Herdando Sião

Publicado em: 11/05/2019 Categorias: 2019 / Revive Israel

Yoni Koski

Herdar Sião talvez seja a maior controvérsia do mundo, depois da questão de Yeshua ser Deus! A palavra “Sião” refere-se a Jerusalém, mas também é usada para descrever toda a terra de Israel. O ponto central para o sionismo é a fidelidade de Deus às promessas da aliança com relação a Israel.

Então, qual o tamanho de Sião, a quem pertence e como a terra deveria ser conquistada?

De acordo com Gênesis 15.18-21, a terra prometida aos descendentes de Abraão era desde o rio do Egito até o rio Eufrates, incluindo Gaza, a Cisjordânia e estendendo-se no sentido leste até a atual Síria e Jordânia – portanto, limites seriamente controversos!

Uma resposta ao sionismo que está crescendo rapidamente é o antissionismo – um movimento de oposição à autodeterminação política judaica, ao estado de Israel e especialmente ao controle judaico de Jerusalém. No Ocidente, está tudo bem ser judeu, mas não é bem vista a existência de um estado judeu indiviso. A Unesco, que é uma entidade que faz parte da ONU, chegou ao ponto de negar efetivamente qualquer ligação judaico-cristã com o monte do Templo, e de afirmar somente os laços islâmicos com o local. Até mesmo várias nações “civilizadas” se abstiveram na votação da “Resolução Palestina Ocupada” de 2016, que acabou sendo aprovada. No Islã radical, não é bem visto ser judeu nem reconhecer a existência do Estado judeu em terras antes ocupadas por muçulmanos (turcos otomanos).

No entanto, Deus prometeu aos descendentes de Abraão, através de Isaque, a terra física, e nenhuma Escritura diz que a Igreja ou o Islã substituiu Israel. Os povos árabes receberam uma herança maravilhosa e muito maior em outras regiões. No entanto, a maneira usada pelo povo de Deus para tomar posse da terra é muito importante, tanto no passado quanto atualmente:

  1. Quando houve uma discussão entre os pastores de Ló e os de Abraão, para evitar a contenda, Abraão ofereceu a Ló sua escolha de pastagem na terra.
  2. Quando Sara morreu, Abraão insistiu em comprar seu local de enterro de um hitita, mesmo que tenha sido oferecido como um presente.
  3. Da mesma forma, Davi insistiu em comprar a eira de Araúna, um jebuseu, para fazer um sacrifício no local do atual monte do templo, o Monte Moriá, onde também Abraão se dispôs a sacrificar Isaque.
  4. Quando foi perguntado a Yeshua se ele iria “Restaurar o Reino de Israel”, ele apontou para outra prioridade, o derramamento do Espírito Santo.
  5. Em 1917, Chaim Weizmann aceitou a promessa do Lorde britânico Balfour ao povo judeu de uma pátria no Oriente Médio, depois que Weizmann ajudou a Grã-Bretanha conseguir a vitória na 1ª Guerra Mundial.
  6. Em 1948, os líderes judeus estabeleceram um estado em resposta a um voto da ONU.
  7. Muitos dos primeiros judeus pioneiros compraram terras de latifundiários árabes, dos quais muitos nem moravam em Israel. Algumas terras foram consideradas roubadas, apesar de terem sido tomadas em guerra, mas mais tarde a restituição foi geralmente feita através de processo legal.
  8. Quando Israel retomou Jerusalém em 1967, ela não foi roubada da Palestina porque o conceito da atual Palestina Árabe mal existia na época. Pelo contrário, foi conquistada em uma guerra defensiva com a Jordânia, que se juntou ao Egito e à Síria para atacar Israel.
  9. Israel é quase o único no mundo a retornar terra conquistada em guerras defensivas.
  10. Israel busca ser justo com todos os cidadãos árabes e protege especialmente os cristãos árabes.

Aqui vemos uma maneira humilde, pacífica, legal, oportuna e correta de possuir a terra. Além da pacífica aquisição de terras, Deus, no entanto, também comandou claramente a ocupação da terra, mas SOMENTE sob condições muito específicas:

Foi dito a Abrão que seus descendentes entrariam na terra, mas apenas gerações depois, porque “não se encheu ainda a medida da iniquidade dos amorreus”. Deus autorizou a conquista física da terra somente depois que o pecado extremo e impenitente das tribos locais se manifestou plenamente. Tal pecado incluía bestialidade, sodomia, incesto, feitiçaria e sacrifício infantil (Êxodo 23.24; 34.12-13; Números 33.52; Deuteronômio 7.5; 18.9-12;Levítico 18.2-25) – constituindo juntos um aviso sóbrio para nossa geração! Mais tarde, após a escravidão egípcia, Josué (mesmo nome de raiz de Yeshua) foi finalmente autorizado por Deus a conquistar a terra.

Like any text, the composition of the short essay also varies according to the recipient and the editorial location in which it will be published. It will, therefore, be necessary: Develop a title that briefly explains the topic clearly and concisely; Clarify to yourself who the potential recipients of the essay are and what the relevant public expects; Define (in the case of a short essay written for the exams of high school students) or reflect on the editorial site where the essay will be published. For example, between a scientific magazine and an information portal on the web, both editing and formatting methods can be very different,discover this info here. In drafting a short essay, the fundamental aspect to be considered is, however, the argumentative character of the type of text that has been chosen to be drafted. For this: it is necessary to choose which of the different theses present in the documents or in the materials it will be appropriate to support or if it will be preferable to support a thesis of their own, alternative to all those already present in the documentation; draw up a set of topics to be treated and divide the text into paragraphs that will correspond to the points of the ladder itself. Draw up an analysis of the texts and documents available, highlighting their strengths and weaknesses, in particular with regard to the arguments provided to support the arguments presented; to expose one’s own argument (or the argument already highlighted that one has chosen to support) or interpretation of a phenomenon or an event, through a reasoning that demonstrates its universal validity and not only subjective;

Israel deveria tentar conquistar toda a terra prometida hoje? Certamente NÃO a menos que Deus diga, mas ele pode fazer com que mais território caia nas mãos de Israel através de novas guerras defensivas.

Israel ou as nações deveriam procurar dividir a terra, criando uma solução de dois estados? Certamente NÃO – eles serão julgados por Deus por tentar fazê-lo. A situação dos palestinos claramente não é boa e muitos sofrem com o governo local injusto, mas nem o terrorismo nem a proposta de dois estados são a solução. Em vez disso, os árabes em Israel precisam confiar em Yeshua e contribuir para o Estado judeu, assim como Obed Edom, o edomita, fez no tempo de Davi, e muitos o fazem hoje – algo que requer um reavivamento entre os muçulmanos locais.

Uma coisa é certa, Yeshua está voltando em breve e vai conquistar a terra, tomando-a do anticristo e das nações que ele liderará, reinando eternamente sobre o mundo a partir de Jerusalém.

Nossos Desafios Hoje versus o Livro de Atos (Parte 2)

Como devemos lidar com o dinheiro, o trabalho prático da congregação e a perseguição? Asher Intrater dá uma visão sobre diferentes questões que foram levantadas pelo Corpo do Messias no livro de Atos e mostra como lidavam com elas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *