Senhor, Ensina-nos a Orar

Publicado em: 29/01/2012 Categorias: Arauto / Orando Como o Apóstolo Paulo

Arauto - Ano 28 - nº 04 - Out/Dez 2010

Por: Stanley Jones

“De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar…” (Lc 11.1).

Havia uma grande diferença entre Jesus e seus discípulos. O segredo até então não compartilhado era a oração. Ele orava e tinha poder; eles não oravam e eram impotentes. Ele sempre estava bem; eles sempre estavam cansados de si mesmos e dos outros. Ele era perito em tudo o que fazia, nada o intimidava; eles se atrapalhavam com qualquer tarefa, por mais simples que fosse.

O garoto epiléptico estava com uma possessão demoníaca maior do que a possessão divina dos discípulos e, por isso, não conseguiram resolver a situação. Eles não tinham mais possessão divina porque não eram possuídos pela oração.

Então, pediram a Jesus que dividisse com eles o seu segredo: “Senhor, ensina-nos a orar.” E ele lhes ensinou a oração do Pai Nosso, que bem poderia ser chamada a oração do discípulo. Ela é a essência da oração correta.

A oração se divide em duas grandes partes – o lado de Deus e o lado do homem:

  1. Pai Nosso, Teu Nome, Teu Reino, Tua Vontade
  2. Dá-nos, Perdoa-nos, Não nos Deixes, Livra-nos

A primeira parte pode ser chamada de ALINHAMENTO. A segunda parte, de RESULTADO. Na primeira parte, alinhamos a vida com o nosso Pai, com o seu Nome, com o seu Reino e com a sua Vontade. Na segunda, obtemos o resultado – ele nos dá, nos perdoa, não nos deixa e nos livra.

I – Primeira Divisão – Alinhamento

a) Alinhar a nossa vida com o NOSSO PAI

b) Alinhar a nossa vida com o SEU NOME

c) Alinhar a nossa vida com o SEU REINO

d) Alinhar a nossa vida com a SUA VONTADE

II – Segunda Divisão – Resultado

a) Como RESULTADO, o Senhor nos DÁ

b) Como RESULTADO, o Senhor nos PERDOA

c) Como RESULTADO, o Senhor nos PROTEGE, NÃO NOS DEIXA

d) Como RESULTADO, o Senhor nos LIVRA do mal.

Essas duas partes são as batidas alternadas do coração da oração: Alinhamento/Resultado; Alinhamento/Resultado. E cada lado das batidas do coração é igual – há quatro coisas no Alinhamento e quatro coisas no Resultado. Em outras palavras: nós obtemos tanto Resultado quanto for o nosso Alinhamento, e nada além isso. Quanto mais alinharmos nossos propósitos com os propósitos de Deus, mais resultados conseguiremos.

A ênfase, portanto, deve ser dada ao Alinhamento, porque o Resultado é consequência. Se olharmos sempre para os Resultados, estaremos olhando para o lado errado das coisas. Olhemos para os meios, e os fins cuidarão de si mesmos.

A um santo dos tempos modernos, Deus disse: “Você tem uma responsabilidade, e somente uma, que é viver em união comigo”. Quando ele passou a fazer isso, Deus tomou conta de todas as demais coisas.

Aprendamos a primeira parte da oração do discípulo, e a segunda parte acontecerá naturalmente.

“Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; dele vem a minha salvação” (Sl 62.1)                        

Traduzido e adaptado do devocional “O Caminho”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *