O Natal e o Êxodo

Publicado em: 28/12/2021 Categorias: 2021 / Revive Israel

Um movimento global de avivamento e restauração a partir de Jerusalém para Judeia e Samaria, chegando aos confins da terra e voltando novamente para Israel…

Por Asher Intrater

Este ano o Natal está sendo celebrado por grande parte do mundo cristão, enquanto os judeus religiosos estão lendo os primeiros capítulos de Êxodo como a porção semanal da Torá.

Suponho que a maioria não vê uma ligação entre os dois. No entanto, o Natal perde em seu contexto histórico sem o Êxodo; e Êxodo perde seu cumprimento espiritual sem o nascimento de Yeshua. O elemento comum é o nascimento do salvador.

Moisés nasceu para ser o salvador de Israel da escravidão no Egito. Ele é visto como uma imagem simbólica da vinda do Messias. Moisés nasceu com proteção sobrenatural (Êxodo 2) e é um em uma série de nascimentos sobrenaturais de figuras salvadoras que levaram ao nascimento de Yeshua.

A primeira profecia do nascimento do salvador é a “semente da mulher” em Gênesis 3.15.

A partir desse ponto uma batalha espiritual começa para matar a semente que vem. Abel foi o primeiro a ser morto. Houve diferentes ataques contra as famílias dos patriarcas.

Quando Moisés nasceu, ele estava protegido, mas a maioria das crianças do sexo masculino judeu na época foram mortas (Êxodo 1). O assassinato das crianças israelitas do sexo masculino foi instigado pelos medos e ciúmes do Faraó, mas também reflete uma tentativa espiritual satânica de impedir a vinda da Semente que esmagará a cabeça da serpente.

No momento do nascimento de Yeshua, Ele também foi protegido por intervenção angelical (Mateus 2.13). Ao mesmo tempo, todas as crianças do sexo masculino de dois anos para baixo em Belém foram mortas (Mateus 2.16). Há um paralelo na história entre o nascimento de Moisés e Yeshua, e um paralelo no assassinato das crianças. Na verdade, o paralelo inclui o assassinato dos judeus ao longo de toda a história (Mateus 2.18, Jeremias 31.15).

Há uma série de nascimentos sobrenaturais ao longo das Escrituras, começando com os patriarcas. Sarah, Rebeca e Raquel eram todas estéreis. Os maridos tiveram de orar para que dessem à luz. O parto de Sara foi particularmente sobrenatural, já que ela já havia passado da idade de ter filhos.

O nascimento sobrenatural e a guerra satânica sobre a criança continuam até o nascimento de Yeshua. O “nascimento e batalha” é descrito como um padrão espiritual universal em Apocalipse capítulo 12, onde a serpente tenta matar o homem-filho e todos os outros descendentes da mulher.

Yeshua nasceu através da virgem Maria, que foi desposada de José, descendente de Davi. Alguns zombavam da ideia de um nascimento através de uma virgem. Uma virgem dando à luz é certamente um nível maior de sinal milagroso do que o nascimento de Isaque de seus pais idosos. 

No entanto, vamos comparar o nascimento de Yeshua com a criação de Adão e Eva.

O nascimento de Yeshua como filho de Deus tem mais importância espiritual do que a criação de Adão. No entanto, a criação de um ser humano a partir do solo da terra é ainda um milagre mais “difícil” em termos físicos.  Adão também é referido como o “filho de Deus” (Lucas 3.38).

O tema do nascimento sobrenatural do salvador da semente, e a tentativa satânica de matar os descendentes começa no livro de Gênesis, continua através dos patriarcas, do Êxodo e dos profetas. Ela é cumprida no nascimento de Yeshua, e é expandida para um padrão espiritual universal na reflexão e história cristã e judaica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *