O Discípulo Preparado e Apercebido

Publicado em: 03/03/2012 Categorias: Arauto / Cisternas Rotas

Arauto - Ano 17 - nº 01 - Jan/Mar 1999

Por: W. C. Moore

O discípulo preparado, o discípulo apercebido, será sempre um discípulo ocupado. “Negociai até que eu volte”, (Lucas 19.13) foi a ordem do Senhor. Ele não só deve estar ocupado, “negociando”, mas deve estar ocupado fazendo precisamente aquilo que o Senhor lhe deu especificamente para fazer. Ele disse: “A cada um a sua obra” (Marcos 13.34). Cada um de nós terá de prestar contas a Deus pelas obras praticadas no corpo, para que receba o galardão de acordo com a sua obra.

Este galardão só pode ser recebido, evidentemente, por aqueles que já foram em primeiro lugar convertidos, nascidos de novo. Somos salvos pela graça por meio da fé. Depois disso, recebemos galardão de acordo com nossas obras. O plano de Deus é que sejamos dedicados e ocupados dentro da Sua vontade e no Seu glorioso serviço até que Jesus volte outra vez.

Isto de forma alguma exclui a oração. Sem Cristo não podemos fazer nada. Oração e esperar no Senhor são tão importantes que Jesus diz enfaticamente: “Vigiai em todo tempo, e orai para que sejais havidos por dignos de escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem” (Lucas 21.36).

As Primeiras Coisas em Primeiro Lugar

É muito mais importante e necessário para nosso bem-estar espiritual e eterno que conheçamos a vontade de Deus para nossas vidas, e que nos ocupemos com ela, do que até mesmo fazer provisão para as necessidades temporais. Jesus diz: “Buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.33). “Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” (Efésios 5.17).

Como ficaríamos envergonhados se naquele grande dia de prestação de contas (Romanos 14.10,12), tivéssemos que dizer ao Senhor que nunca tomamos o tempo, nem nos despertamos suficientemente para tentar descobrir qual era a vontade Dele para nossas vidas — e muito menos nos ocupamos em fazê-la até o fim da nossa vida.

“E agora, filhinhos, permanecei nele, para que quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda” (1 Jo 2.28).

Agora é o tempo de olhar por nós mesmos e ver se estamos PREPARADOS para a vinda do Senhor, NEGOCIANDO até que Ele venha.

Cristãos na Prateleira

Uma razão por que alguns cristãos anteriormente usados por Deus agora estão “na prateleira”, é que seu afável primeiro amor foi vazando até acabar. “Fazei todas as vossas obras com amor” (1 Coríntios 16.14). Já que a Palavra de Deus nos ordena a fazer todas as coisas em amor, se não estivermos cheios do afável amor de Deus por outros cristãos e pelos pecadores, não será surpresa alguma se Deus não puder nos usar. Se não pudermos fazer as coisas em verdadeiro e santo amor. Deus não poderá participar do nosso pecado e ajudar-nos a realizar estas obras sem amor.

Profundo e sincero arrependimento é a única maneira de ter o favor de Deus restaurado a nós neste caso. “Deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te de onde caíste! Arrepende-te, e pratica as primeiras obras. Se não te arrependeres, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres” (Apocalipse 2.4,5). “Eis que cedo venho!” Amigos, quando chegar o fim, vai nos pegar de surpresa se não estivermos preparados. De repente, descobriremos que o fim já nos apanhou. Ah, que você e eu fôssemos despertados agora, quando temos toda oportunidade de fazer a bendita vontade de Deus! “Eis que cedo venho! A minha recompensa está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra” (Apocalipse 22.12).

Necessidade de Poder

Depois de alguém se converter e ter a paz de Deus no seu coração, ele precisa ser revestido com poder do alto. Precisa receber o batismo no Espirito Santo. Imediatamente depois do versículo 17 em Efésios 5, lemos: “Enchei-vos do Espírito”. Precisamos do Espírito de Deus para dar-nos o poder para fazer Sua vontade.

“Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes?” (Atos 19.2). “Tendo nele crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” (Efésios 1.13). Como Finney mostrava, há uma diferença entre ter a paz de Deus no nosso coração e ter o poder de Deus operando através de nós. Os convertidos a Cristo pelo ministério evangelístico de Filipe creram e foram batizados na água. Quando Pedro e João desceram para Samaria, oraram por estes felizes recém-convertidos, não para que fossem salvos, mas para que recebessem o Espírito Santo. Ver Atos 8.4-17.

O batismo no Espírito Santo é dado por dois motivos muito importantes: primeiro para podermos viver uma vida de vitória, andando no Espírito e não satisfazendo a cobiça da carne (Gálatas 5.16) — pelo Espírito mortificando as obras do corpo (Romanos 8.13): e segundo, para que cada um tenha poder, o próprio poder de Deus pela habitação interior do Espírito de Deus, a fim de realizar aquela obra específica que cada um é chamado por Deus a fazer. Ver Atos 1.8 e 1 Coríntios 12.7.

Cada um não deve considerar a si mesmo acima do que convém, mas devemos andar humildemente com Deus e ver Sua obra se manifestar através das nossas vidas. Uma árvore é conhecida pelos seus frutos. Qual é o fruto da minha vida? Qual o fruto da sua vida? Que resultados seguem meu exemplo e ensinamento? O capítulo 12 de Romanos deve ser lido justamente neste contexto.

Se algum leitor ainda não foi cheio do Espírito Santo, suplico-lhe que apresente seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, e que peça a Deus em fé para lhe dar a plenitude do Espírito Santo — não para que sinta feliz ou tenha uma sensação maravilhosa, mas para que tenha o poder de Deus habitando na sua vida, a fim de sempre poder viver uma vida vitoriosa, vencedora, como luz brilhante, e que possa ter o poder de realizar exatamente a obra que Deus designou que fizesse — NEGOCIANDO até que Ele venha!

Amigos, AGORA é o tempo aceitável. Suplico-lhe que dé atenção ao assunto de fazer a vontade de Deus AGORA. Ó que despertamento horrível e assombroso ocorrerá àqueles que brincam com as coisas eternas de Deus! Ande enquanto há luz, para que as trevas não lhe sobrevenham. Honre a Deus para que Ele o honre naquele grande dia que virá tão brevemente. Não se importe tanto sobre o que as pessoas possam pensar, dizer, ou fazer. Mas suplico-lhe para que se IMPORTE DE VERDADE com o que a Palavra de Deus diz.

“Enchei-vos do Espírito.” “Negociai até que eu venha.”

“As virgens que estavam PREPARADAS entraram com ele para as bodas. E fechou-se a porta” (Mateus 25.10). Estas palavras de ânimo e de advertência vieram dos lábios Daquele cujas mãos foram furadas com cravos cruéis por você!

W. C. Moore (1890 – 1980) foi co-fundador e redator do “Herald of His Coming” (Arauto da Sua Vinda).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *