O Messias Precisa Morrer

Publicado em: 20/01/2014 Categorias: 2014 / Revive Israel

Asher Intrater

Hoje, em Israel, assim como no tempo de Yeshua, ainda há uma expectativa de que o Messias venha para governar como rei e traga a paz mundial. O conceito de que o Messias precisa vir primeiro para morrer (e somente depois para reinar) é muito difícil para o nosso povo compreender. No entanto, os antigos profetas israelenses profetizaram de forma direta a morte do Messias em três ocasiões:

Daniel 9.26: “… será morto o Ungido e já não estará; e o povo de um príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário.

Essa passagem revela quando o Messias morrerá. A palavra “morto” ou “cortado” é semelhante à ideia de cortar uma árvore e implica que a pessoa será morta antes de atingir a velhice. Ele precisa morrer antes da destruição do Segundo Templo em 70 d.C. Alguns seguidores do Rabino Schneerson (do movimento Chabad Lubavitch) alegam que ele era o Messias. Isso não pode ser verdade já que ele morreu com idade avançada mais de 1900 anos depois que o Templo foi destruído.

Zacarias 12.10: “E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquele a quem traspassaram.”  

Aqui aquele que derramará o Espírito de Deus é o mesmo “aquele a quem traspassaram”. Isso nos revela quem ele é e como a sua morte ocorre. Para alguém ser traspassado, ele precisa ter um corpo. Para derramar o Espírito, ele precisa ser divino. Então, o Messias tem que ser uma figura divina que é traspassada em forma humana.

Isaías 53.8: “Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido.”

Esse verso nos diz por que o Messias precisa vir para morrer primeiro. A palavra “cortado” aqui significa que foi por um decreto legal. A sentença de morte é dada por causa do pecado do “meu” povo, os filhos de Israel.

O comentarista rabínico, Rashi, afirmou que Isaías 53 refere-se ao sofrimento do povo judeu nas mãos dos gentios (compare com Romanos 11.12, 15 e Mateus 2.16). Contudo, isso não pode ser o seu significado principal já que a figura messiânica singular aqui está sofrendo pelo “meu povo”.

Quando o Rabino Schneerson ficou doente, alguns Lubavitchers (adeptos do Chabad Lubavitch) diziam que ele estava cumprindo Isaías 53. Outros grupos judaicos reclamaram que eles estavam concordando com a interpretação messiânica dos cristãos. Eles responderam que Isaías 53 de fato se refere ao Messias, mas que foi Schneerson quem o cumpriu.

Ariel Sharon, 1928 – 2014

Ariel Sharon, o 11º primeiro-ministro de Israel, foi talvez o maior general do exército israelense moderno. Ele nasceu em Israel, no dia 6 de fevereiro de 1928, e era, assim como muitos dos fundadores, em seu coração, um fazendeiro. Ele amava a sua terra e o seu povo.

Ele lutou na guerra pela Independência de Israel (1948) e foi ferido na sangrenta batalha de Latrun. Nos anos 1950, ele se tornou o comandante da famosa unidade 101 que lutou contra os infiltrados e terroristas Fedayeen. Na Guerra de Yom Kippur (1973), muitos reconhecem que ele impediu a nação de ser aniquilada por sua atitude ousada de atravessar o Canal de Suez e atacar o Egito em represália. Como Ministro da Defesa, ele liderou Israel na guerra no Líbano em 1982 e foi culpado internacionalmente por ter permitido que as forças cristãs libanesas do sul matassem muçulmanos nas cidades de Sabra e Shatilla.

Sharon promoveu a construção de assentamentos nos territórios de Judeia-Samaria-Gaza; e ficou conhecido como o “pai” dos assentamentos. Em 2004, como primeiro-ministro, ele chegou à conclusão de que os palestinos nunca fariam um acordo de paz, e que, numa batalha, seria impossível defender os pequenos assentamentos na Faixa de Gaza rodeados por um milhão de muçulmanos fanáticos. Por isso, ele tomou a decisão tática de remover unilateralmente os 8.500 judeus que tinham se estabelecido lá. A decisão, embora altamente controversa, foi aprovada rapidamente no Knesset (parlamento de Israel), e a ação foi executada dentro de poucos meses.

Após ter sofrido um AVC em 2006, ele permaneceu em coma no hospital Sheba por 8 anos e faleceu no penúltimo Shabbat. Ele foi enterrado ao lado da sua esposa Lily na sua propriedade rural perto de Sederot.

(Picture Credit: Jim Wallace (Smithsonian Institution)

Curada de Câncer

Na sexta-feira, dia 10, num dos principais canais de notícia de Israel (Canal 2), foi documentada uma história miraculosa de cura. Na perna de uma mulher cristã árabe (Therese Daoud) do norte de Israel, foi encontrado um tumor cancerígeno do tamanho de uma laranja. Os médicos concluíram que a perna dela deveria ser amputada. No entanto, a cirurgia foi cancelada por três vezes e isso fez com que ela acreditasse que não deveria seguir adiante com a intervenção médica, mas, sim, orar. Cinco meses depois, ela voltou ao médico para fazer os próximos testes e descobriram que o seu tumor tinha desaparecido completamente. O médico relatou: “Eu nunca vi nada parecido nem ouvi falar de algo semelhante”. Daoud disse à televisão de Israel: “É um presente de Deus”.

O Jejum de Ester

Agende no seu calendário o nosso Jejum de Ester anual que acontecerá na quinta-feira, dia 13 de março, das 6h às 18h (horário de Israel), e será transmitido ao vivo. Os tópicos de oração, as programações e os links serão enviados nas próximas semanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *