Orar…Sempre, Nunca…Esmorecer

Publicado em: 08/05/2012 Categorias: Arauto / Esperança de Avivamento

Arauto - Ano 13 - nº 01 - Jan/Mar 1995

Os homens freqüentemente perdem as grandes bênçãos de Deus porque desistem muito rápido. Desistem antes que a vitória chegue.
Por: W. C. Moore

Jesus ensinou que os homens devem orar sempre, e nunca esmorecer (Lucas 18:1-8). Abraão teve que esperar anos, com fé, antes que Isaque nascesse. Dizem que Jacó tinha 97 anos quando batalhou em oração e Deus mudou o seu nome para Israel. José suportou muitos anos em um calabouço, com sofrimento, por causa de mal entendidos, antes que o sonho que Deus lhe deu se tornasse verdade. Ana orou durante anos antes que suas orações fossem respondidas e Samuel nascesse.

Deus abençoou Abraão durante os anos em que esperou com fé pelo nascimento de Isaque. Deus abençoou Jacó durante os anos em que ele, também, estava se ajustando ao programa de Deus, tanto que Labão aprendeu pela experiência que Deus o abençoou (a Labão) por amor a Jacó (Gn 30:27). O mesmo foi verdade para José: Deus o abençoou e lhe foi favorável através dos anos, embora tenha sido rejeitado pelos seus próprios irmãos e vendido como escravo.

Da mesma forma, hoje, as bênçãos de Deus estão sobre Seu humilde povo. Mas a Palavra de Deus diz que temos necessidade de perseverança (persistência com alegria), para que havendo feito a vontade de Deus, possamos alcançara promessa; a Palavra nos exorta também a não abandonar a nossa confiança (Hebreus 10:35-36).

Paciência

Já que as Escrituras nos dizem claramente que temos necessidade de perseverança, podemos ter certeza de que Deus providenciará todo o necessário para isto, dando-nos as condições, os atrasos, o ambiente, e os acontecimentos, etc, a fim de que não nos falte esta graça também a graça da paciência! Louvado seja o Senhor!

Parece que nós, os seres humanos, precisamos necessariamente chegar àquele lugar sem saída, onde só Deus pode nos dar a solução, antes que seja seguro ou sábio para Ele nos abençoar totalmente. De outra forma cairíamos na armadilha de nos gabarmos sobre o que “eu” fiz, ou o que “nós” fizemos.

Abraão estava “já amortecido” antes que chegasse o tempo de Deus para o nascimento de Isaque (Hebreus 11:8-12). Jacó teve a sua coxa deslocada da juntura e ficou manco antes que Deus, em Sua sabedoria, achasse apropriado mudar o seu nome para Israel. José não estava preparado para que seu pai e seus onze irmãos ficassem prostrados diante dele; e isto só aconteceu através dele próprio passar pelas experiências humilhantes de vários anos de forma que foi Deus e não ele quem fez o sonho se cumprir.

Sempre existe o perigo de aparecer um Ismael para causar problemas e sofrimento incalculáveis se perdermos a paciência e pensarmos que, afinal, devemos fazer algo que Deus não nos mandou fazer ou seja, dar uma mão para Deus! Vamos ser “seguidores daqueles que pela fé e paciência herdam as promessas” (Hebreus 6:12).

“O lavrador espera. . .aguarda com paciência. . .até que receba a chuva temporã e serôdia” (Tiago 5:7). Então segue-se uma ordem: “Sede vós também pacientes” (Tiago 5:8).

Deus deu um sonho a José (Gn 37:5-11). Durante os anos de provação, enquanto Deus estava preparando José para o cumprimento deste sonho, José teve muitas chances de crescer em graça e exercitar a paciênciapersistência com alegria.

Dar Atenção aos Deveres Dados Por Deus

Alguns já estão esperando há muitos anos pela promessa do poderoso derramamento do Espírito de Deus no livro de Joel e em outras passagens das Escrituras. Já passaram por provações, Deus o sabe, mas sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8:28), e não somento isso, mas Deus está preparando um povo humilde para o recebimento da plenitude do derramamento do Espírito dos “últimos dias.”

Vemos nas Escrituras que Abraão não ficou ocioso durante os anos em que esperava pelo cumprimento da promessa de Deus de dar-lhe um herdeiro. Ele continuou, fazendo as obrigações que estavam diante dele. Jacó também era um homem trabalhador. José não podia construir um santuário para si mesmo para que os olhos do povo estivessem sobre ele, e sentimentalmente “esperar” sem fazer nada até que Deus viesse e cumprisse Suas promessas a ele. Não! José cuidou dos seus deveres. Quando estava na prisão, ele cuidava de suas obrigações de prisioneiro.

Assim também hoje, quando oramos pelo avivamento, quando pedimos chuva (espiritual) (Zc 10:1), não devemos desperdiçar nosso tempo e energia com uma vaga espera por grandes coisas. Devemos cuidar das obrigações que Deus coloca diante de nós, e cumprir fielmente nossas tarefas diárias “como ao Senhor, e não aos homens” (Cl 3:23). “No zelo não sejais remissos” (Rm 12:11).

Devemos ser fiéis em nossas obrigações caseiras, nos negócios, colocando o nosso coração no trabalho, não importa o quão humilde possa ser, dando o melhor de nós, com a ajuda do Senhor, sabendo que cada um de nós deve prestar contas a Deus (Rm 14:10; II Co 5:10). Os olhos do Senhor estão sobre nós (I Pe 3:12). (Ver Cl 3:23, Ec 9:10). “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?” (Lucas 16:10-11).

Com tudo, em tudo e em todo tempo, mantenha uma atitude de oração e fé, expectativa e humildade. Jesus, o Filho de Deus, o Cabeça da Igreja diz: “Vigiai, pois em todo o tempo, orando…” (Lucas 21:36). Ele não nos deu uma ordem impossível. Nós podemos e devemos manter uma atitude de oração contínua.

Já houve muitos avivamentos através dos séculos. Têm havido muitos derramamentos do Espírito Santo através dos anos. Como isso nos anima, enquanto esperamos, ansiamos, buscamos, oramos, e cremos a favor da Chuva da Colheita, a plenitude das últimas chuvas, o derramamento do Espírito de Deus sobre toda a carne (Joel 2:18-32).

E que verdade preciosa e encorajadorao derramamento do Espírito pelo qual milhares de pessoas quebrantadas, provadas e humildes estão orando por todo o mundo este grande derramamento do Espírito será mais espantoso ainda por causa do acúmulo das orações de fé ainda não respondidas de todas as multidões de pessoas compradas com o sangue de Jesus!

A Palavra De Deus Será Cumprida!

A Chuva da Colheita virá! A Palavra de Deus será cumprida! E a Chuva da Colheita, as Últimas Chuvas prometidas pelo próprio Deus, virão com aquela fúria explosiva que sem dúvida acompanhará a resposta repentina às milhares de orações, verdadeiras orações de fé do povo de Deus nestes últimos e terríveis dias! “Não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê- los? Digo-vos que depressa lhes fará justiça” (Lucas 18:7,8).

Demora não significa uma resposta negativa! Deus derramará o Seu Espírito sobre toda a carne, assim como Ele prometeu fazer! Este derramamento do Espírito ainda não veio em sua plenitude, embora Deus esteja se movendo pelo Seu Espírito na terra hoje. Quando um dilúvio vem, e uma inundação está varrendo uma cidade, ninguém tem que discutir o caso e tentar provar o que está acontecendo. A própria inundação se encarrega de varrer toda a oposição a ela!

Se você está satisfeito, irmão, irmã Laodicéia também estava (Ap 3:14-22). Mas quanto a mim, estou faminto, sedento paraque Deus venha (Is 64:1-7), para que o Senhor vá entre nós (Ex 34:9).

Seria praticamente impossível juntar todos os santos que estão orando, hoje, pelo grande avivamento de Deus em um “cenáculo” ou em qualquer outro lugar. Multidões do povo de Deus estão orando por algo às vezes mal sabem pelo quê estão orando, mas o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis (Rm 8:26). E Deus, que está movendo o Seu povo a orar, é fiel para responder a todas as verdadeiras orações de fé.

Não será um grande João Batista individual que preparará o caminho para a Segunda Vinda do Senhor, mas antes, uma “Companhia de João Batistas”, de crentes humildes e famintos ao redor do mundo, que vão orar até que Deus venha e faça chover justiça sobre eles. Então sairão no tremendo poder do Espírito Santo para fazer a obra de avivamento que precede a vinda do Senhor! João Batista foi apenas um homem. A Igreja de hoje é um corpo, o Corpo de Cristo, mas é composto de muitos membros (Rm 12:1- 5; I Co 12:12-27; Ef 1:22-23).

“Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva será a sua saída; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra” (Oséias 6:3).

“É tempo de buscar ao Senhor, até que venha e chova a justiça sobre vós” (Oséias 10:12). “Até que se derrame sobre nós o espírito lá do alto; então o deserto se tornará em campo fértil, e o campo fértil será reputado por um bosque” (Isaías 32:15).

—————————————————————————————————————————-

Não é: Quando o Senhor Voltará?
Mas: Quem está Orando com Fé por Justiça?

“E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-loaqui ouei-loali; porque eis que o reino de Deus está entre vós.

E disse aos seus discípulos: Dias virão em que desejareis ver um dos dias do Filho do homem, e não o vereis. E dir- vos-ão: Ei-lo aqui ou ei-lo ali; não vades, nem os sigais porque como o relâmpago ilumina desde uma extremidade inferior do céu até à outra extremidade, assim será também o Filho do homem no seu dia. Mas primeiro convém que ele padeça muito, e seja reprovado por esta geração.

E, como aconteceu nos dias de Noé,assim será também nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos.

Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos.

Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar. Naquele dia, quem estiver no telhado tendo as suas alfaias em casa, não desça a tomá-las; e, da mesma sorte, o que estiver no campo não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Qualquer que procurar salvar a sua vida, perde-la-á, e qualquer que a perder, salvá-la-á. Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, o outro será deixado.

E, respondendo, disseram-lhe: Onde, Senhor?

E ele lhes disse: Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão as águias.

E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer, dizendo: Havia numa cidade um certo juiz que nem a Deus temia nem respeitava o homem. Havia também naquela mesma cidade uma certa viúva, e ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
E por algum tempo não quis; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer- Ihe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? (Lucas 17:20 a 18:8).

Qual é a tua resposta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *