Levanta-te, África!

Publicado em: 06/11/2018 Categorias: 2018 / Revive Israel

Yoni Koski

A França era o único time “africano” na final da última Copa do Mundo, de acordo com o Vice-Presidente do Quênia, William Ruto – realmente, metade do time francês era de origem africana!

Seria o seu sucesso um indicativo de uma ascensão da África, ou seria apenas uma expressão das dificuldades que muitos africanos enfrentam no Ocidente para atingir melhores patamares em qualquer área exceto o esporte?

Dividido entre a França, o único time africano nas finais, e a Croácia, meu favorito e azarão, eu acho que torcerei pela Croácia nestas finais!
Ao mesmo tempo, parabenizo os ingleses pela ótima performance.
Foi, de fato, um Brexit!

Onde Tudo Começou
Revive Israel apoiou um evento recente em Addis Ababa, Etiópia, a capital política da África e base do quartel general da União Africana e da Comissão Econômica da ONU na África – e provavelmente a terra natal da rainha de Sabá mencionada na Bíblia e do eunuco etíope de Atos 8.

O objetivo do Fórum de Reparação Afro-israelense foi abordar as verdadeiras raízes de alguns dos problemas da África. O conceito central foi de que a África nunca se arrependeu de maneira coletiva dos pecados do Egito contra o povo judeu (Êx 1.8-14), trazendo uma maldição, no fim das contas, não apenas sobre o Egito mas para toda a África por extensão, assim como o pecado de Acã trouxe maldição para todoo Israel (Js 7.20). As maldições do Egito, como a escravidão, tirania e infanticídio, posteriormente afligiram a África, que teve como consequência uma longa história de escravidão, governos muitas vezes tirânicos e uma alta taxa de mortalidade.

Maldições Transformadas em Bênçãos
A ampla representação africana no fórum arrependeu-se em nome de seus precursores egípcios, pedindo perdão aos judeus presentes, e buscando alinhar-se com Israel. Ali houve uma profunda reconciliação também entre etíopes e Judeus etíopes, assim como os brancos foram perdoados pelos pecados do colonialismo, neocolonialismo, racismo e escravidão dos negros. Também presentes, estavam os judeus altos, de pele escura do Sudão do Sul e do oeste da Etiópia, da tribo Neur (Is 18.7), que foram profundamente tocados por Deus.

Vários eventos interessantes ocorreram quase ao mesmo tempo:

  1. Durante o fórum, um tratado de paz foi assinado entre facções tribais em guerra, responsáveis pela morte de dezenas de milhares de pessoas no Sudão do Sul, incluindo muitos da tribo de Neur. (veja aqui).
  2. No dia em que deixamos a Etiópia, um evento foi realizado em favor dos 120 membros do parlamento etíope, encorajando-os fortemente a mudarem sua embaixada para Jerusalém.
  3. O recém-eleito Presidente cristão da Etiópia, na disputa pelo Nobel da Paz, Abiy Ahmed (veja aqui) normalizou as relações com a vizinha Eritreia, após décadas de combates amargos e mortes de dezenas de milhares (veja aqui).

Começando no Egito
Então, existe algum indício bíblico de um novo alvorecer na África? Existe um padrão bíblico no fato de Israel entrar no Egito em tempos de dificuldade: Abraão em tempos de fome, além de Jacó e José; Yeshua, Maria e José eram refugiados políticos, e no futuro parece que Yeshua entrará no Egito em tempos de dificuldade (Is 19.1), o que fará parte de sua estratégia de recuperar o planeta terra (Ap 1.7), a caminho de Israel. Este padrão bíblico é resumido em Oseias 11.1: “e do Egito chamei o meu filho”.

Então, por que o Egito? Em Isaías 19.25,o Egito recebe um título extraordinário de Deus: “o Egito, meu povo”. Por quê? Precisamos olhar de volta para Gênesis! O filho primogênito de Abraão era Ismael, filho de uma mãe egípcia e marido de uma esposa egípcia. Deus disse a ele que seria o pai de “uma grande nação” (Gn 17.20) – note que NÃO são “nações” e, dado sua etnia e proximidade, claramente se refere ao Egito! Na cultura bíblica, o papel de liderança e proteção do irmão mais velho é muito importante –assim sendo, o irmão mais velho, segundo a carne, deve proteger fisicamente e abençoar o mais novo, Isaque – filho da promessa.

Uma Nova África
Salmos 68.31 foi o versículo que serviu de guia para o Fórum de Reparação Afro-israelense:

Príncipes vêm do Egito; a Etiópia corre a estender mãos cheias para Deus”.

Assim como o remanescente do Egito tem entrado em um novo alinhamento com o remanescente de Israel, a Etiópia é chamada para liderar a África para abençoar Israel, liberando uma onda de bênçãos no fim dos tempos por todo o continente. Será que estamos para ver uma reversão na escravidão, corrupção e ditadura, uma explosão de reavivamento na África? Poderia um continente que durante séculos serviu outras nações se levantar agora e se tornar o primeiro entre iguais? Devemos orar juntos para que a África seja liberada para a plenitude de seu destino no Senhor!

História do Revive Israel

Asher Intrater nos conta a história de como o ministério Revive Israel começou e tem se desenvolvido durante a última década.

Legendas em:chinês, dinamarquês, holandês, francês, coreano, polonês, português e espanhol.

3 respostas para “Levanta-te, África!”

  1. Yago Goulart disse:

    Sensacional artigo. Que os cristãos de nossa nação se atentem cada vez mais a nação de Israel.

  2. Luis Carlos disse:

    Abençoarei aqueles que te abençoarem e amaldiçoarei aqueles que te almadiçoarem.. GN 12. Shalom Israel.

  3. Antonio disse:

    Que assim seja Senhor. Amém !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *