Contando em Antecedência que Deus está Prestes a Fazer – O Fator Ômer

Publicado em: 05/06/2022 Categorias: 2022 / Revive Israel

Ariel Blumenthal

Diretor da Base em Jerusalém
Ahavat Yeshua
Jerusalém, Israel

Deus instruiu Israel a contar as sete semanas após a Páscoa até o Pentecostes (Shavuot). Isso é chamado de contar o “Ômer” – o trigo amadurecendo até a colheita da primavera.

Aqui em Israel, essas semanas estão repletas de indicadores proféticos de como Deus tem estado presente nos dias modernos, restauração milagrosa, preservação e prosperidade de Sua nação da aliança. Como os crentes em Israel e em todos os lugares, que isto sirva para aguçar nossa expectativa conforme nós chegamos ao final do Ômer, no 49º dia, Shavuot/Pentecostes e a celebração do derramamento do Espírito Santo.

Foi também durante este exato período, dois mil anos atrás, que o Yeshua ressuscitado compartilhou com seus discípulos por 40 dias sobre o Reino de Deus (Atos 1.3). Lucas, o autor de Atos, resume para nós estes 40 dias de ensino e diálogo com aquela famosa pergunta dos discípulos, “Senhor, é agora, nesse tempo, que irás RESTAURAR o Reino a Israel?” (Atos 1.6). O ensinamento de Yeshua sobre o Reino tinha tudo a ver com a restauração davídica e messiânica de Israel. A ênfase da pergunta dos discípulos era sobre o tempo, não se Deus estava ainda planejando “restaurar o reino a Israel.” Sabemos disso por causa da resposta de Yeshua, “não vos compete saber os tempos e as estações” (Atos 1.7).

Seis Sinais Proféticos que Você Deve Saber

Surpreendentemente, este período de contagem do Ômer (Levítico 23.15-16 e Deuteronômio 16.9-12) é marcado na história moderna de Israel pelas mesmas questões de restauração e tempo. Há seis feriados, ou memoriais, durante este tempo que você deveria saber conforme marcamos estes tempos em antecedência ao que Deus está prestes a fazer.

1. Yom Hashoah (Dia da Memória do Holocausto). No 14º dia de contagem, a nação de Israel lamenta oficialmente os seis milhões de judeus mortos pelos nazistas. Também “celebra” a resistência judaica aos nazistas que começou com a Revolta do Gueto de Varsóvia em 1943. Há muitas coisas na vida de Israel que são paralelas à vida de Yeshua. O Holocausto foi como uma “crucificação nacional”, que terminou em 1945. Assim como ele ressuscitou dos mortos no terceiro dia, três anos depois Israel experimentou uma “ressurreição nacional”, quando o recém-independente Estado de Israel foi declarado em 1948.

2. Dia do Memorial. No vigésimo dia de contagem, recordamos os soldados mortos e as vítimas de terrorismo que pagaram com suas vidas para defender o Estado de Israel. Como no Yom Hashoah, sirenes de ataque aéreo são tocadas em todo o país em um horário marcado durante o dia, e todos param o que estão fazendo para render homenagens.

3. Dia da Independência. No 21º dia de contagem do Ômer, imediatamente após as sombrias recordações do Dia do Memorial, celebramos o renascimento de Israel. Este é o dia, de acordo com o calendário judeu, quando o primeiro-ministro David Ben-Gurion proclamou oficialmente o estabelecimento do país independente de Israel, em 14 de maio de 1948. Hoje, os israelenses celebram com muita alegria, piqueniques, passeios, fogos de artifício, desfiles de jatos militares etc.

4. Memorial/Aniversário de Theodore Herzl. No 28º dia do Ômer, lembramo-nos do homem notável que é chamado de “visionário/profeta do país.” Herzl foi um jornalista judeu húngaro para quem a assimilação na alta sociedade europeia era o maior objetivo. Mas depois de testemunhar alguns grandes eventos antissemitas na década de 1880 e início de 1890 – tanto na Europa oriental quanto na supostamente “iluminada” Europa Ocidental – Herzl se tornou o profeta e fundador do movimento sionista moderno. Seu livro, Der Judenstaat (O Estado Judaico) tornou-se a constituição de uma geração de pioneiros sionistas que estabeleceram as bases e a infraestrutura para o renascimento do Estado de Israel. Sua história e a velocidade com que as portas se abriram para ele (auxiliado por muitos dos primeiros “cristãos sionistas”) para as salas do poder na Europa e em Istambul são uma inspiração de como Deus pode usar um homem para mudar a história.

5. Lag B’Omer (o 33º do Ômer). Apenas no caso de esquecermos durante estes tempos inebriantes que esta restauração de Israel ainda não é a restauração completa e messiânica profetizada nas Escrituras, temos este “dia não santo.” Centenas de milhares de judeus ultra-ortodoxos acendem fogueiras e visitam o túmulo do rabino Shimon bar Yochai no Monte Meron, ao norte de Israel. A esperança deles é receber algumas “faíscas” espirituais de poder da atmosfera em torno deste rabino morto, um dos fundadores do misticismo judaico, ou Cabala. Espiritualmente, parece uma espécie de Halloween judaico, uma celebração e adoração dos mortos. É um lembrete potente de como nosso povo está perdido sem Yeshua, e como os rabinos, na ausência do Espírito Santo, tiveram que preencher o vazio com uma espiritualidade pagã semi-judaica. O dia é cheio de referências a falsos Messias e ao anticristo e deve servir como um aviso para os cristãos de todo o mundo hoje que são ingenuamente atraídos para ensinamentos rabínicos através do tipo errado de ensino de raízes hebraicas/judaicas. Tragicamente, no ano passado, durante o lag b’Omer, 45 homens e meninos foram esmagados até a morte em uma debandada caótica no Monte Meron.

6. O Dia de Jerusalém cai no 42º dia do Ômer. Nesta última celebração antes de Shavuot, comemoramos a reunificação de Jerusalém durante a Guerra dos Seis Dias em 1967. Yeshua profetizou que Jerusalém seria “pisada pelos gentios até que os tempos dos gentios se cumpram” (Lucas 21.24). Neste dia, 55 anos atrás, a Jerusalém bíblica (hoje Cidade Velha) foi devolvida ao controle judaico pela primeira vez em 2100 anos. Aconteceu aproximadamente, ou mesmo no próprio dia do calendário, de acordo com o calendário bíblico/judaico que Yeshua subiu ao céu a partir do Monte das Oliveiras em Jerusalém (Atos 1.9-11). Essa temporização não é coincidência, mas um sinal de Seu retorno em breve como o Rei dos Reis conquistador que vai governar as nações a partir desta cidade. Israelenses de todo o país vêm até a capital, para comemorar o dia com muitos shows e desfiles por toda a cidade.

Aguce sua expectativa

Que essas lembranças, esses sinais dos tempos, encorajem seu coração a buscar um novo toque do Espírito Santo, para que todos possamos chegar à plenitude da promessa em Joel 2 e Atos 2.17-18.

E que também estejamos preparados para ver o cumprimento do restante dessa profecia (Atos 2.19-21; Mateus 24.15-31) à medida que os eventos conduzem à sua 2ª vinda.


No dia 27/08, o TJCII Brasil estará fazendo um Webinar internacional, com o tema Rumo ao Novo Homem e ficaremos honrados com sua participação. CLIQUE AQUI e inscreva-se! Gratuito com transmissão pelo zoom.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.