O Coração que Deus Reaviva

Publicado em: 12/02/2012 Categorias: Arauto / Reaviva o Dom de Deus

Arauto - Ano 21 - nº 05 - Set/Out 2003

Por: Nancy Leigh DeMoss

Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito não o desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17).

Pessoas Orgulhosas…

• Focalizam nas falhas dos outros.

• Têm um espírito crítico; vêem as falhas dos outros com microscópio, enquanto vêem as próprias com telescópio.

• Possuem senso de justiça própria; consideram-se superiores aos outros.

• Têm um espírito independente, auto-suficiente.

• Precisam provar a todos que estão com a razão.

• Reivindicam seus direitos e são exigentes sobre eles.

• São defensores de seu tempo, seus direitos e sua reputação.

• Desejam ser servidas.

• Desejam ser bem-sucedidas.

• Procuram se autopromover.

• Sentem grande necessidade de ser reconhecidas e valorizadas.

• Pensam no seu subconsciente: “Esta igreja (ministério) é privilegiada por contar comigo e com meus dons”.

• Sentem confiança naquilo que conhecem.

• Estão sempre preocupadas consigo mesmas.

• Mantêm distância dos outros.

• São rápidas para culpar os outros.

• São inacessíveis ou defensivas quando criticadas.

• Preocupam-se com sua reputação, com o que os outros pensam; esforçam-se para proteger sua imagem.

• Acham difícil dividir suas necessidades espirituais com os outros.

• Quando pecam, querem garantir que ninguém descubra o que fizeram; seu instinto é encobrir.

• Têm muita dificuldade em dizer: “Eu errei; você pode me perdoar?”

• Sua tendência é falar em termos gerais, na hora de confessar pecados ou fraquezas.

• Preocupam-se com as conseqüências dos seus pecados.

• Sentem remorso pelo pecado, lamentam o fato de terem sido descobertos.

• Esperam que o outro venha e peça perdão quando há desentendimento ou conflito em relacionamentos.

• Comparam-se com outros e sentem que os outros lhe devem honra.

• Estão cegos quanto à sua verdadeira condição de coração.

• Não acham que precisam se arrepender de nada.

• Não acham que precisam de avivamento, embora tenham certeza de que todos os outros precisam.

Pessoas Quebrantadas…

• Sentem-se inundadas com a percepção da sua própria necessidade espiritual.

• Têm um espírito compassivo; perdoam porque sabem o quanto elas próprias foram perdoadas.

• Estimam a todos os outros como superiores a si próprias.

• Têm um espírito dependente; reconhecem sua necessidade de outros.

• Estão dispostos a ceder seu direito de ter razão.

• Cedem seus direitos; possuem um espírito manso.

• Negam a si próprios.

• São motivadas a servir os outros.

• São motivadas a serem fiéis e a contribuírem para o sucesso dos outros.

• Desejam promover os outros.

• Sentem-se profundamente indignas; alegram-se por serem usadas por Deus assim mesmo.

• Sua atitude de coração diz: “Nem sou digno a participar deste ministério”. Sabem que nada têm a oferecer a Deus senão a vida de Jesus fluindo através de suas vidas quebradas.

• Sentem-se humilhados por ainda terem de aprender tanta coisa.

• Não estão preocupadas consigo mesmas.

• Estão dispostas a correr o risco de se aproximarem de outros e de amarem os outros com mais intimidade.

• Aceitam responsabilidade pessoal e conseguem enxergar onde erraram em determinada situação.

• Recebem crítica com espírito humilde e aberto.

• Estão preocupadas com o que é real; o que lhes importa não é o que os outros pensam, mas o que Deus sabe a seu respeito. Estão dispostas a sacrificar sua própria reputação.

• Estão dispostas a serem abertas e transparentes com outros conforme Deus dirigir.

• Depois de quebradas (ou humilhadas), não importam sobre quem fica sabendo ou quem vai descobrir; estão dispostas a serem expostas porque nada têm a perder.

• Admitem que erraram sem demora e buscam perdão quando necessário.

• Conseguem admitir detalhes específicos na hora de confessar pecado.

• Sentem tristeza pela causa, pela raiz do seu pecado.

• São verdadeiramente arrependidas sobre seu pecado, e dão evidência disso através de abandonarem aquele pecado.

• Tomam a iniciativa de se reconciliarem quando houver desentendimento ou conflito em seus relacionamentos; correm para a cruz e procuram chegar lá primeiro, indiferente do erro ou culpa da outra parte.

• Comparam-se à santidade de Deus e sentem necessidade profunda pela sua misericórdia.

• Andam na luz.

• Reconhecem que precisam continuamente de arrependimento de coração.

• Sentem continuamente sua necessidade por novo encontro com Deus e por novo enchimento do seu Espírito Santo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *