espírito. Não havia heresia em seu credo, mas não havia fervor em suas almas. O Espírito de Cristo estava do lado de fora. Onde Cristo é desonrado não pode haver Pentecostes.

A igreja de Éfeso tinha a vantagem de ter um pregador distinto e brilhante. Ele era um homem muito instruído que havia se destacado em uma grande universidade. Nenhum pregador pode ter conhecimento demais, e a Bíblia reconhece devidamente o fato de que Apolo era “um homem instruído”. Além da sabedoria das escolas, “ele era poderoso nas Escrituras”…

Parece difícil de acreditar que falte a tal pregador exatamente os pontos essenciais para o obra do ministério cristão. Ele não tinha o Evangelho nem o poder. Em suas pregações não havia Cruz, Ressurreição ou Pentecostes. Ele pregava Jesus, mas ele não conhecia o Jesus crucificado. Pedro, o pescador, valia por mil dele.

Eloquente, instruído, bíblico, fervoroso, fiel e corajoso, Apolo não tinha o Evangelho. Cuidadosamente treinado, bem instruído, um aluno corajoso e um professor eficiente, ele não tinha visão. Habilidoso em definições, poderoso em debates, determinado em defesas, ele não tinha nenhum poder. As universidades deram a ele o que tinham de melhor, mas o deixaram na ignorância de coisas vitais e desprovido do Espírito Santo.

Aos olhos aguçados de Paulo, havia algo faltando… As pessoas que ouviam as pregações de Apolo tinham vidas honestas, eram devotadas em espírito, fiéis no serviço, contudo não tinham o Espírito Santo.

A religião deles era uma observação exterior e severa, não uma presença que neles habitava. Eles viviam por regras, não pela luz. Deus salva de dentro para fora, eles se disciplinavam de fora para dentro. A religião para eles era um dever desagradável, pois carregavam seu Deus como um fardo nas suas costas ao invés de trazê-lo em seus corações.

A Diferença que o Espírito Faz

O Pentecostes transforma o pregador. O arbusto mais comum inflamado pela presença de Deus se torna um milagre de glória. Para a igreja, o Pentecostes trouxe luz, poder, alegria.

Ninguém precisava perguntar se eles haviam recebido o Espírito. O fogo se evidencia por si mesmo. Assim também é o poder! Até os demônios sabem a diferença entre a força da inspiração e a retidão da instrução. O único poder adequado para a vida e o trabalho cristãos é o poder do Espírito Santo.

Os recursos da igreja estão no “suprimento do Espírito.” O Espírito Santo é mais que o Consolador. Ele é Cristo sem as limitações da carne e do mundo material. Ele tem recursos de poder maiores que aqueles que Cristo podia usar, e Ele torna possível obras maiores que as dEle…

A igreja deve explorar os recursos do Espírito. Os recursos do mundo são fúteis. Na plenitude do Espírito há abundância de sabedoria, riquezas e poder, mas uma igreja dirigida por homens, dependente do mundo e sem substância real não pode nunca salvar o mundo ou cumprira missão de Cristo.

Que tal experimentarmos o Pentecostes!

————————————————————————————————

Derrama Teu Espírito Sobre Nós

“Não por força, nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos. “(Zc 4:6)

Se alguém quer ter sucesso em ganhar almas para Cristo, deve sempre dar ao Espírito Santo o primeiro e principal lugar. Alguns colocam toda sua confiança em talento, habilidade e sermões, mas todas estas coisas são completamente falhas sem o Espírito Santo. Não há nada do lado de cá do céu que possa acabar com teimosias, derreter corações duros, destituir orgulho e colocar um fim em preconceitos e rebeldias a não ser pelo poder do Espírito Santo.

Foi isto que caiu sobre os escribas e fariseus de corações duros no dia do Pentecostes, fazendo com que três mil se convertessem a Deus. O sermão de Pedro não foi, de maneira alguma, eloqüente aos olhos do mundo, nem foi um sermão de acordo com as regras da homilética, no entanto ele arrasou a multidão e levou homens a Deus aos milhares.

Os sermões pregados por John Wesley não eram propriamente eloqüentes, mas eram cheios da unção e do poder do Espírito Santo. Por esta razão deram início a um avivamento que abrangeu o mundo inteiro e que nunca terá fim.

Charles G. Finney, depois de esperar pela segunda bênção, que é o batismo com Espírito Santo e fogo, pregou alguns sermões que abalaram três continentes e levaram um número incontável de almas às ruas de ouro.

Sammy Morris, o garoto pagão vindo da África, buscou e recebeu o Espírito Santo e instantaneamente tornou-se uma chama viva de fogo e ganhou almas para Cristo na terra e no mar. Quando ele recebeu o Espírito Santo, ele não sabia uma única letra do alfabeto, mas começou imediatamente a pregar Jesus para as multidões de famintos com seu jeito simples e gago, e almas eram colhidas como trigo durante a ceifa.

E verdade, cultura e elegância têm seus lugares, mas não repreenderão e convencerão o homem do pecado, da retidão e do julgamento que há de vir. Leitor, seja o que for que você fizer ou deixar de fazer, cuide para que receba a segunda bênção que é o batismo com o Espírito Santo e fogo. Não será suficiente apenas receber o Espírito Santo, mas também é necessário obedecer e viver sob seu controle. Este é o único caminho para o sucesso em ganhar almas.

“Ah, que venha a chama de fogo vivo
Que brilhou com tanto ardor nos santos antigos;
Que estimulava suas almas a ter sede do céu.
A ficarem calmas na angústia, ousadas no perigo. Lembra-te Senhor dos dias antigos;
Renova Tua obra, restaura tua graça;
E enquanto elevamos nossos corações a Ti, Derrama sobre nós o Teu Espírito.”

O Segredo de Unção do Obreiro,
J. M. Humphrey

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *