O Novo Primeiro-Ministro de Israel

Publicado em: 18/06/2021 Categorias: 2021 / Revive Israel

Um movimento global de avivamento e restauração a partir de Jerusalém para Judeia e Samaria, chegando aos confins da terra e voltando novamente para Israel…

Por Ron Cantor

No domingo testemunhamos o que a maioria dos israelenses sentiu ser um dos momentos mais bizarros e embaraçosos da história do Knesset (parlamento) de Israel. Naftali Bennett estava sendo empossado como nosso novo primeiro-ministro e, enquanto falava, compartilhando sua visão para a nação, foi interrompido e xingado por partidários do ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu – durante todo o seu discurso. Um veterano apresentador de notícias em Israel disse que cobre o Knesset desde que se tornou jornalista e nunca viu nada igual.

[Confira o podcast de Ron sobre o novo primeiro-ministro e os acontecimentos de domingo]

Eu sei que para os crentes, que amam Israel e tem sido fãs de Benjamin Netanyahu ao longo dos anos, este é um momento muito confuso. Mas você deve entender que só porque alguém já foi excelente, não significa que terminará sua trajetória bem. Se tivéssemos limites de mandatos em Israel, acho que o primeiro-ministro Netanyahu teria se aposentado não apenas como um dos maiores chefes de estado da história de Israel, mas de toda a história!
Mas ele não terminou bem.

  1. Em 2019, ele trouxe elementos racistas de extrema direita para o Knesset em um esforço para ajudar a solidificar sua coalizão. As ações desses racistas, agora membros do Knesset, alimentaram as chamas de nosso último conflito com o Hamas.
  2. A maioria dos políticos talentosos de seu próprio partido saiu porque, em vez de levantar uma liderança nova e renovada, ele marginalizou qualquer pessoa que considerasse seu concorrente. Curiosamente, muitos desses rostos mais jovens e inovadores fazem parte da nova coalizão, incluindo Naftali Bennett (novo primeiro-ministro), Avigdor Lieberman (novo ministro das finanças) e Gidon Sa’ar (novo ministro da justiça).
  3. A maioria das pessoas que agora o rodeiam são bajuladores que lhe dizem apenas o que ele quer ouvir.
  4. Quase exatamente um ano atrás, seu governo suspendeu a Shelanu TV, nosso canal de TV a cabo 24 horas por dia, 7 dias por semana, compartilhando as boas novas de Yeshua em hebraico. (Ressurgimos como um canal digital e estamos dando muitos frutos!) Como você acha que Deus se sentiu a respeito disso? E uma das razões pelas quais fez isso foi por causa da pressão dos partidos ultraortodoxos. Esses mesmos ultraortodoxos não estão mais no governo, e isso é bom para Israel!
  5. Benjamin Netanyahu está atualmente sob indiciamento e no meio de um julgamento por três acusações de corrupção. É bem possível que daqui a um ano ele esteja na prisão.

Algumas pessoas expressaram preocupação de que teremos um grupo islâmico no governo. Vamos esclarecer as coisas:

  1. O ex-primeiro-ministro Netanyahu estava negociando com esse mesmo partido na tentativa de formar seu governo. Então ele reclamar sobre isso agora é bastante hipócrita. Mas isso é a política. Em seu discurso, Bennett agradeceu ao primeiro-ministro Netanyahu (no que certamente foi uma provocação) por sua ousadia em abrir a porta para trazer cidadãos árabes de Israel para o governo.
  2. O partido islâmico Ra’am, liderado por Mansour Abbas, não faz parte do governo. Ele simplesmente votou a favor do novo governo em troca de várias concessões, a maioria das quais servirão para fortalecer o setor árabe em Israel. Nada radical.

A maioria dos judeus messiânicos aqui em Israel que conheço são a favor do novo governo. Eu li alguns artigos de especialistas da direita na América que estão apresentando isso como uma tomada de poder pela esquerda, um projeto do “estado profundo” de Israel e resultado de fraude eleitoral. Não conheço nenhuma pessoa séria em Israel que acredite nessas bobagens.

  1. O primeiro-ministro Bennett está mais à direita do que Netanyahu.
  2. Se houvesse um estado profundo, seria leal ao ex-primeiro-ministro Netanyahu, porque ele lidera o país há 12 anos.
  3. A eleição foi em 23 de março e ninguém alegou que houve qualquer fraude até que Yair Lapid e Naftali Bennett anunciaram há duas semanas que tinham votos para formar uma coalizão.

Essas pessoas não moram aqui e estão simplesmente pegando o modelo Trump e aplicando-o a Israel. Eles apresentaram Naftali Bennett, como um manipulador sedento de poder. Embora eu tenha certeza de que ele tem mesmo ambição pessoal, como qualquer político, o público israelense não o vê dessa forma.
Direi o seguinte – Bennett fez algo no final de seu discurso que eu nunca tinha visto Benjamin Netanyahu fazer – ele orou!

“Agora, horas antes de aceitar esta responsabilidade, rogo a Deus que me conceda sabedoria e compreensão para liderar o Estado de Israel.
“‘Pai Celestial, Rocha e Redentor de Israel, abençoa o Estado de Israel, o primeiro florescimento da nossa redenção, guarda-o na tua abundante bondade, estende sobre ele o abrigo da tua paz. Envia tua luz e verdade a seus líderes, ministros e conselheiros e agracia-lhes com teu bom conselho. Fortalece as mãos daqueles que guardam nossa terra sagrada, concede-lhes libertação e adorna-os com a vitória. Dá paz à terra e concede aos seus habitantes a felicidade eterna.’
“Com a ajuda de Deus faremos o que é certo e seremos bem-sucedidos. Amém.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *