Oração, a guerra russa na Ucrânia, e uma conexão com a Terra Santa

Publicado em: 01/03/2022 Categorias: 2022 / Revive Israel

UM MOVIMENTO GLOBAL DE AVIVAMENTO E RESTAURAÇÃO A PARTIR DE JERUSALÉM PARA JUDEIA E SAMARIA, CHEGANDO AOS CONFINS DA TERRA E VOLTANDO NOVAMENTE PARA ISRAEL…

(Por Guy Cohen, um fruto da congregação do Asher em Akko, Israel)
Como uma nação que esteve sob ameaça por décadas, nós israelitas, temos grande empatia pelos milhões de ucranianos sob a barragem de foguetes e invasão armada. Muitos das congregações messiânicas israelitas, da Ucrânia,  imigraram para Israel e estão acompanhando o que está se desdobrando com uma profunda dor.
Nós somos muito jovens para nos lembrar, mas o mundo viu uma cena similar a essa devastação na Ucrânia antes. Uma guerra russa no sul da Ucrânia 170 anos atrás custou centenas de milhares de vidas. Vamos orar pelo adiamento desse tempo. Vamos orar para que a vontade do Senhor seja feita nas nações e por uma conversão de multidões para ele, em humilde arrependimento.
Conflito anterior
Estranhamente, esse outro conflito teve uma conexão direta com a Terra Santa. Em 1853 uma guerra eclodiu entre o império Russo e o Império Otomano (apoiada pelos ingleses, franceses, sardos e austríacos). O principal campo de batalha foi na Península da Crimeia, no contestado sul da Ucrânia hoje. O pano de fundo que levou à guerra foi o controle enfraquecido dos muçulmanos sultões otomanos sobre as rotas marítimas, que os russos conquistaram, e demandas de conflitos territoriais. Além disso, outra causa direta foi uma disputa pelo controle das regiões cristãs na Terra Santa. Os otomanos muçulmanos oprimiram os cristãos ortodoxos na Igreja do Santo Sepulcro em Belém, o que levou a conflitos entre os Católicos e Ortodoxos.
O Czar russo exigiu o direito de estar envolvido no conflito pela Terra Santa, a fim de proteger os cristãos ortodoxos. Exigiu o direito de escolher o líder da igreja ortodoxa, tal como os católicos tinham recebido através do seu relacionamento com a França, e que as chaves da igreja da Natividade fossem devolvidas para a Igreja Ortodoxa.
Em Paris – 1856, a exaustiva guerra terminou com a Rússia a considerar pela paz. A Rússia concordou em libertar o bloqueio naval à Bessarábia (hoje chamada Moldávia) e desistiu da exigência religiosa de ser guardiã das igrejas ortodoxas. [Entre 1877-1878 outra guerra teve lugar entre a Rússia e os otomanos, após a qual se formou um acordo criando o status quo da Igreja do Santo Sepulcro, que está em vigor até hoje]. Avançando rapidamente um século e meio… Em 2014, a Rússia de Putin invadiu a mesma Península da Crimeia pelo mar; e em fevereiro de 2022 atacou a Ucrânia, tentando retomar a terra e as pessoas que ele afirma pertencerem à Rússia.
Conexão com Israel
Devemos prestar atenção à situação em que Israel se encontra em meio a tudo. Depois de Israel ter manifestado o apoio público à Ucrânia na eclosão desta guerra atual, a delegação russa na ONU postou em resposta uma condenação dos planos de Israel no Golan. A mensagem russa dizia:
“Estamos preocupados com os planos anunciados de Tel Aviv para expandir as atividades de se estabelecer nas Colinas de Golan, que contradizem a Convenção de Genebra de 1949. A Rússia não reconhece a soberania de Israel nas Colinas de Golan, que são parte da Síria”.

 

Em outubro de 2021, Israel anunciou planos para construir 7.000 casas nas Colinas de Golan.

A guerra entre a Rússia e a Ucrânia poderia infelizmente ter repercussões em Israel. Note:

  1. Há forças armadas russas estabelecidas na Síria.
  2. No seu anúncio, os russos não reconheceram Jerusalém, mas sim Tel Aviv.
  3. O parlamento israelita e os principais edifícios governamentais são construídos em terrenos que pertencem à Igreja Ortodoxa, arrendados há 99 anos desde 1951.
  4. Até mesmo um pequeno problema na Igreja do Santo Sepulcro poderia criar reações muito sensíveis.
  5. A Rússia tem fortes acordos tanto com a Síria como com o Irã.
  6. Segundo a Rússia, Golan não pertence a Israel, mas sim à Síria.

Tudo isto poderia conduzir a um cenário de fim dos tempos.

Em setembro de 2018, um míssil defensivo sírio abateu acidentalmente um avião militar russo com soldados a bordo, após ter sido apontado para atingir um avião de combate israelita, despertando muita fúria entre o exército russo. Graças às relações de Putin com Netanyahu, a situação foi acalmada.
O atual governo em Israel tem menos relações com Putin, o que levou a tensões com a Rússia, que estabeleceu relações estreitas com o Irã e as outras potências do Norte.
Como está escrito em Jeremias 1.14: “Do Norte se derramará o mal sobre todos os habitantes da Terra”.

2 respostas para “Oração, a guerra russa na Ucrânia, e uma conexão com a Terra Santa”

  1. DUCEGUAY BRAGA disse:

    Amo Revista Impacto. Quero assinar.
    [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.