Orando no Espírito

Publicado em: 04/09/2018 Categorias: Arauto / Arrependimento e avivamento nos últimos dias

Arauto - Ano 36 - nº 02 - Abr/Jun 2018

Por R. A. Torrey

Nossa dependência do Espírito Santo em oração é apresentada de maneira muito clara em Efésios 6.18:“com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito”; e em Judas 20:“orando no Espírito Santo”. De fato, todo o segredo da oração é contido nestas duas palavras, no Espírito. É a oração inspirada por Deus Espírito que Deus Pai responde.

Os discípulos não sabiam orar como deveriam;por isso, chegaram a Jesus e disseram:“Senhor, ensina-nos a orar”. Nós também não sabemos orar como devemos, porém temos outro Mestre e Guia ao nosso lado para nos ajudar (Jo 14.16-17). “O Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza” (Rm. 8.26). Ele nos ensina a orar.

A verdadeira oração é a oração no Espírito; isto é, a oração que o Espírito inspira e direciona.

Quando nos achegamos à presença de Deus, devemos reconhecer “nossas fraquezas”, “nossa ignorância” sobre o que deveríamos orar ou como deveríamos fazê-lo.Conscientes de nossa total incapacidade de orar de maneira correta, devemos consultar o Espírito Santo, lançando-nos nele inteiramente a fim de que direcione nossas orações, conduza nossos desejos e oriente a maneira de expressar cada um deles.

Nada pode ser mais insensato na oração do que apressar-se desatentamente na presença de Deus, pedindo a primeira coisa que vem à nossa mente ou aquilo que um amigo imprudente nos pediu para orar. Primeiramente, quando entramos na presença de Deus, devemos nos aquietar diante dele. Devemos pedir para que envie o seu Espírito Santo a fim de que nos ensine como devemos orar. Devemos esperar pelo Espírito Santo e render-nos a ele; só então oraremos corretamente.

Ore mesmo quando não estiver a fim

Diversas vezes, quando nos achegamos a Deus em oração, não estamos com vontade alguma de orar. Como alguém deve proceder nesse caso? Parar de orar até que tenha vontade novamente? De maneira alguma. Quanto menos sentimos vontade de orar, mais precisamos estar em oração. O caminho certo é esperar silenciosamente diante de Deus e contar para ele como nosso coração está frio e indisposto, olhar para ele, confiar e esperar que ele envie o seu Espírito Santo para aquecer nosso coração e atraí-lo para a oração. Não demorará muito até que o brilho da presença do Espírito preencha o coração, e logo começaremos a orar com liberdade, objetividade, seriedade e poder.

Muitos dos mais abençoados momentos de oração que já tive começaram com um sentimento de total morte e falta de desejo de orar.Depois de me lançar à dependência de Deus, em toda minha impotência e frieza e de direcionar meus olhos a ele para que enviasse seu Espírito Santo e me ensinasse a orar, ele veio ao meu socorro e me ajudou.

Quando oramos no Espírito, oramos pelas coisas corretas e da forma correta. Há alegria e poder em nossa oração.

Ore em fé

Se quisermos orar com poder, devemos orar com fé. Em Marcos 11.24, Jesus afirma:“Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco”. Não importa quão positiva seja qualquer promessa da Palavra de Deus, nós não desfrutaremos dela na nossa experiência prática a menos que esperemos confiantemente o seu cumprimento em resposta à nossa oração. “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria”, afirma Tiago, “peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida” (Tg 1.5).

Esta promessa é a mais clara e positiva possível, mas os versos seguintes acrescentam: “Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa” (Tg 1.6-7). É preciso que haja, portanto, uma expectativa confiante, inabalável.

Mas existe uma fé que vai além da expectativa, que acredita que a oração é ouvida e a promessa recebida (Mc 11.24).

Como obter uma fé verdadeira

Mas como alguém pode obter essa fé?

Vamos afirmar primeiramente com muita ênfase que não se pode gerá-la por esforço próprio. Muitos leem essa promessa sobre a oração da fé e passam a pedir por coisas que desejam, tentando se convencer de que Deus ouviu a oração. Isso resulta apenas em desapontamento, pois não é fé verdadeira, e o pedido não é atendido. É neste ponto que muitas pessoas vivenciam um colapso em sua fé, pois tentaram desenvolvê-la pelo esforço de sua própria vontade.Como aquilo que eles mesmos se convenceram que receberiam não foi concedido, o próprio fundamento de sua fé fica prejudicado.

Mas como a fé verdadeira é gerada?

Romanos 10.17 responde a essa pergunta: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”. Se quisermos ter fé verdadeira, teremos de estudar a Palavra de Deus e descobrir o que nos é prometido;depois, é simplesmente acreditar nas promessas de Deus. Fé precisa ter uma garantia. Fé não é tentar acreditar naquilo em que se deseja acreditar. Fé é acreditar naquilo que Deus afirma em sua Palavra. Se eu desejo ter fé quando oro, preciso encontrar promessas na Palavra de Deus para apoiar minha fé nelas.

Além disso, a fé vem pelo Espírito. O Espírito conhece a vontade de Deus, e se eu oro no Espírito e olho para ele a fim de que me ensine a vontade de Deus, ele me guiará em oração pelo caminho dessa vontade e me dará fé de que receberei a resposta a essa oração.Em hipótese alguma, a fé verdadeira vem por simplesmente determinar que obterei aquilo que desejo.

Se não existe promessa na Palavra de Deus e nenhuma direção clara do Espírito, não há possibilidade de existir uma fé verdadeira; neste caso, não deveria existir autocondenação por falta de fé. Entretanto, se aquilo que se deseja é prometido na Palavra de Deus, temos todo direito de nos censurar por falta de fé se viermos a duvidar, pois estaríamos fazendo de Deus um mentiroso ao duvidar de sua Palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *