Vidas de Impacto: Três Gigantes da Fé Encerram Suas Carreiras

Data de publicação: 12/10/2011
Este artigo pertence a: Edição 31

É sempre um momento que merece a nossa atenção quando um dos heróis no exército de Deus é chamado de volta para o lar e condecorado com honras pela conclusão de sua longa e difícil missão no plano de Deus. O que diríamos, então, do significado de Deus ter chamado três dos homens que marcaram de forma especialmente profunda os rumos da igreja, na segunda metade do século XX, dentro de um espaço de pouco mais de dois meses? Talvez muitos cristãos, menos informados da história recente da igreja, nem reconheçam estes três nomes; entretanto, mesmo sem conhecer o nome ou a contribuição deles, todos nós fomos influenciados, de uma forma ou de outra, pelo ministério e contribuição destes servos de Deus.

Leia o resumo biográfico destes três gigantes e procure, no meio de muitas diferenças de ênfase ou de ministério entre um e outro, encontrar algumas qualidades tremendas que possuíam em comum e que devem ser imitadas por todos nós. Para dar, desde já, uma pequena “ajuda” nesta comparação: procure ver o que tinham de comum no enfoque intenso e concentrado de suas vidas, na solidez de suas vidas familiares e no legado que deixaram para aqueles que ficaram com o encargo de continuar sua missão.

Sem dúvida alguma, a passagem dos três para a eternidade, num espaço tão curto de tempo, sinaliza o final de uma geração de líderes espirituais. Quem se levantará para tomar os seus lugares?

BILL BRIGHT – Evangelizando o Mundo
1921 – 2003

Bill Bright, fundador de “Campus Crusade for Christ” (no Brasil, “Cruzada Estudantil e Profissional para Cristo”), foi chamado para a glória no dia 19 de julho de 2003. Ele estava com 81 anos e sofria de fibrose pulmonar. Deixou sua esposa, com quem viveu 54 anos, dois filhos que estão no ministério, e quatro netos. 

Síntese da Sua Obra

Em 1951, enquanto cursava seminário teológico no sul da Califórnia, EUA, Bill Bright sentiu o chamado de Deus para deixar a promissora empresa que dirigia e abraçar a ordem bíblica de ir “fazer discípulos de todas as nações” (Mt 28.19). Foi neste ano que fundou, junto com sua esposa, Vonette, a Campus Crusade for Christ, na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).

A partir dali, o ministério se espalhou para universidades em todo o país e pelo mundo, e se ampliou para atingir outras esferas da sociedade, tais como favelas, regiões urbanas de baixa renda, atletas e militares.

Certa vez, no início dos anos 60, trouxeram-lhe uma pesquisa feita entre alunos universitários de todo o país. Ao olhar nos resultados, página após página, Bright exclamava para si mesmo: “Eles não sabem como se tornar cristãos, eles não sabem”. E começou a soluçar. Ele sentia uma profunda compaixão por todos aqueles que não conheciam a Jesus, junto com uma imensa paixão por conhecer, ele mesmo, mais a Deus. Queria que todas as pessoas no mundo tivessem a oportunidade de conhecer o Salvador a quem tanto amava.

O combustível que movia Bill Bright era sua paixão para apresentar o amor e a verdade de Jesus Cristo a “todo ser vivo na face da Terra”. Em 1956, escreveu as “Quatro Leis Espirituais”, um panfleto que já foi impresso em aproximadamente 200 idiomas e distribuído a mais de 2,5 bilhões de pessoas. Desta forma, tornou-se o livreto religioso mais amplamente distribuído na história.

Além de organizar e administrar, também praticava o evangelismo pessoal no seu próprio dia-a-dia. Sempre que ficasse com uma pessoa mais do que alguns instantes, falava com ela do evangelho. Falava de forma amorosa e sensível, tanto com mendigos, motoristas de táxi e passageiros no avião, como com líderes de governo e empresários.

Através dos anos, Bill Bright utilizou-se de todos os meios de comunicação disponíveis para transmitir a mensagem do Evangelho: telefone, rádio, televisão, cinema, vídeo e outros. Durante uma campanha nos anos 70, usou até adesivos nos carros para comunicar a mensagem do amor de Deus que transforma vidas. Organizou também grandes eventos para a pregação do evangelho, como a EXPLO 72, em Dallas, que reuniu 85.000 jovens, a EXPLO 74, na Coréia do Sul, que tinha multidões de até 1,5 milhão de pessoas, e a Cruzada de Evangelização Mundial em 1980, também na Coréia do Sul, com freqüência entre 2 e 3 milhões de pessoas.

Em 1979, idealizou e financiou a produção do filme Jesus, um documentário sobre a vida de Cristo, baseado no evangelho de Lucas. Este filme se tornou o filme mais traduzido e assistido de todos os tempos; desde seu lançamento em 1980, já foi traduzido em 812 idiomas e assistido ou ouvido por 5,5 bilhões de pessoas em 236 países. (O filme que está em segundo lugar, E o Vento Levou, só foi traduzido em 35 idiomas.)

Na década de 1990, Bill Bright sentiu uma grande necessidade da igreja colocar mais ênfase em oração e jejum. Mostrou o caminho, fazendo ele mesmo um jejum de 40 dias, e pediu a Deus para levantar um milhão de pessoas para seguir os seus passos. Desde 1994, a Campus Crusade organizou sete reuniões de oração e jejum, alistando dezenas de milhares de cristãos a se juntarem no mesmo propósito no mundo inteiro, através de satélite e da Internet.

A organização que ele fundou e dirigiu tem agora uma equipe de tempo integral de mais de 26.000 pessoas, além de mais de 225.000 obreiros voluntários treinados em 191 países, que servem em quase 60 diferentes ministérios e projetos para levar a Palavra de Deus a todo o mundo. Hoje, é o maior ministério cristão do mundo.

Testemunho

A seguir, um testemunho de Jim Bramlett e sua esposa, que trabalhavam diretamente ligados a Bill Bright nos últimos doze anos.

Nunca conheci alguém que fosse mais amoroso e preocupado com os outros, ou que demonstrasse mais o amor e a vida de Cristo do que ele. Era verdadeiramente um exemplar líder de líderes. Embora se comunicasse diariamente com algumas das pessoas mais importantes do mundo, ele tirava tempo para amar a cada um de nós e a todos que cruzassem o seu caminho.

Ele também era a pessoa mais focalizada que já conheci – focalizada em Jesus e na Grande Comissão. Ele nunca se afastou daquela visão celestial, nem permitia qualquer distração. Sempre dizia que, ao se levantar de manhã, avaliava todas as atividades potenciais daquele dia com base na pergunta: “Isto vai ajudar a cumprir a Grande Comissão?”

Durante a maior parte da sua vida, terminava todas suas correspondências com as palavras: “Em favor do cumprimento da Grande Comissão nesta geração”.

Ele ligou para nós, pela última vez, no dia 8 de julho, onze dias antes da sua morte, e logo antes de perder sua voz. Mal conseguia falar, entretanto fez questão de conversar comigo e com minha esposa. Perguntei-lhe como estava se sentindo, e com voz trêmula, respondeu como de costume: “Estou me regozijando”. Perguntou-me sobre alguns projetos que eu estava desenvolvendo para ele e disse-me: “Logo estarei de mudança”, referindo-se, sem pesar, à sua partida desta vida.

Trabalhou com todas suas forças para Jesus até o fim. Nunca se preocupava com a morte, pois dizia que era uma situação “ganha/ganha” para ele. “Se eu ficar, poderei ainda servir ao meu Senhor; se eu partir, estarei junto com ele”. Estava sempre se regozijando no Senhor.

Uma Mensagem de Bill Bright

A Mais Emocionante Aventura…

Como novo convertido, em 1945, li uma frase que influenciou profundamente minha vida. Foi escrita por James Stewart da Escócia, um famoso estudioso do Novo Testamento. Ele disse: “Se tão-somente pudéssemos mostrar ao mundo inteiro que uma vida comprometida com Cristo não é, absolutamente, uma vida monótona, corriqueira, insípida e, muito menos, protegida de riscos, mas, seguramente, a aventura mais emocionante e cheia de suspense que o espírito humano em tempo algum poderia conhecer – então aqueles que permanecem do lado de fora da igreja, desconfiados de Cristo e da vida que ele oferece, viriam em grandes multidões, desejando prestar toda sua lealdade a ele. E poderíamos esperar o maior avivamento desde o Pentecostes”.

Esta frase influenciou tremendamente tudo que já escrevi ou falei durante mais de cinqüenta anos.

James Stewart era um grande estudioso e um homem humilde e temente a Deus. Lembro-me da ocasião em que o visitei no seu lar na Escócia, para convidá-lo a ser um preletor numa das minhas conferências. Ele disse: “Oh, Sr. Bright, há tantas pessoas mais qualificadas do que eu para falar com seu povo!”.

No fim, concordou em vir falar conosco, e quando se levantou para falar, foi muito ungido por Deus, embora, por natureza, fosse muito reservado. Ele não se achava grande, de forma alguma. Mas suas palavras foram grandes porque exaltavam a Jesus. Esta foi a chave.

Não posso dizer quantas milhares de vezes tenho pensado deste princípio, como o verdadeiro princípio mestre na vida. Quando escrever, exalte a Jesus; quando falar, exalte a Jesus. Não existe uma pessoa ou um assunto que possa se comparar com ele em importância.

Nos últimos anos, a igreja descartou muitos princípios fundamentais porque tem medo de parecer ridícula aos olhos do mundo. Mas é ridículo não apresentar o evangelho completo. À medida que a igreja fizer novo compromisso com a autoridade da Palavra de Deus, e proclamar a Cristo, o avivamento virá.

Fonte: Página da Campus Crusade for Christ International: www.ccci.org.

KENNETH HAGIN – Ensinando Fé ao Povo de Deus
1917 – 2003

Kenneth E. Hagin, fundador de Kenneth Hagin Ministries, pregador, mestre e autor, conhecido como “pai do movimento de fé”, partiu para estar com Jesus no dia 19 de setembro de 2003. Ele tinha 86 anos e quase 70 de ministério. Sua vida foi um milagre desde o princípio, como você pode ver no pequeno relato biográfico a seguir:

Em 1917, Lillie Hagin estava esperando seu terceiro filho. Abandonada pelo marido, sem dinheiro, sem alimento e doente, achou que ia perder o bebê. A caminho da casa dos pais para pedir ajuda, Jesus apareceu e disse-lhe para não temer, que o bebê nasceria, cresceria e faria parte do avivamento que antecederia a Segunda Vinda do Filho do homem.

Kenneth foi uma criança doentia, sofrendo de um coração deformado e uma doença sangüínea incurável. Os médicos não esperavam que vivesse, e com 15 anos ficou confinado à cama. Em abril de 1933, durante uma experiência dramática de conversão, ele contou que morreu três vezes em dez minutos, presenciando cada vez os horrores do inferno e depois voltando à vida. Foi somente em agosto do ano seguinte que ele foi milagrosamente curado, levantado do leito da morte pelo poder de Deus, baseado numa revelação da Palavra de Deus em Marcos 11.24. Tomando posse da promessa: “Tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco”, ele se levantou três dias em seguida, crendo que seria curado. No terceiro dia, de fato, foi curado e nunca mais voltou a ficar confinado à cama. Dois anos depois, pregou seu primeiro sermão como pastor de uma pequena igreja no Texas.

Depois de alguns anos de ministério pastoral, Kenneth começou a viajar como evangelista e mestre. Durante um período de 14 anos, ele afirma ter recebido oito visões de Jesus que mudaram o rumo do seu ministério. Em uma delas, recebeu um comissionamento específico de curar os doentes. Em outra, Hagin diz que o Senhor lhe deu uma ordem de ensinar fé ao seu povo. A mesma fé que ele recebera através da Palavra e da experiência deveria ser transmitida a outros. Esta mensagem de fé era a obra que Deus queria fazer no mundo inteiro, depois da visitação carismática do batismo no Espírito Santo.

Sua experiência de viver a fé na Palavra de Deus não foi apenas na sua cura inicial. Quando tinha 61 anos de ministério, testemunhou não ter ficado doente um dia em todo este tempo, sem precisar de remédios ou de consultar médicos. Sua esposa foi curada de hipoglicemia aguda e, depois, de um sério bloqueio no coração.

De acordo com seu filho, Kenneth Hagin tinha escrito na sua Bíblia: “A Bíblia diz, eu creio nisto e é o fim do assunto!”

Ele era um pregador dinâmico, um mestre e um profeta, que ministrava cura e anunciava a mensagem da fé. Seus ensinamentos e livros estão cheios de histórias vívidas, que mostram o poder e a verdade de Deus operando em sua própria vida e na vida de outros. Sua paixão era ajudar aqueles que sofriam dor e enfermidades, assim como ele antes sofrera, a serem totalmente libertos pela fé na Palavra de Deus.

Sua organização, Kenneth Hagin Ministries, foi fundada em 1963 e foi incluindo aos poucos diferentes aspectos de divulgação, publicação e treinamento. Seu programa de rádio, Seminário de Fé no Ar, começou em 1967. A revista, Palavra da Fé, começou em 1968 e tem hoje uma circulação mensal de mais de 250.000 exemplares. A Faith Library Publications, sua editora, já circulou mais de 65 milhões de livros escritos por ele, seu filho, Kenneth Hagin Jr., e alguns outros autores. Também já produziu mais de 9 milhões de fitas e CDs com mensagens de ensino.

Além disso, o ministério possui um programa semanal de televisão, comandado por Kenneth Hagin Jr. e sua esposa, uma escola bíblica por correspondência, um seminário (Rhema Bible Training Center), um Centro de Oração e Cura que tem duas reuniões diárias, e um ministério a presidiários. Vinte e três mil alunos já passaram pelo seminário só nos Estados Unidos, além de centros de treinamento bíblico em outros 13 países.

A influência de Hagin foi muito além da esfera do seu ministério pessoal, pois muitos outros pregadores, pastores e autores no mundo inteiro tomaram sua mensagem no todo ou em parte, porém nem sempre com a mesma integridade de vida ou equilíbrio que Hagin tinha. Houve muita controvérsia, muitos exageros e desvios, e muitas críticas em relação à sua ênfase. Diziam que levava as pessoas a buscar prosperidade material e benefícios pessoais.

Entretanto, Hagin combatia estes exageros e exortava os cristãos a orar e a crer somente de acordo com a Palavra de Deus. “Não sei como alguns podem sair por aí, afirmando certas coisas, se esforçando para crer nelas, e chamando isso de fé, quando nada mais é que presunção e tolice”, ele dizia.

Duas coisas são certas: primeiro, Hagin tinha uma verdadeira revelação, gerada por experiência própria, e que foi grandemente usada por Deus para tocar em muitas vidas direta e indiretamente pelo mundo inteiro;  e, segundo, que não sendo uma revelação completa, foi distorcida e levada a extremos por pessoas menos maduras e fundamentadas, precisando, portanto, da complementação de outros aspectos da verdade total da Palavra de Deus.

Sem dúvida, fez parte, como Jesus revelou à sua mãe logo antes do seu nascimento, de uma parte do mover do Espírito, que veio em tantas ondas e etapas na segunda metade do século XX, como preparação para a Segunda Vinda do Senhor.

Kenneth Hagin deixou sua esposa, Lois Oretha, com quem esteve casado 64 anos, um filho que trabalhou junto com ele no ministério por 31 anos e que dirige a sua obra hoje, uma filha, cinco netos e oito bisnetos. Ele continuou viajando e ministrando em vários lugares no país até pouco antes da sua morte.

Fonte: Página do Ministério Rhema de Kenneth Hagin na Internet (www.rhema.org) e o livro A Igreja do Século XX, Worship Produções.

DEREK PRINCE: Ensinando a Todas as Nações
1915-2003

Com 88 anos de idade, Derek Prince morreu dormindo, de parada cardíaca, no dia 24 de setembro de 2003, em sua casa em Jerusalém. Um homem de rara formação acadêmica, desempenhou seu chamado de ensinar com clareza e simplicidade a Palavra de Deus até o final dos seus dias. Autor de mais de 45 livros, seus programas de rádio atingem aproximadamente metade do globo terrestre. Representou melhor do que ninguém, talvez, o chamado de Deus de trazer fundamentação sólida na Palavra depois das diversas ondas do Espírito Santo no século XX, especialmente na seqüência da renovação carismática que começou na década de 1960. A seguir, uma breve biografia deste homem de Deus. 

Da Filosofia Para a Revelação

Derek Prince nasceu em Bangalore, na Índia, em 1915, num mundo e estilo de vida que não existem mais. Era o mundo do Império Britânico, de reis, rainhas, imperadores e colonialismo. Seu pai era um oficial da Rainha, sua mãe, filha de um general no exército.

Foi educado na Inglaterra, onde morava com os avós, longe dos pais que permaneceram na Índia. Recebeu a melhor formação possível: começou a estudar latim com nove anos de idade e grego com dez; com treze anos de idade, foi um de apenas quatorze garotos admitidos para o prestigioso Eton College. À medida que estudava os clássicos, ficou cada vez mais atraído pelo mundo das idéias e da filosofia. Sempre pairava na sua mente a misteriosa pergunta: Qual é o verdadeiro significado e propósito da vida?

Destacou-se como aluno no King’s College, em Cambridge, onde se especializou na filosofia de Platão. Depois de sete anos de estudo, em 1940, com 24 anos de idade, foi eleito fellow de King’s College (membro permanente do corpo de professores e pesquisadores da universidade). Sua área específica era métodos de definição, tanto dos filósofos gregos, como de sistemas filosóficos modernos, como positivismo lógico.

Sua carreira acadêmica, entretanto, foi interrompida abruptamente pela Segunda Guerra Mundial. Com base em suas convicções filosóficas, optou por entrar nas forças armadas como não combatente, na unidade médica.

Como material de leitura, Derek resolveu levar consigo a Bíblia sagrada. Apesar de ter rejeitado o cristianismo, considerando-o uma ocupação inofensiva, apropriada apenas para pessoas idosas ou ingênuas, ele achou que era sua obrigação conhecer a Bíblia, por ser, como pensava, um sistema filosófico. Durante seus primeiros nove meses no Exército, persistiu na leitura em seqüência deste livro que lhe parecia tão confuso e intrincado, diferente de tudo que já tinha lido até então.

“Eu não conseguia categorizá-lo”, ele disse. “Não sabia dizer se era filosofia, história, poesia ou mitologia, e não conseguia identificar nele uma mensagem clara.”

Mas em julho de 1941, no meio da noite, em seu aposento no quartel, Derek teve um encontro com o Autor daquele livro. O poder de Deus veio com tanto poder sobre sua vida que ficou prostrado durante mais de duas horas. Ele nem tinha conhecimento de que alguém pudesse ter uma experiência como esta. Seu encontro com Deus produziu várias mudanças imediatas e de longo alcance na sua vida, das quais podemos enumerar cinco, em suas próprias palavras:

Primeiro, Cristo se revelou a mim de forma tão poderosa que nunca mais pude duvidar que ele está vivo hoje e sempre.

Segundo, a Bíblia imediatamente se tornou clara e compreensível para mim e nunca mais duvidei da sua inspiração divina. Vi que é um livro verdadeiro, relevante e atual e isto passou a nortear toda minha vida.

Terceiro, fui liberto imediatamente, sem qualquer esforço da minha parte, de forte e constante dependência do álcool e do uso habitual de linguagem suja e blasfema.

Quarto, apesar de nunca antes ter orado, comunhão com Deus na oração tornou-se tão natural para mim como a respiração.

Quinto, meus principais desejos, motivações e propósitos na vida foram transformados de forma imediata e radical e, como resultado, todo o curso da minha vida foi alterado em maneiras que envolveram sacrifícios materiais e pessoais daminha parte.

Eu havia encontrado aquilo que buscava! O significado e propósito da vida é uma Pessoa!

Um mês depois, no mesmo local, ele recebeu a experiência de falar em “outras línguas”. Desde então, o natural e o sobrenatural foram entrelaçados na sua vida, assim como lemos no Novo Testamento.

Discipulado no Deserto e Casamento

Logo depois, Derek foi enviado com o exército britânico para o norte da África. Passou três anos ali, sendo “discipulado no deserto”, estudando a Bíblia e descobrindo princípios divinos como jejum, oração e cura sobrenatural. Sua experiência de cura divina veio depois de passar um ano num hospital no Egito, com um problema incurável na pele. Entendendo através de Provérbios 4.20-22 que a Palavra de Deus é como remédio, passou a se alimentar dela três vezes por dia, assim como fazia com o alimento natural. Foi completamente curado.

Depois destes três anos no deserto, Derek foi deslocado pelo exército para Jerusalém. Lá conheceu uma mulher dinamarquesa, Lydia Christensen, que cuidava de um lar de crianças. Ao terminar a Segunda Guerra, Derek tomou uma decisão difícil: deixou a segurança de sua posição na universidade na Inglaterra, para a qual poderia ter voltado, casou-se com Lydia, assumiu as oito garotas no lar como filhas (seis judias, uma árabe e uma inglesa), e se dedicou ao ministério de tempo integral.

Desde então, uma parte importante do ministério de Derek sempre foi o plano de Deus para Israel. Ele passou uma boa parte da sua vida morando lá, e foi de lá que o Senhor o promoveu para a glória. Ele estava lá, junto com sua família, quando houve a restauração do Estado de Israel em 1948 e presenciou diversos dos conflitos e guerras subseqüentes. Duas vezes, teve de fugir da sua casa com a família no meio da noite e sair no escuro, por causa do perigo iminente às suas vidas.

Depois de oito anos pastoreando na Inglaterra e seis anos no Quênia, na África, Derek e Lydia se mudaram para os Estados Unidos com mais uma filha africana na família. Enquanto pastoreava uma pequena igreja naquele país, Derek teve um encontro direto com uma pessoa endemoninhada no meio de uma reunião. Este confronto o levou a entrar no ministério de libertação, que se tornou uma de suas mais fortes áreas de ação, tanto no ensino como na prática, daí em diante.

Início do Ministério

Em 1963, o mesmo ano em que Derek se estabeleceu nos Estados Unidos, o presidente daquele país, John F. Kennedy foi assassinado. Foi um acontecimento que marcaria uma geração e causaria inúmeras mudanças nacionais e internacionais. Comovido e impactado por esta tragédia, Derek Prince iniciou um dos outros aspectos do seu ministério, que seria uma de suas mais importantes contribuições ao Corpo de Cristo: o ensino e a prática de jejum e oração em favor da pátria e em favor das nações. Em 1973, ele foi um dos fundadores de Intercessors for America (Intercessores pela América), e seu livro, Shaping History Through Prayer and Fasting (Influenciando a História Por Meio de Oração e Jejum), foi uma de suas obras mais difundidas e influentes. Duas décadas depois, ele soube que este livro fora traduzido e distribuído clandestinamente na ex-União Soviética e na Europa Oriental e que fora usado por Deus para derrubar os regimes comunistas naqueles países.

Em 1967, justamente quando o Espírito Santo estava começando a mover pelo mundo inteiro numa onda que seria conhecida depois como a renovação carismática, Derek deixou definitivamente o ministério pastoral fixo e tomou um passo de fé para se dedicar ao ministério itinerante. Nesta época, estava havendo numerosas conversões, especialmente entre jovens, e, ao mesmo tempo, multidões de cristãos em igrejas tradicionais e históricas estavam sendo renovadas pelo batismo no Espírito Santo. Tanto uns como outros eram tremendamente famintos por ensino sólido na Palavra que os fundamentasse nos caminhos do Senhor. Diante desta grande necessidade, Derek preparou uma série de sete livros de estudo, chamada Foundation Series, ou “Série Fundamentos”, com ensinos básicos sobre as grandes doutrinas da fé cristã e ênfase especial sobre a obra do Espírito Santo. Anos depois, Derek afirmou que se só pudesse deixar uma única contribuição para o Corpo de Cristo, ele escolheria precisamente esta obra. Publicada depois como um livro, já foi traduzida no total, ou em parte, para pelo menos 22 idiomas e é utilizada largamente para classes de fundamentação de novos cristãos.

Movimento do Discipulado

Em 1969, no estado norte-americano da Flórida, Derek Prince estava junto com outros três proeminentes mestres da Palavra (Bob Mumford, Charles Simpson, e Don Basham) numa conferência, orando sobre uma determinada situação naquele lugar. Algo soberano aconteceu durante este período de oração que mudaria a vida de todos eles. Nas palavras de Derek:

Quando terminamos de orar, todos nós percebemos que Deus nos havia unido uns aos outros de uma forma especial para um propósito especial. Posteriormente, assumimos um compromisso de cobrir um ao outro com oração, de submeter nossas vidas pessoais ao escrutínio um do outro e de conferir uns com os outros antes de tomar qualquer decisão pessoal de maior importância.

Estes quatro mestres na Palavra e mais um quinto (Ern Baxter), que se uniu a eles depois, se tornaram os líderes do movimento de discipulado, especialmente nos Estados Unidos, mas com influência também em outros países. Uma revista periódica, New Wine (Vinho Novo), publicava seus artigos e alcançava muitos cristãos pelo mundo inteiro.

À medida que este relacionamento se fortalecia entre os cinco, outros homens mais jovens vieram para receber supervisão e treinamento na formação de relacionamentos semelhantes de compromisso entre si. Estes, por sua vez, discipulavam outros, formando uma espécie de estrutura piramidal.

Mas depois de alguns anos, em meados na década de 1970, notícias começaram a circular sobre desvios e erros no movimento. Pessoas eram manipuladas e tornavam-se subservientes e presos aos seus líderes. Houve grande controvérsia sobre várias questões e divisões aconteceram em igrejas e movimentos. Em 1983, Derek viu que não poderia continuar a apoiar o movimento e resolveu retirar-se do grupo. Posteriormente, o grupo dos cinco se desfez e a pirâmide se desintegrou. Na avaliação do próprio Derek:

Creio que caímos no erro dos gálatas: depois de começar no Espírito, rapidamente degeneramos e entramos na carne. Diante disso, arrependi-me do meu envolvimento e renunciei ao erro que cometemos. Lamento profundamente o dano sofrido pelo Corpo de Cristo e por tantos homens e mulheres que sentiram perda em suas vidas.

Nesta época, a massificação do toca-fitas portátil estava abrindo uma nova dimensão para o ensino da Bíblia. Onde antes um mestre da Palavra só falava para uma audiência limitada, agora as mensagens podiam ser reproduzidas em milhares de fitas cassete e afetar vidas em várias partes do mundo. O ministério de distribuição de fitas e literaturas de Derek Prince foi organizado em 1971 e continua até hoje (Derek Prince Ministries).

Deus é o Melhor Casamenteiro

Em 1975, a esposa de Derek, Lydia, faleceu de parada cardíaca. Vários anos mais velha que Derek, Lydia havia sofrido de problemas cardíacos já por algum tempo. Porém, sua influência sobre Derek nos seus trinta anos de casamento é impossível de avaliar. De acordo com Derek, Deus é um “casamenteiro” e é quem faz as verdadeiras uniões que produzem fruto para seus propósitos. “Ele nunca confiou em mim para escolher minha própria esposa”, ele dizia.

Apesar das enormes diferenças de idade, cultura e experiência entre os dois, e do desafio de assumir oito filhas com idades entre dois e dezoito anos, Deus concedeu a Derek e Lydia um casamento abençoado em todos os aspectos. A chave era sua união espiritual, na oração diária em conjunto, e no ministério. Lydia sempre se sentava na primeira fileira quando Derek ensinava a Palavra e participava junto na hora de ministrar libertação e cura.

Viveram juntos em três continentes, criaram nove filhas, suportaram inúmeras pressões e dificuldades, e Lydia, mesmo com seus problemas físicos no final, sempre era um baluarte. Derek lembra:

Aprendi dela que não podemos deixar o exterior determinar o interior. Com a vida entregue a Deus, há uma fonte interior de força que não se sujeita às fraquezas e variações do corpo físico. Às vezes, ela sentia que seu coração físico estava falhando, contudo sempre dizia: “Ainda que a minha carne e o meu coração desfalecem, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre” (Sl 73.26). Quando ela partiu, senti que parte das minhas entranhas tivesse sido arrancada, deixando uma ferida aberta. Mas Deus, na sua misericórdia, deu-me graça para liberá-la a ele e, assim, iniciar o processo de cura.

Solteiro, novamente, Derek dedicou outra vez sua vida ao Senhor e disse-lhe que estava disposto a ficar sozinho para o resto da sua vida, se esta fosse a vontade de Deus. Mas Deus tinha outros planos. Em 1977, ele entrou novamente na vida de Derek como casamenteiro. Numa série de circunstâncias sobrenaturais, Deus o levou a uma outra mulher em Jerusalém. Um pouco mais de um ano depois, ele se casou com Ruth Baker. Ele estava com 63 anos de idade. Em 1981, ele voltou a morar em Jerusalém, onde permaneceu até a morte de Ruth (em dezembro de 1998) e onde ele também faleceu este ano.

Espalhando a Palavra Pelo Globo

Em 1979, pouco depois do casamento, Deus começou a abrir uma nova via de comunicação de ensino da Palavra: o rádio. A direção que Deus lhe deu foi: Proclame a Palavra; mensagens curtas, simples, de fácil compreensão, declarando verdades básicas das Escrituras. Isto confirmou uma direção que Deus lhe dera no Quênia em 1958, enquanto lia Mateus 24.14 (“E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim”): Esta é a prioridade número um para meu povo nesta hora.

E foi isto que Deus lhe deu condições de fazer. Começando nos Estados Unidos, os programas passaram a ser transmitidas também no Caribe, na América Central e na América do Sul, a partir de 1982. Em 1984, os programas começaram a ser transmitidos em mandarim, o dialeto chinês mais falado, e posteriormente em outros dialetos também. Até hoje, são transmitidos na China e em todo o sudeste asiático.

Em 1983, o ministério estava enfrentando dificuldades financeiras. As vendas nos Estados Unidos haviam caído e não tinha fundos suficientes para pagar as despesas dos programas mundiais de rádio. Ao orar sobre isto, Deus falou claramente com Derek e Ruth para não se preocupar mais com a venda dos materiais e começar a enviá-los gratuitamente para cristãos nativos e missionários no Terceiro Mundo e nos países da Cortina de Ferro que não tinham condições de comprá-los. Em obediência, começaram com vinte e três líderes em oito países que já eram conhecidos. A partir daquele pequeno começo, centenas de milhares de livros e fitas de áudio e vídeo foram enviados gratuitamente a líderes em cento e vinte nações.    

Derek ainda viu seus programas e materiais de ensino chegarem a lugares mais remotos, como Papua Nova Guiné, e Mongólia, e a países antes fechados, como na ex-União Soviética e nos países da Europa Oriental. Também ministrou pessoalmente a líderes na Rússia e em outros países do antigo bloco soviético.

A visão do ministério que fundou (Derek Prince Ministries), e que continua hoje, se resume no seu lema:  Alcançando os não alcançados e ensinando os não esclarecidos.

Derek Prince dedicou todos os talentos, habilidades e energias que possuía à exposição clara e prática da Bíblia. Estas foram algumas das verdades bíblicas que ele contribuiu de forma especial para trazer de volta à sua geração:

• Os fundamentos bíblicos
Discernimento entre o falso e o verdadeiro nas coisas do Espírito
A disciplina do jejum
A libertação de maldições
Oração em favor de governos
O lugar de Israel no plano de Deus
Libertação de demônios
O poder da proclamação
Os eventos dos últimos dias

Ao completar 80 anos de idade, e quase cinqüenta anos de serviço cristão, Derek testemunhou:

Deus é fiel! Eu nunca poderia ter planejado tudo isso. Sempre fico abismado quando fico sabendo que tem gente estudando meus livros numa pequena aldeia na Índia ou assistindo meus vídeos na Sibéria – foi Deus quem orquestrou tudo!

Há mais de cinqüenta anos, no país que hoje se chama Israel, Deus falou comigo e disse: “Eu te chamei para ser um mestre das Escrituras na verdade, na fé e no amor que estão em Cristo Jesus – em favor de muitos”. Eu nunca poderia ter imaginado quantos seriam! Mas houve uma progressão: primeiro, procurei entregar a verdade com clareza, depois Deus enfatizou a necessidade de fé, e hoje meu supremo alvo é produzir amor naqueles que ouvem minhas mensagens ou lêem meus livros.

Ainda creio que há muitos outros a serem alcançados. Não tenho planos para me aposentar. Espero cumprir tudo que Deus ainda tem para minha vida. Ele provou para mim durante mais de cinqüenta anos que é fiel e confio que o será até o fim.   

Derek deixou onze filhos, 35 netos, 58 bisnetos e sete tataranetos. Oito netos e dois bisnetos estão no ministério de tempo integral. Um dos seus genros, David Selby, é Diretor Executivo do Derek Prince Ministries.

Fonte: Página do Ministério Derek Prince na Internet www.derekprince.com

Se você desejar saber mais sobre a contribuição desses homens ao plano de Deus no século XX, e sobre a contribuição de muitos outros servos de Deus no século passado (a fim de saber melhor o que Deus quer fazer hoje como seqüência de tudo isso), peça este livro:
A Igreja do Século XX – A História Que Não Foi Contada
Fone (19) 3462-9893

2 respostas para “Vidas de Impacto: Três Gigantes da Fé Encerram Suas Carreiras”

  1. ademar de bairros disse:

    como faco para receber esse livro,meu edereco e chapeco sc 310 bloco A 204 bairro lider rua visconde de kairu. gostei muito do q li.obrigado que a paz de cristo esteja com todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *