O Altar da Família: O Alicerce Certo

Publicado em: 21/07/2012 Categorias: Arauto / Como Ensinar o Evangelho Para as Crianças

Arauto - Ano 11 - nº 01 - Abr/Jun 1993

Por: Norman V. Williams

O altar da família (o culto familiar) é o grande instrumento de “instrução” na Palav ra de Deus. Os filhos devem ser en­sinados. Comece cedo. Deixe a Palavra de Deus penetrar nas suas mentes e corações desde os primeiros dias. Confie no Espírito Santo para implantá-la com Sua sabedoria, muito embora a criança por si mesma ainda não tenha capacidade para retè-la. A varinha não será tão necessária quanto alguns temem, se a instrução fie! e diária dos filhos, desde o começo, for praticada!

Somente a sabedoria divina pode produzir o temor e o conhecimento de Deus (Pv 2:5). a santidade prática (Pv 2:7-9). a preservação das tentações que nos cercam (Pv 2:10-19) e a direção para o caminho certo e seguro (Pv 2:20).

E, antes de tudo, a palavra no coração (não na cabeça) que é eficaz. Os bebês podem ter a Palavra nos seus corações muito tempo antes de poderem implantá-la nas suas mentes. Deus nos ensina que. uma vez que a Sua Palavra é semeada no coração, ela serve para moldar a vida toda. (Pv 24:13; Jó 23:12: SI 119:103: Jr 15:16).

Ao invés da cabeça então passar a Palavra para o coração (como estamos tão propensos a acreditar nesta época superficial), será que a verdadeira direção não seria o inverso, isto é, o coração pas­sa a Palav ra para a cabeça com tanto poder e vida através do Espínto Santo, que atinge todas as faculdades da mente com uma convicção ardente? Nós. definitivamente, achamos que sim!

Bem antes de uma criança começar a pensar, ela está diariamente em contato com sons e sinais. Estas impressões for­mam a base que ela. futuramente, usará para formar pensamentos. Se formos sá­bios. aprenderemos uma lição aqui. Sature o coração, os ouvidos, e os olhos da criança com a Palavra de Deus antes mes­mo que ela seja capaz de pensar. Depois, quando o processo de pensar começar a funcionar, seus pensamentos estarão fundamentados nestas impressões, naqui­lo que ouviu, viu e sentiu no coração até então, para guiar seus pensamentos e dar a sua tonalidade e direção!

Uma mãe ouviu seu filhinho dizer um palavrão antes mesmo que ele tivesse qualquer idéia do que isto significava! O pensamento não estava lá, mas a impres­são sensitiva estava! Naturalmente, quan­do ele começar a pensar, seus pensa­mentos seguirão estas palavras, os sons e impressões sensitivas que recebera. Em outras palavras, ele extrairá o significado do que ele já tem através dos sentidos e impressões emocionais. A maioria dos bebês fica saturada com as coisas do mundo desde o começo. Não é de se es­pantar que começam a pensar desta ma­neira, se estão tão longes de Deus!

Nós alimentamos o bebê antes que tenha a menor idéia da utilidade da comida. Mas o seu corpo está formado de tal forma que ele pega a comida e a transforma em energia, a qual pode, mais tarde, ser transformada em energia cere­bral. Por que não o alimentarmos com a Palavra de Deus antes que ele tenha qualquer idéia do que seja tudo isto? A sua pequena e impressionável alma a receberá, e aquele coraçãozinho, de al­gum modo. pelo poder de Deus guardará as v isões, os sons e as impressões da Sua Palavra e os transformará em energia di­vina que poderá, mais tarde, ser transfor­mada em pensamentos e idéias.

A verdade da questão é esta: uma criança pode ser impressionada muito tempo antes dela poder se expressar. Ela tem a capacidade de receber impressões muito antes dela poder pensar ou compreender, Desde o momento do nasci­mento. ela é um pacotinho de vida que está recebendo impressões através da visão, da audição c do coração. O que ela ouve. vê e sente fica alojado no seu coração e quando ela começar a pensar, suas expressões serão resultado das suas impressões. Suas impressões providen­ciam o molde em que seus pensamentos e interesses serão formados.

O ponto central do treinamento pre­maturo (no estágio do pré-pensamento) é preparar o molde, isto é. preparar a criança para pensar e entender, para que quando este estágio chegar, ele possa pensar segundo os pensamentos de Deus desde o princípio. Lembre-se do que Jesus disse: “Do coração procedem as fontes da vida”.

Saturamos os nossos bebês com a Palavra de Deus pelo mesmo motivo que o construtor traz suas ferramentas e materiais para o local do projeto de construção: para que estejam lá quando ele estiver pronto para começar a trabalhar.

Você acha que estou exagerando sobre as impressões! Os médicos nos dizem que um bebê. durante os nove meses de gestação, recebe impressões e influências para o bem ou para o mal através das ações, do estado de humor, dos pensamentos e dos sentimentos da mãe. A vida está sendo influenciada e o molde para os futuros pensamentos, ações e decisões, está sendo implantado pela mãe antes mesmo do nascimento!

Na Palavra de Deus isto é confir­mado: “Ouvindo esta a saudação de Mana. a criança lhe estremeceu no ventre; então Isabel ficou possuída do Espírito Santo” (Lc 1:41).

Aproveite Bem os Primeiros Anos

Agora a questão real não é se a criança pode receber as impressões da palavra de Deus. mas se nós as daremos’.’

Quando se satura um bebê com a Palavra, ela trabalha sobre ele. dentro dele. e através dele. Em Hebreus 4:12.13 nós lemos: “Porque a Palav ra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espirito, juntas e medulas, c apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.”

A Palavra é uma espada, e ela pode cortar e penetrar antes da idade da razão; para cortar e penetrar não é necessário ter que esperar pela razão. Isto deve iluminar e encorajar cada pai e mãe no seu fiel tra-balho de compartilhar a Palavra de Deus com seus filhos.

A maior tragédia da cristandade e para a causa de Cristo é o completo desperdicio dos primeiros quatro anos preciosos de oportunidade. A criança neste estado sensível, transparente e impressionável desde o seu primeiro dia até os seus quatro anos de idade oferece a oportunidade incomparáv el para cada pai de lançar a Palavra de Deus profundamente na sua vida como um firme fundamento para tudo o mais que vier em seguida.

Seja um missionário desta verdade maravilhosa para os casais recém- casados e para aqueles que esperam se casar. Há muito poucos pais que compreendem a importância destes anos

Lembro-me de um garoto de dois anos em Walerloo. Iovva. EUA. Ele foi criado da maneira que estamos defendendo aqui. “desde o nascimento” no altar ou culto familiar. Resultado” Certo dia pediram que ele desse graças antes da refeição. Quando ele estava orando, verso após verso das Escrituras fluíam dos seus lábios. Seus pais tinham imprimido estes versículos nos períodos em que a família se reunia para adorar nos dois anos anteriores a este fato. Pensavam que aqueles versos tinham entrado por um ouvido c saido por outro. Mas naquele dia eles descobriram que o seu garotinho os tinha ouvido e gravado.

Dois anos de idade e salvo, cheio das Escrituras e evidenciando um desejo real e ardente pela salvação dos seus parentes não salvos. Isto é um milagre” É. mas não do tipo que não possa ser repetido por todos os pais nascidos de novo na criação dos seus filhos. Como” Pela fé. plantando a Palavra de Deus desde o início na vida do seu filho. Leitor, não só creia nisto, mas pratique e veja Deus honrar a você e ao seu filho além das suas maiores expectativas!..

Philip Henry foi zeloso c sincero na sua prática do culto familiar. Além do plano regular de leitura c exposição das Escrituras de manhã e à noite, ele costu­mava recomendar que cantassem dizendo que esta era uma maneira de mostrar a vida de Deus. como o cordão de fio escar­late de Raabe. para todos que passam em frente à janela (Js 2:18; SI 118:15)….

Philip Henry aconselhou seus filhos a pegar um verso do Salmo 119 a cada manhã para meditar, e desta forma repetir o Salmo duas vezes no ano “E isto”, ele disse, “fará vocês se apaixonarem por todo o resto das Escrituras…”

“Famílias Que Oram Juntas Permanecem Juntas”

O poder do culto familiar diário para manter a família unida em amor e santi­dade fica bem ilustrado por um testemu­nho lido recentemente.

“Eu era um hóspede na casa de pessoas quase desconhecidas, e quando sai para a sala de jantar notei que sentiram um pouco de confusão e um leve embaraço, mas pediram que eu desse graças e continua-ram a tomar o café da manhã.

“Na manhã seguinte o pai disse: ‘Nós fizemos de você um membro da família agora, c antes de nos sentarmos vou lhe dizer como as coisas funcionam aqui Vo­cê sabe. nós não temos muito tempo para orarmos em família, por isso uma regra nesta casa é que deve haver um círculo ininterrupto na mesa do café da manhã Antes de nós nos sentarmos, cada membro da família, a começar com o Jimmy de quatro anos. repete um versículo das Escrituras, c depois disto damos as mãos ao redor da mesa c repetimos a oração do Pai Nosso, e depois eu faço urna breve oração.’

“Depois desta explicação. Jimmv iniciou com: ‘Deixafos pequeninos, não os embaraceis de vir a mim. porque dos tais é o reino dos céus.’

“Mais tarde eu soube que era permitido que o filho de quatro anos repe­tisse o mesmo versículo durante um mês. que o de oito anos (Ah. sim. tinha gente de toda idade, pois havia dez filhos), devia ter um versículo novo a cada semana, e que os filhos acima de doze anos dev iam ter um versículo novo a cada manhã, o qual não deveria ser repetido pelo prazo de trinta dias.

“Poucos meses depois disto eu estava numa cidade universitária, e lá conheci o filho mais velho da família. Eu lhe disse: ‘Que bela família você tem lá na sua terra natal.’

“‘Sim, senhor,'” e seus olhos brilharam com prazer.

“Depois dc conversar com ele por alguns minutos, eu disse: ‘Você se importaria de me contar de que você mais sente falta agora que você está longe de casa

“O garoto hesitou um instante. Não é fácil para um rapaz naquela idade revelar os sentimentos mais profundos do seu coração. Então, embora um profundo rubor se mostrasse abaixo da sua pele bronzeada e sardenta, ele olhou direta­mente nos meus olhos e respondeu: ‘É o dar as mãos em volta da mesa do café da manhã. Se eu pudesse sentir o aperto de mão do meu pai e repetir com a família a oração do Pai Nosso, o dia começaria certo e nada mais teria importância de­pois disto!”

“Novamente ele hesitou mas concluiu corajosamente, com um ar de rouquidão na sua voz: A lembrança daquelas ma­nhãs em casa fica entre mim e as tenta­ções. ela me faz andar no caminho reto.”

Do livro. The Christian Home (O Lar Cristão) de Norman V. Williams. Moody Bible Institute of Chicago. Moody Press.

Pais Que Constroem

Alguns pais são sábios, não apenas inteligentes, não só informados, não ne­cessariamente formados na faculdade, mas sábios.

Aprenderam a construir – não prédios como casas e igrejas, escolas e fábricas ou móveis, ou mesmo maquinários – mas vidas.

Eles não constroem corn materiais físicos como ferro c concreto, tijolos e blocos, madeira e vidro, argamassa e pregos.

Eles constroem o espirito de uma criança com uma substância eterna. Sua planta é a Palavra de Deus. Escondida nos seus próprios corações, ela mostra uma maneira de viver. Esta maneira de vida, seguida diariamente, se torna um guia para seus filhos. A vontade dc Deus, quando ensinada, proporciona um sólido alicerce para um futuro incerto

Não há substituto para o tempo que um pai gasta lendo a Bíblia, buscando nas suas páginas pelo alimento para a sua alma. meditando nela. respondendo em obediência à sua mensagem, compar­tilhando com a família.

Tais homens são sábios. Tais homens são necessários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *