Raízes Judaicas Parte II

10/04/2017 Publicado por: Revista Impacto
Categorias: 2017 / Revive Israel

E, se forem santas as primícias da massa, igualmente o será a sua totalidade; se for santa a raiz, também os ramos o serão.  Romanos 11.16

Há duas metáforas paralelas, ou complementares aqui – uma sobre o pão e outra sobre as raízes / ramos. Na superfície, a segunda metáfora das raízes e dos ramos parece similar à primeira, mas sua ênfase é na verdade completamente diferente: as primícias e o restante da massa são todos do mesmo “material”, com uma pequena parte apenas separada do restante. Entretanto, não é assim com raízes e ramos! Uma árvore é um todo orgânico, e você não pode retirar algumas raízes para fazer uma oferta ao Senhor em favor de toda a árvore! Se quisermos fazer uma oferta de uma árvore, terá de ser feita dos frutos, não das raízes.

O ponto aqui é que as raízes precedem os ramos cronologicamente; e que tudo que vem posteriormente na árvore cresce a partir das raízes e é, portanto, apoiado historicamente e organicamente por elas. Assim, se esta raiz é “santa”, toda a árvore que cresce dela também deve ser “santa”.

Assim como ocorre com a metáfora do pão, não é muito difícil descobrir a partir do contexto que Paulo está falando principalmente para os cristãos gentios em Roma, não para os judeus. Nos capítulos 9-11, seu foco principal tem sido o remanescente de Israel, a igreja judaica. Assim, se tivéssemos que parar aqui e definir essa raiz, seria algo como: “o remanescente de crentes judeus, especialmente a igreja de Jerusalém, que carregam o depósito completo das santas promessas de Deus para o resto de Israel e que mantêm uma posição de precedência na oliveira da família de Deus, no sentido de que vieram primeiro – antes dos gentios”.

Agora estamos prontos para estudar os versículos seguintes que falam mais da raiz, e ver se confirmam ainda mais essa definição.

Se, porém, alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo oliveira brava, foste enxertado em meio deles e te tornaste participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos; porém, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz, a ti. Romanos 11.17-18

Primeiro, vamos lembrar que tudo isso é obviamente figurativo – esta oliveira é apenas uma metáfora! Tudo o que Paulo tem a dizer sobre isso, ele está dizendo sobre grupos de pessoas. Três tipos diferentes de ramos são definidos relacionalmente: “tu, sendo oliveira brava” foi dirigido aos cristãos gentios, e Paulo os adverte para não serem arrogantes em relação a outros dois grupos de ramos, ambos judeus: os ramos judaico-messiânicos e os ramos judeus descrentes que foram cortados.

Em seguida, Paulo lembra os cristãos romanos que eles são como ramos de uma árvore “selvagem”, brava que foram “enxertados entre os ramos naturais e se tornaram participantes da rica raiz da oliveira”. Aqui está a raiz maravilhosa, mas sem definição clara – apenas que os ramos judeus e gentios da árvore estão ambos participando de sua riqueza. Porém, a próxima frase nos dá uma pista tremenda. Aqui a Escritura estabelece uma clara equivalência, ou proximidade, entre os ramos judaicos e a raiz – já que a arrogância para com os ramos judaicos é equiparada a um mal-entendido arrogante da natureza e identidade da raiz, que sustenta toda a árvore.

Os crentes gentios em Roma podiam ver e ter contato direto com os ramos judeus – tanto aqueles que permaneciam na árvore, quanto aqueles que foram cortados. Isso fazia parte de sua experiência cotidiana vivendo na metrópole romana. Mas, e com a igreja de Jerusalém? Com a nação aliançada de Israel? Tudo isso provavelmente lhes parecia uma realidade muito distante e impessoal.

Pense nisso: o crente gentio comum em Roma entrou na árvore através do puro e simples Evangelho da Graça e da fé em Yeshua. Era (e ainda é!) possível para um cristão ser totalmente ignorante da natureza judaica original e primária da própria árvore em que foram enxertados (Romanos 11.25). Essa “natureza judaica do Evangelho” pode ser completamente escondida do cristão, como uma raiz enterrada na terra!

É por isso que Paulo fala sobre isso apenas como “raiz”, e não “tronco”: você não consegue vê-la, você normalmente não consegue tocá-la e, a menos que você tenha um pouco de instrução ou revelação, você pode nem mesmo saber da existência dela!! É por isso que os versos 17-18 estabelecem uma equivalência dos ramos judaicos diretamente com a “raiz”, sem sequer mencionar o tronco. Os crentes judeus representavam uma conexão autêntica, “orgânica” e ininterrupta com a raiz distante e escondida – e é a partir desta raiz que a rica “seiva” das alianças sobe para nutrir e sustentar toda a árvore.

Em conclusão, vamos expandir nossa definição da raiz para “o remanescente dos crentes judeus, especialmente a Igreja Apostólica de Jerusalém, que carregava o depósito completo das alianças e promessas sagradas de Deus ao resto de Israel e que ocupava uma posição na família de Deus (a oliveira) de precedência, na medida em que veio primeiro – antes dos gentios”.

Diante disso, o que dizer do significado dessa raiz para nós hoje? É o que vamos ver no próximo informativo.

Leia o blog anterior aqui.

Notícas de Revive Israel nas Nações

Obrigado pelas suas orações por Tal e Roni na República Tcheca na semana passada e por Cody e Andrew durante todo o tempo que estiveram no Japão! Asher e Betty também estarão em breve viajando para Hong Kong para uma conferência de líderes chineses. Juntos, através de suas orações, estamos avançando o reino de Yeshua em todo o mundo!

Além disso, confira este vídeo relatando sobre o período de Cody e Andrew no Japão.

Yigdal Adonai – Adoração do Jejum de Ester

Ouça uma canção da equipe de adoração da juventude durante o jejum de Ester em Revive Israel.

Ajuda de tradutores!

Se você está interessado em se envolver de uma forma mais prática, estamos atualmente procurando mais voluntários para transcrever nossos vídeos em inglês. Tudo o que você precisa é um comando do idioma Inglês, o acesso a um computador com internet, habilidades básicas de digitação e tempo. Este trabalho permite-nos fornecer legendas fechadas, bem como legendas em outras línguas. Se você estiver interessado em voluntariar, entre em contato com Sarah (sarah@reviveisrael.org). Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *