Homens Negros Assassinados

Publicado em: 04/09/2020 Categorias: 2020 / Revive Israel

Asher Intrater

Uma das grandes tragédias que a sociedade moderna enfrenta é o número de homens negros assassinados. Embora os números sejam obviamente muito maiores no continente africano por causa da população muito maior, a tragédia social e o conflito racial são evidenciados ao se olhar para os assassinatos de homens afro-americanos nos EUA.

O tópico pode ser dividido em duas seções:

  1. Assassinatos cometidos pela polícia,
  2. Homicídio criminoso.

Vamos olhar algumas estatísticas.

(Não sou um especialista em estatística e não posso verificar esses números de forma absoluta. Eles vêm de relatórios semelhantes que vi em uma leitura superficial de artigos na Wikipédia, New York Times, Washington Times, Al Jazeera, site do FBI, etc.)

Nos 5 anos de 2013 a 2019, 4984 pessoas foram mortas pela polícia nos EUA, aproximadamente mil por ano, a uma taxa relativamente estável. Aqui está a divisão por raça:

  • 528 – Brancos,
  • 318 – Negros,
  • 920 – Hispânicos,
  • 218 – outros

Outra compilação de estatísticas mostra quase exatamente os mesmos números:

Para os três anos e meio, de 2017 a meados de 2020.

  • 457, 399, 370, 215 = 1441 Brancos
  • 223, 209, 235, 111 =  778 Negros
  • 179, 148, 158, 71 =  556 Hispânicos
  • 44, 36, 39, 15 =  134 Outros

Esses números devem ser vistos de dois ângulos:

  1. Número total,
  2. Porcentagem relativa por população.

Ambos os conjuntos de dados mostram cerca de duas vezes o número de brancos mortos pela polícia nos EUA do que de negros.

No entanto, a população branca nos EUA é muito maior do que a afro-americana. Existem 197 milhões de brancos nos EUA, 42 milhões de negros e 39 milhões de hispânicos. Portanto, em porcentagem, há aproximadamente duas vezes e meia mais negros mortos pela polícia do que brancos.

Portanto, o quadro geral nos EUA na última década foi:

  1. Quase duas vezes mais brancos mortos pela polícia do que negros
  2. Mais de duas vezes a porcentagem de negros mortos pela polícia do que de brancos.

A próxima questão é o número de pessoas mortas em homicídios (assassinatos criminosos). Para o ano de 2018 (um ano), as estatísticas do FBI mostram:

3.315 brancos foram assassinados em crimes (em comparação com 399 mortos pela polícia).

  • 677 por outros brancos,
  • 514 por negros.

2.925 negros foram assassinados em crimes (em comparação com 209 mortos pela polícia)

  • 234 por brancos,
  • 600 por outros negros.

Levando-se em consideração os mesmos números populacionais de 197 milhões de brancos e 42 milhões de negros, a porcentagem de homicídios de negros aumenta muito, proporcional e tragicamente.

Há 13,9 vezes mais probabilidade de um homem negro ser assassinado em homicídio do que morto pela polícia.

Há 12,4 vezes mais probabilidade de um negro ser assassinado por outro negro nos EUA do que morto pela polícia. Ou, para resumir a situação dos assassinatos de negros por ano (2018):

  • 209 mortos pela polícia (4,9 por milhão),
  • 234 assassinados por brancos,
  • 600 assassinados por outros negros (61,9 por milhão),
  • 3043 total.

Existe o perigo de homens negros serem mortos pela polícia. No entanto, o perigo de homens negros serem assassinados por criminosos é 1.390% maior. Esse quadro é bastante diferente do que é retratado na maioria dos meios de comunicação.

Parece que o problema deve ser tratado pelos dois lados da questão. Ou seja, combater a brutalidade policial contra os negros, e, ao mesmo tempo, fortalecer a presença policial no combate à violência criminal, tanto negra quanto branca.

No entanto, esses números elevados apontam para o fato de que há uma questão mais profunda do que política ou polícia. É uma questão moral e espiritual que infecta o próprio tecido da sociedade. O que está acontecendo nos EUA é um sintoma de quase todas as nações, incluindo Israel. 

Em Israel esta semana, houve um esfaqueamento terrorista, um estupro coletivo, manifestações antigovernamentais, confronto policial com manifestantes, propaganda anarquista, problemas com o Corona, problemas econômicos e uma divisão política que parece estar à beira de uma guerra civil.

Há uma necessidade de verdadeiro arrependimento e avivamento. Essa é a única forma de curar a raiz do problema. É apenas o amor sacrificial de Yeshua, que transcende raça e religião, que pode mudar o coração de homens e mulheres, levando-os do ódio ao amor.

O grande número de homens afro-americanos assassinados todos os anos é trágico. Nossos corações estão dilacerados de dor juntamente com eles. A vida dos negros realmente importa… para todos nós. Vamos orar por cura para todos os grupos raciais, por um governo justo e por um verdadeiro avivamento espiritual.

Transmissão Global Especial

Junte-se a Asher, Sarah e Ariel nesta transmissão especial. – CLIQUE AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *