Orando pelos Pródigos

Publicado em: 27/10/2020 Categorias: 2020 / Revive Israel

Asher Intrater

Um pródigo é um ente querido que, apesar de ter conhecido o Senhor, acabou se desviando por conta das tentações do mundo. Há uma limitação em relação ao que você pode orar, porque o livre arbítrio de alguém pode estar em oposição aos desígnios de Deus. Embora Deus não force ninguém a crer nele, podemos mobilizar todos os fatores naturais e sobrenaturais para ajudar a pessoa a retornar ao amor de Deus.

Como Ruth Bell Graham citou no artigo “O Pródigo e Aqueles que os Amam” (Foco na Família, 1991, p. 150), encontrar um ninho de vespas pode não obrigá-lo a ir contra a sua própria vontade, mas pode pelo menos torná-lo disposto a fugir. Aqui estão algumas estratégias bíblicas para a oração:

1. Cercado por espinhos (Os 2.8) – Deus disse a Oseias para se casar com uma mulher imoral que o trairia. Em seguida, ele instruiu Oseias a orar por circunstâncias difíceis para bloquear o caminho de sua esposa, enquanto seguia em direção ao pecado. Essa oração ajudou Oseias a entender os sentimentos de Deus sobre ser traído pela raça humana.

2. As cordas do amor (Os 11.4) – Deus continua a demonstrar a sua bondade para com as pessoas, mesmo enquanto elas estão pecando, na esperança de atraí-las de volta para si mesmo. Precisamos demonstrar essa graça positiva e  orar para trazer outras pessoas para o caminho dos filhos pródigos para mostrar-lhes compaixão e atraí-los de volta para o amor de Deus.

3. Sensibilização da consciência (2 Co 4.2) – A verdade divina se manifesta na consciência de uma pessoa. Oramos para que um discernimento íntimo de certo e errado seja ativado para que o filho pródigo possa saber a diferença entre o que é moral e imoral.

4. Amarrar a cegueira satânica (2 Co 4.4) – O pecado é tão ilógico que sempre vem acompanhado das mentiras do diabo para enganar a pessoa. E isto é particularmente doloroso, porque as mentiras muitas vezes envolvem caluniar as próprias pessoas que estão orando pelo filho pródigo, ou que representem a autoridade justa em sua vida.

5. Anjos para bloquear o caminho (Nm 22.22) – Assim como Deus enviou um anjo para bloquear o caminho de Balaão que estava inclinado para o pecado, também podemos pedir que Deus envie um anjo para impedir o caminho pecaminoso de nossos entes queridos. Isso não pode impedi-los à força, mas pode desencorajá-los.

6. Anjos para protegê-los (2 Rs 6) – Assim como Eliseu orou para que seu servo visse os anjos protetores ao seu redor, podemos orar pela proteção de nossos entes queridos dos perigos causados pela sua exposição ao pecado.

7. Afastar os demônios deles (Mt 15) – Uma mulher cananeia orou por sua filha, pois ela não podia orar por si mesma, e o demônio a deixou. Esse foi um caso de doença, não de pecado; portanto, temos menos autoridade para orar por libertação no caso de alguém que está pecando voluntariamente. No entanto, ainda temos a capacidade de limitar a sua atividade.

8. O Espírito Santo ser derramado (Jl 2.28) – O Espírito será derramado não apenas sobre os crentes dedicados, mas sobre toda a carne. E isso inclui nossos amigos e familiares rebeldes. O fogo do Espírito Santo na carne de uma pessoa pode causar “queimaduras”, o que é melhor do que não ser influenciado pelo Espírito Santo em nada.

9. Ser lembrado pelo Espírito Santo (Jo 14.26) – Yeshua orou para que o Espírito Santo lembrasse os seus discípulos de seus ensinamentos. O Espírito Santo tem a capacidade de nos lembrar. Em favor daquele que conhece os ensinamentos do Senhor, e ainda sim está na apostasia, podemos orar para que o Espírito Santo venha trazer de volta para as suas memórias as lições que ouviu no passado, mesmo que não tenha costume de estudar a Palavra no presente.

10. A cobiça sexual tornar-se repugnante (Nm 11.20-34) – Deus deu aos filhos de Israel toda a carne que desejaram, mas mesmo enquanto ainda comiam, sua luxúria fez com que ela se tornasse repugnante para eles. A maioria dos filhos pródigos se afasta de Deus por causa dos prazeres da carne. Podemos orar para que esses desejos percam a sua atratividade.

11. Os amantes ficarem enojados (2 Sm 13.15) – Depois que Amnom estuprou Tamar, seu “amor” instantaneamente se transformou em um sentimento rancoroso. Muitos apóstatas são atraídos pelos seus “amantes”. Ore para que seus parceiros na imoralidade os rejeitem rapidamente e assim seja revelada a diferença entre a luxúria e o amor.

12. Mudar o curso de seu coração (Pv 21.1) – A Bíblia diz que Deus pode mudar o curso do coração de um rei assim como ele muda o curso de um rio. Embora cada pessoa tenha a autoridade soberana sobre a sua própria vontade, Deus tem seus meios para influenciar uma pessoa e persuadi-la a tomar a decisão certa.

13. Deixá-los por um tempo (Jz 14.4) – Embora o pecado NUNCA seja a vontade de Deus, às vezes um período de aventuras pródigas pelo mundo é permitido por Deus como parte de seu plano geral para conduzi-los a um bem maior. Um jovem que depende da fé de outra pessoa pode precisar sair e decidir por si mesmo em que realmente acredita. O pai do filho pródigo não o impediu de partir.

14. A “Revelação do Chiqueiro” (Lc 15) – Chega um momento em que o pródigo “cai em si” em meio a uma situação de desperdício e percebe que seria melhor voltar para o seu pai. Podemos orar para que essa revelação venha o mais rápido possível. Devemos também fazer tudo para que o filho pródigo saiba que é sempre bem-vindo, que sempre estamos de braços abertos.

15. Destruição da Carne (1 Co 5. 5) – Paulo orou para que certos pecadores que estavam endurecidos fossem entregues a Satanás, o que os faria lidar com os resultados destrutivos do seu próprio pecado. Por sua vez, isso resultaria na salvação de suas almas. Filhos de famílias piedosas geralmente são “pegos” pela justiça na primeira vez que pecam. Isso faz parte da graça de Deus para ajudá-los a se arrepender.

16. Santificar-nos (Jo 17.19) – Como amigos e parentes dos filhos pródigos, precisamos fazer um esforço especial para nos manter puros de coração. Nossa pureza de coração irá ajudá-los direta ou indiretamente a encontrar a sua própria pureza novamente.

17. Pai, perdoe-os (Lc 23.34) – Grande parte do que um filho pródigo faz é feito de modo consciente. No entanto, há sempre uma certa porcentagem que é feita em ignorância, pelo engano das tentações do mundo. Oramos pelo perdão de Deus para eles, mesmo antes que se arrependam. Cuidado para não ficar amargurado com aquele em quem você tanto “investiu” com amor. Mantenha seu coração livre de ressentimentos.

Apesar da dor e do medo, temos que viver pela fé. Acreditamos que o que oramos realmente acontecerá (Mc 11.23). Muitas são as promessas de que os nossos filhos voltarão para casa, e para o Senhor (Jr 31.17; Is 49.25). Vamos declará-las com fé.

Depois que tivermos feito tudo ao nosso alcance e orado tudo o que pudermos, resta-nos apenas permanecer firmes (Ef 6.11-14). Eu penso em Jacó durante os muitos anos em que ele tinha “certeza” de que José estava morto. Era uma situação impossível. Finalmente ele descobriu que José estava vivo. Não importa o quanto a situação possa parecer terrível, Deus sempre é fiel.

20 de Outubro de 2020 Transmissão Global

Junte-se à nossa Transmissão Global para um momento de adoração e uma palavra oportuna de nossa equipe em Israel. Mesmo que Israel esteja em isolamento (devido ao lockdown), a tecnologia ainda permite que nos encontremos. Por favor, compartilhe esta transmissão ao vivo com os seus amigos.
Assista Aqui.

Uma resposta para “Orando pelos Pródigos”

  1. Mendes disse:

    Uma palavra de sabedoria para pais que estão vivendo esta realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *