Precisamos de Vida Nova

Publicado em: 21/07/2012 Categorias: Arauto / Precisamos de Vida Nova

Arauto - Ano 11 - nº 02 - Jul/Set 1993

Por: R. A. Torrey

Se já houve um tempo em que precisássemos clamar a Deus usando as palavras do salmista: “Porventura não tornarás a vivificar-nos para que, em Ti, se regozige o Teu povo?”(SI 85:6), este tempo, sem dúvida alguma, são os dias em que nós vivemos. “Certamente é tempo do SENHOR intervir, pois os homens violaram a Sua lei” (S1119:126). A voz do Senhor, através da Palavra escrita, é desprezada tanto pelo mundo quanto pela Igreja.

Isto não significa que devamos ficar desencorajados, pois o homem que crê em Deus e na Bíblia nunca pode se desencorajar. Mas é tempo do próprio Jeová entrar em cena e intervir. O cristão inteligente, o vigia bem acordado nas muralhas de Sião, pode muito bem clamar com o salmista “Já é tempo, SENHOR, para intervires, pois eles violaram a Tua lei”.

A Grande Necessidade de Hoje: Um Reavivamento Geral!

Vamos considerar, em primeiro lugar, o que vem a ser um reavivamento geral.

Um reavivamento geral é um tempo de despertamento e de vivificação. Assim como somente Deus pode dar a vida, um reavivamento se dá quando Deus visita o Seu povo e pelo poder do Seu Espírito lhe concede vida nova, o qual, e através deles transmite vida aos pecadores mortos em seus delitos e pecados.

Hoje temos animação religiosa produzida pleos métodos astutos e influência hipnótica daqueles que são meros evangelistas profissionais. Mas esta animação não é reavivamento e nem é necessária. É uma imitação diabólica do reavivamento.

Receber vida nova de Deus, isto é reavivamento! Um reavivamento geral acontece quando esta vida nova dada por Deus não fica confinada a localidades dispersas, mas abrange toda a cristandade e toda a terra.

Um reavivamento geral é necessário por causa da fome, desolação e morte espiritual serem gerais. Não é uma característica de um único país, embora possa se manifestar mais em uns do que em outros. Ocorre tanto nos campos missionários quanto nas nossas casas.

Já tivemos reavivamentos locais. O Espírito vivificante de Deus já soprou sobre este ou aquele pastor, sobre esta ou aquela igreja, sobre esta ou aquela comunidade, mas o que realmente precisamos desesperadamente é de um reavivamento que venha sobre todos e de uma forma geral.

Vamos olhar, por alguns instantes, para os resultados de um reavi­vamento. Estes resultados aparecerão tanto nos pastores das igrejas quanto naqueles que não são convertidos.

Resultados de um Reavivamento em um Pastor

O primeiro resultado de um reavivamento em um pastor é o seu novo amor pelas almas. Nós, pastores, geralmente não temos o amor pelas almas que deveríamos ter, não temos o amor pelas almas que Jesus teve, não temos o amor pelas almas que Paulo teve.

Mas quando Deus visita o Seu povo, os corações dos pastores ficam grandemente angustiados pelos perdidos. Eles saem com um desejo muito intenso pela salvação dos seus companheiros. Esquecem a sua ambição de pregar grandes sermões e ter fama, e, simplesmente, anseiam ver homens cair aos pés de Cristo.

Em segundo lugar, quando o verdadeiro reavivamento vem, os pastores passam a ter um novo amor pela Palavra de Deus e uma nova fé nela. Eles jogam ao vento as suas dúvi­das e críticas da Bíblia e dos credos, e se dedicam à pregação da Bíblia e, principalmente, do Cristo crucificado.

Os reavivamentos transformam pas­tores liberais em suas doutrinas em pastores ortodoxos. Um reavivamento genuíno e de caráter mundial colocaria as coisas de cabeça para baixo e dessa forma as endireitaria muito mais do que todos os tribunais hereges já instituídos.

Terceiro, os reavivamentos trazem uma nova liberdade e poder para as pregações dos pastores. Não será mais preciso passar uma semana inteira preocupado com a prepararação de um sermão e nem fazer esforço para vencer o nervoso na hora de pregá-lo A pregação será uma alegria e um refrigério, e haverá poder na palavra em tempos de reavivamento.

Resultados de Reavivamento sobre os Cristãos de uma forma geral

Os resultados de um reavivamento sobre os cristãos de uma forma geral são tão marcantes quanto seu resultado sobre os pastores.

Em tempos de reavivamento, os cristãos saem do mundo e vivem vidas separadas. Os cristãos que estão envolvidos com o mundo, que vão a bailes, que fazem apostas, ou que participam de atividades desonestas ou desleais, afastam-se destas coisas, as quais são incompatíveis com o crescimento da vida e com a luz de Deus.

Em tempos de reavivamento os cristãos recebem um novo espírito de oração. Reuniões de oração deixam de ser uma obrigação e passam a ser uma necessidade para os corações famintos e persistentes. A oração em particular vem acompanhada de um novo prazer. Oração fervorosa sobe a Deus dia e noite. As pessoas deixam de perguntar: “Será que Deus responde as orações?” Elas sabem que Ele responde, e assediam o trono da graça dia e noite.

Em tempos de reavivamento os cristãos trabalham pelas almas perdidas. Eles não freqüentam as reuniões simplesmente para divertirem-se e serem abençoados. Eles freqüentam as reuniões para ficarem atentos às almas

e trazê-las a Cristo. Eles conversam com os homens na rua, nas lojas e em suas casas. A cruz de Cristo, a salvação, o Céu e o Inferno passam a ser os assuntos das conversas. A política, o clima, as roupas novas, os últimos romances e novelas são esquecidos.

Em tempos de reavivamento os cristãos têm nova alegria em Cristo. A vida é alegria e a vida nova é nova alegria. Os dias de reavivamento são alegres, e são como se estivéssemos vivendo no Céu.

Em tempos de reavivamento os cristãos passam a sentir um novo amor pela Palavra de Deus. Eles querem estudá-la dia e noite. Os reavivamentos são ruins para os bares e teatros mas são bons para as livrarias e distribuidoras de Bíblias.

Resultados de Reavivamento em um Mundo Perdido

Os reavivamentos também têm uma influência decisiva no mundo perdido.

Em primeiro lugar, trazem uma profunda convicção do pecado. Jesus disse que quando o Espírito viesse Ele convenceria o mundo do pecado (João 16:7,8). Reavivamento é a vinda do Espírito Santo, e, portanto, deve haver nova convicção do pecado, e sempre há. Se você vir alguém chamar um movimento de reavivamento e não houver convicção do pecado, você saberá na hora que trata-se de uma tapeação. A convicção é a marca verdadeira.

Os reavivamentos também resultam em conversão e regeneração. Quando Deus reaviva o Seu povo, Ele sempre

converte pecadores. O primeiro resultado do Pentecoste foi vida nova e poder para cento e vinte discípulos no cenáculo. O segundo resultado foi três mil conversões em um único dia.

É sempre assim. Constantemente leio sobre reavivamentos aqui e ali onde cristãos foram grandemente ajudados mas não houve conversões. Se os cristãos forem verdadeiramente reaviva-dos, eles irão buscar os pecadores

através da oração, teste­munho e persuasão, e haverá con­versões.

Reavivamento é a Cura Para a Situação Pecaminosa de Hoje

Nós precisamos de um reavivamento profundo, que seja derramado sobre todos de uma forma geral, no poder do Espírito Santo. A situação moral do mundo em nossos dias é repugnante, enojante e aterrori­zante! Um reavivamento de nova vida vinda de Deus, é a cura, é a única cura. O reavivamento deterá a terrível maré de imoralidade e incredulidade. Meros argumentos não o farão, mas um vento do Céu, um novo derramar do Espírito Santo, um verdadeiro reavivamento enviado por Deus o fará!

A grande necessidade de hoje é um reavivamento geral. A necessidade é clara. O que nós faremos então? Ore! Faça da oração do salmista a sua oração: “Porventura não tornarás a vivificar-nos para que em Ti se regozije o Teu povo?” (SI 85:6). Faça da oração de Ezequiel a sua oração: “…Vem dos quatro ventos, ó espirito, e assopra (o sopro de Deus) sobre estes mortos para que vivam” (Ez. 37:9).

Ouça com atenção, eu ouço um barulho! Eis um tremor! Eu quase posso sentir a brisa no meu rosto. Eu quase posso ver o grande exército vivo se levantando. Nós não podemos orar e orar e orar e orar, até que o Espírito Santo venha e Deus reavive o Seu povo?

Extraído de Como Orar por R. A. Torrey

——————————————————————————————————

• Não são os sinais visíveis da Sua vinda e sim as ordens de Jesus para vigiarmos e estarmos prontos que deveriam nos inspirar no zelo e na cautela. (Mt 24:42).

• Assim como ao justo está prometida a vida eterna, para aqueles que estão em pecado está prometido o fogo eterno. As Escrituras ensinam que a punição terá a mesma duração que a alegria do Céu. A razão é a mesma para se acreditar que a punição no inferno é interminável e que a alegria no Céu também é sem fim. (Mt 25:46).

• Nós não podemos evitar a velhice mas podemos evitar o crescimento da frieza espiritual.

——————————————————————————————————

Vamos Tomar Cuidado Para Não Falhar

“Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado (Hb 4:1)

O grande perigo de hoje é que muitos estão falhando. Paulo persistiu no seu objetivo para que ele pudesse atingi-lo. Jesus nos adverte para “lutar,” isto é, agonizar (no grego) “para entrar,” e também para tomar “cuidado” de nós mesmos, para não ficarmos sobrecar­regados, em tempo algum, com as conseqüências da orgia, da embriaguez e das preocupações deste mundo para que aquele dia não venha sobre nós repentinamente. “Pois virá como um laço…Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar de todas estas cousas que têm de suceder, e estar em pé na presença do Filho do homem” (Lc 21:34-36).

O Senhor está à mão. Não há tempo para ficarmos nos enganando. Se houver em algum de nós um espírito de orgulho, crítica, auto-suficiência, auto-justificação, maledicência, fofoca, vamos revelar estes pecados, confessar e deixá-los agora e orar: “Oh, Senhor, desperta-me se, de alguma forma, eu estou falhando. Senhor, coloca a Tua mão sobre mim e purifica-me de toda impureza.”

Nestes dias solenes, nós não podemos nos satisfazer com uma teoria de vida vitoriosa. Nós devemos experimentar, na realidade, momento a momento, um “andar no Espírito” real e genuíno. Então a vitória será uma realidade permanente e como Paulo, poderemos ousadamente dizer: “Graças ao Espírito que nos dá a vitória em Cristo Jesus nosso Senhor.” Cristo é a Vitória. Nós temos o Vitorioso em nós e por isso podemos ter a Sua vitória também.

De DAWN

Uma resposta para “Precisamos de Vida Nova”

  1. Sidnei disse:

    Tempos difíceis o de hoje que a igreja está vivendo. Mas a igreja não pode culpar este tempo pelas dificuldades e erros que ela possa estar vivendo. Ela deveria estar mudando o cenário atual do mundo e não o mundo está mudando o cenário da Igreja. Há pouco sal na igreja ou ele perdeu seu sabor.
    Aviva-nos Senhor….Aviva-nos hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *