Espírito de Ódio

Publicado em: 24/09/2012 Categorias: 2012 / Revive Israel

Por Simcha e Bella Davidov

Tem havido caos e ira em várias partes do globo nos últimos dias por causa de um filme anti-islâmico feito nos Estados Unidos, Inocência dos Muçulmanos (produzido não pelo governo dos Estados Unidos ou de Israel, mas por um norte-americano de origem egípcia).

Em Dhaka, capital de Bangladesh, 10 mil muçulmanos promoveram um protesto, queimando e pisoteando bandeiras dos Estados Unidos. Houve um ataque ao consulado dos EUA em Benghazi, na Líbia, matando o embaixador e mais três norte-americanos. O restaurante KFC em Trípoli foi incendiado e saqueado. Milhares protestaram do lado de fora da embaixada dos EUA em Cairo, gritando “Obama, Obama, todos nós somos Osamas”. Em Teerã, depois das orações de sexta-feira, milhares gritaram “morte aos Estados Unidos, morte a Israel”.

No Afeganistão, manifestantes na cidade de Jalalabad, no leste, gritaram “morte à América” e pediram o presidente Hamid Karzai para cortar relações com os EUA. No Paquistão, muçulmanos radicais gritavam palavras de ordem e carregavam faixas criticando os EUA. Na Turquia, centenas de pessoas se reuniram na Praça Beyazit em Istambul num protesto organizado pelo principal partido islâmico do país, Saadet.

O que Israel pode ter feito ao Irã para causar tamanho ódio? O que os Estados Unidos fizeram para todos esses milhares de muçulmanos nos países do Oriente Médio? Isso tem alguma base racional? Existe alguma justificativa? Esse ódio não começou com um filme amador no YouTube. Existem motivos espirituais por trás de tudo isso.

Nunca houve protestos por judeus contra as mentiras antissemíticas exibidas no YouTube e produzidas por muçulmanos. Recentemente, o Canal 1 da TV iraniana transmitiu o filme antijudaico “Saturday Hunter” (Caçador de sábado), no qual um rabino de olhos arregalados ensina seu jovem neto a fazer assassinatos em massa. Judeus são retratados como pessoas que falsificam as Escrituras e que corrompem cristãos e muçulmanos para levar homens a se transformarem em mulheres e as mulheres em homens.

Esse filme, dirigido por Mohammed Qahremani, foi produzido no ano passado e exibido num festival de filmes em Teerã e em cinemas por todo o Irã. No mundo muçulmano, esse tipo de filme antissemítico, anti-Israel, é produzido frequentemente por fontes de mídia financiadas pelo governo. Entretanto, por causa do padrão duplo do “correto islâmico”, até mesmo uma leve crítica de algo relacionado ao islamismo pode causar reações violentas, sem que haja uma palavra sequer do resto do mundo sobre a forma muito mais caluniosa e maldosa com que os judeus (principalmente!) e os cristãos são representados no mundo muçulmano. Oremos para que um número muito maior de pessoas seja despertado para discernir esses enganos.

ALCANÇANDO A POLÔNIA

Por Solomon Intrater

Nos últimos anos, nosso grupo de jovens adultos tem recebido uma direção de Deus para abrir os horizontes do nosso coração em favor das Nações; como consequência disso, desenvolvemos um método eficiente de viagens de curta duração para a Europa. Seis membros do nosso grupo estarão em viagem durante esses feriados judaicos, por uma semana, no sul da Polônia, onde ministraremos e participaremos de uma conferência nacional para jovens adultos, de pequenas excursões evangelísticas e de intensa oração pessoal. Algo está mudando atualmente na Polônia, inclusive com respeito à sua relação com os judeus e Israel. Entre na batalha conosco, na oração, em favor desta nação para que possa experimentar o amor de Deus e a liberdade que há no Messias!

DIA DA EXPIAÇÃO

A congregação messiânica Ahavat Yeshua (Amor de Jesus) e membros de diversas outras congregações de Jerusalém se reunirão esta semana, de terça para quarta, 25 a 26 de setembro, no assentamento messiânico Yad Hashmona para celebrar Yom Kippur, o Dia da Expiação bíblico. Estamos conclamando os cristãos e judeus messiânicos em todo o mundo a se unirem conosco neste dia de jejum, arrependimento e oração intercessória.

Yom Kippur é o dia mais sagrado no calendário sacerdotal da Torá. É uma figura ou paralelo ao “grande e terrível dia de YHVH”, citado nos livros dos profetas hebraicos. Esses dois dias são um paralelo a “aquele dia” da Segunda Vinda de Yeshua na Nova Aliança. Todos apontam para o mesmo evento do tempo do fim.

Em Israel, nos dias de hoje, o Dia da Expiação ganhou ainda mais um significado, pois é lembrado como o início da Guerra Yom Kippur em 1973. Aquele dia também forma uma imagem profética “daquele dia” quando todas as nações se reunirão para atacar Jerusalém.

O SANGUE DA EXPIAÇÃO

Por Asher Intrater

Quando Yeshua morreu na cruz, seu lado foi perfurado por uma lança e saiu sangue (João 19.34). Seu sangue derramado é o cumprimento de todos os sacrifícios de sangue em Israel nos tempos antigos, inclusive do Dia da Expiação. A Bíblia não enfatiza os aspectos físicos deste sangue, mas, antes, o significado espiritual.

Hebreus 9.14: “Muito mais o sangue do Messias que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas…”

Todos nós pecamos. Todo o pecado causa danos. Por essa razão, todos nós fomos “danificados”. O dano máximo é morte e condenação eterna. Entretanto, existe também dano interior, espiritual e psicológico. O sangue de Yeshua provê expiação – pois pagou o preço da morte e da condenação. Além disso, também cura o dano psicológico e interior.

No espírito, o sangue de Yeshua é eterno – e tem poderosa eficácia espiritual em todo o tempo, inclusive neste exato momento. Uma parte essencial do espírito (no grego, pneuma) e da alma (psique) do homem é a consciência. A consciência foi criada por Deus para mostrar-nos a diferença entre o certo e o errado (Romanos 2.15). A consciência (suneidesis) foi designada para nos proporcionar “consciência moral em conjunto” com Deus.

A consciência dos homens ficou distorcida e contaminada pelo pecado. É como uma bússola com ponteiro torto. Isso é perigoso porque a consciência é o veículo principal que nos permite perceber a influência do Espírito Santo (Romanos 9.1).

Sem o sangue de Yeshua, a consciência humana busca desesperadamente se livrar da culpa que entrou por causa do pecado. Esses esforços maldirecionados levam a ritualismo religioso, relativismo moral, autossatisfação, justiça própria, autocondenação ou aconselhamentos psicológicos infindáveis.

Entretanto, o sangue de Yeshua pode purificar nossa consciência de todas essas “obras mortas” e nos libertar para vivermos uma vida saudável e santa. Uma consciência limpa contribui para que tenhamos um estilo de vida alegre (Romanos 14.22) e confiante (1 João 3.21). Neste Yom Kippur, permita que o poder espiritual do sangue de Yeshua toque e cure seu coração e sua alma.

Ensinamento YouTube para Setembro (em inglês)

Título: Rei da Glória
Descrição: Yeshua não nasceu apenas para salvar o mundo dos seus pecados; ele também nasceu para governá-lo. Neste ensinamento, Asher explica a dupla natureza da identidade de Yeshua como Salvador e Rei. Abra sua Bíblia e prepare sua mente e coração para receber a mensagem que vai mudar o modo como você compreende o reino de Yeshua.
Para assistir: (www.youtube.com/user/ReviveIsraelTV) e desça até King of Glory.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *