Entrevista com Wayne Jacobsen-Vida Genuína na Igreja: Como Encontrar?

Data de publicação: 29/04/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 65 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 65

Por Wayne Jacobsen

Na entrevista a seguir, você descobre como a vida de Wayne Jacobsen, um dos autores do livro Por que você não quer mais ir à igreja?, está entrelaçada com a história do livro. Embora seja uma ficção, a narrativa traz ensinamentos que Wayne e seu amigo, Dave Coleman, co-autor da obra, aprenderam ao longo de suas jornadas. Conhece também a maneira simples e dialógica como os capítulos foram escritos.

Antes de escrever Por que você não quer mais ir à igreja?, você escreveu algum outro livro?

O primeiro livro que escrevi foi The Naked Church (A igreja desnuda), que mostra a perda de intimidade que acontece na religião com a adoção de programas, regras e regulamentos. Depois, escrevi um livro chamado In My Father’s Vineyard (Na vinha de meu pai), que é a parábola de João 15 vista através dos olhos de um viticultor. Eu cresci em uma vinha, e meu pai me ensinou não só sobre a fé, mas também sobre a viticultura. É por isso que a analogia de João 15, de que Jesus é a videira e nós os ramos, é, para mim, uma das metáforas mais afáveis e significativas das Escrituras.

Um outro livro que escrevi é chamado He Loves Me (publicado em português com o título Deus me ama). Este, para mim, é o livro mais significativo de todos os que já escrevi ou que ainda possa escrever. O livro trata da transição de um relacionamento com o Deus da Bíblia baseado em medo para um relacionamento baseado em afeição. E mostra como isso muda completamente o modo como conheço Deus, como o vejo no mundo, como amo outros irmãos e irmãs e como amo as pessoas no mundo que ainda precisam vir a conhecer o Pai que eu conheço.

Além desses, escrevi um livro juntamente com meu irmão natural chamado Authentic Relationships (Relacionamentos autênticos), sobre a vida da igreja no sentido de Corpo. Usamos as passagens bíblicas de “uns aos outros”: “amai-vos uns aos outros”, “sede servos uns dos outros”, “instruí e aconselhai-vos mutuamente”, “orai uns pelos outros”, “confessai uns aos outros”. Procuramos mostrar como seria a vida da igreja se fosse baseada nos relacionamentos de “uns com os outros” e não na tentativa de praticar os rituais e programas religiosos do cristianismo.

Do que se trata o livro Por que você não quer mais ir à igreja?

Eu escrevi esse livro com um bom amigo, Dave Coleman. Foi o primeiro livro meu a ser traduzido para o português. Estamos muito contentes com o número de pessoas que está se identificando com sua mensagem. O livro foi escrito para pessoas que sentem que a vida de igreja no século 21, de regras e rituais, não está funcionando, não corresponde aos anseios do coração.

O livro conta a história fictícia de um homem que está frustrado com sua experiência de igreja e encontra alguém que vive com Jesus de uma forma que ele achava existir somente em sonho. São 13 diálogos entre esse homem, Jake, e João (que talvez seja o apóstolo João da Bíblia – ou talvez não seja!), nos quais eles exploram o que significa viver como um filho amado pelo Pai e como envolver outras pessoas do Corpo de Cristo somente pelo amor, sem recorrer ao medo, ao desempenho pessoal, à tentativa de merecer a aprovação de Deus. Foi uma experiência maravilhosa escrever esse livro.

O que o levou a escrevê-lo?

Minha paixão por esse livro vem de uma jornada pessoal de muitos anos. Desde muito jovem, sempre na igreja, tive um profundo desejo de conhecer Deus da maneira que a Bíblia explica que podemos conhecê-lo. Minhas experiências na igreja não estavam me ajudando a encontrar essa realidade. No início, pensei que o problema fosse a igreja. Mas durante aquele tempo, tive várias experiências com Deus nas quais ele chegou mais perto de mim. Entendi que não estava sozinho no universo, que existia um Deus no céu que realmente me amava e ansiava me dar perdão e pureza para desenvolver relacionamento e intimidade comigo.

Depois disso, resolvi entrar numa escola bíblica e dedicar-me ao ministério de tempo integral. Assumi um cargo pastoral e, de repente, eu estava à frente de uma igreja com liberdade de fazer tudo o que achava certo. Mesmo assim, a vida que procurava em Deus parecia uma miragem.

Havia uma frustração constante. Em alguns momentos, Deus me visitava e renovava; depois, eu me esforçava ainda mais para merecer ou segurar a vida dele, confiando na minha própria capacidade, fazendo religiosamente aquilo que acreditava que Deus queria. Porém, nada disso dava certo, e a renovação que Deus me dera logo se esvaía. Consternado, eu perguntava: “Deus, o que está acontecendo?”

Foi somente com 42 anos de idade que passei por eventos semelhantes aos que são descritos no livro (embora a história seja ficção, as lições de vida não o são). Passei por mudanças incríveis na minha vida e comecei a encontrar um relacionamento com Deus e com outros irmãos muito mais verdadeiro do que apenas “brincar” de igreja, praticando rituais ou seguindo doutrinas.

Meu amigo Dave Coleman e eu queríamos transmitir como é maravilhoso sair da armadilha do esforço humano, da tentativa de ser bom e agradar a Deus, e começar a experimentar um relacionamento com ele que traz verdadeira transformação a partir do interior. Queríamos mostrar como isso muda tudo, principalmente a forma como nos relacionamos com as pessoas e com o mundo.

Tentamos escrever essa história de diversas maneiras, desde um livro de ensino não fictício, passando por várias outras ideias, até finalmente decidirmos por essa história de Jake. E deu certo, pois encontrou um forte eco em pessoas ao redor do mundo que, apesar de não se encaixarem nas estruturas religiosas que herdamos no século 21, têm uma profunda paixão por conhecer Deus. Queríamos dar esperança para essas pessoas no sentido de que, a despeito das decepções na experiência religiosa, o que Jesus falou sobre o Pai é real, e podemos ter um verdadeiro relacionamento de amor com ele.

Como foi que desenvolveram a narrativa dessa história?

O processo de criar e desenvolver a história foi uma das experiências mais divertidas que já tive em toda a minha vida. Dave e eu conversávamos durante uma hora e meia, mais ou menos, e colocávamos Jake nas piores situações imagináveis. Na verdade, embora a história seja inventada, essas situações que criamos expressam emoções, dúvidas, dores, angústias e dilemas que experimentamos em nossa própria jornada. São tão reais que muitas pessoas, provavelmente mais de 100, já nos disseram incrédulas: “Vocês escreveram minha história; as experiências de Jake descrevem exatamente aquilo pelo qual eu passei”.

Depois de colocar Jake nessas terríveis enrascadas, passávamos mais duas a três horas pensando: “Se um dos discípulos originais de Jesus estivesse aqui hoje e visse como transformamos o maravilhoso presente de vida nessa religião superficial e engessada que chamamos de cristianismo, o que ele nos diria? Que tipo de resposta ele daria aos nossos dilemas? Se o apóstolo João estivesse vivo hoje, o que ele diria a Jake?”

Então, depois dessas quatro a cinco horas de diálogo, eu ia para casa e escrevia o próximo capítulo. Meu amigo Dave não é escritor, é um pensador. Ele tem sido um João na minha vida, um irmão mais experiente na jornada, ajudando-me a enfrentar as perguntas que me assombram, amando-me e guiando-me imperceptivelmente a essa realidade que Deus quer nos dar. Foi mais ou menos o que Jesus fez com os discípulos: ao invés de ensinar-lhes doutrinas ou métodos para organizar a igreja, ele apenas os amou, abrindo-lhes, assim, um novo relacionamento com o Pai. Foi isso o que mudou a maneira como pensavam e, consequentemente, como viviam no mundo.

Depois de escrever o capítulo, eu o mandava para Dave, e depois trocávamos ideias e sugestões até chegar ao resultado final. No início, não tínhamos intenção de publicar um livro. A ideia era colocar um capítulo por mês na Internet até completar a história. Mas muita coisa inesperada aconteceu: Dave ficou doente com câncer e precisou passar por cirurgia, e eu me mudei para outra cidade. Tivemos mais dificuldade para nos encontrarmos e, ao invés de fazer um capítulo por mês, fizemos um capítulo a cada quatro meses. Em vez de terminar a história em um ano, levamos quatro anos e meio.

Os leitores começaram a ficar irritados, pois estavam lendo os capítulos online. Ao terminarem de ler o capítulo quatro, por exemplo, às três horas da manhã, queriam ver o que ia acontecer depois e clicavam no botão para o capítulo cinco – que ainda não existia! Só aparecia uma nota: “Este capítulo ainda está sendo escrito e será disponibilizado assim que for possível”.

Eles mandavam mensagens irritadas para mim: “Eu quero saber o que acontece com Jake!” E eu respondia: “Estamos tentando”. As primeiras pessoas que leram o livro dessa forma quase morreram, porque tinham de esperar quatro meses pelo próximo capítulo.

Finalmente terminamos, mas agora o livro está impresso. Ficou bem mais fácil de ler a sequência!

Você se identifica mais com Jake ou com João na história?

Mais com Jake. Durante muitos anos, busquei muito a realidade da vida com Deus e me sentia frustrado pela maioria dessas tentativas. Não entendia por que Deus não respondia algumas orações, por que a minha igreja não tinha mais vida e por que parecia que sempre precisava empurrar as pessoas para algo que realmente não queriam. Nesse sentido, me identifico com Jake na história.

Nos últimos 15 anos, porém, venho vivendo mais como João, tendo a oportunidade de sentar-me ao lado de várias pessoas e fazer as mesmas perguntas que antes me incomodavam, perturbando-as por um tempo para ver como Deus mudará sua vida.

Uma das coisas que não planejamos de antemão quando começamos a escrever o livro, mas que acabou aparecendo nele, é o processo de discipulado entre Jake e João. Eu amo isso! João nunca diz o que Jake deve fazer, nunca dá ordens para serem seguidas; ele apenas se faz presente durante suas experiências de vida e oferece-lhe formas de ver como Deus pensa. Jake não estava acostumado com isso, porque aprendeu na religião que era necessário seguir as regras que Deus estabeleceu para poder obter a vida que vem dele.

Qualquer um que já tentou fazer isso sabe que não funciona. Não é uma questão de seguir regras, mas de conhecer Deus como uma pessoa real no universo dele e de desenvolver uma verdadeira amizade com ele. É nesse processo de crescer num relacionamento de afeição e compaixão que ele nos transforma. Passamos a viver de modo diferente, exatamente como as Escrituras dizem que deve acontecer, porque Deus escreve suas leis em nossa mente e coração. Quando sou amado, passo a pensar de forma diferente, amo de forma diferente e começo a viver no mundo de forma diferente, não porque estou seguindo outro conjunto de regras, mas porque entrei em contato com a única presença verdadeira no universo, que é o próprio Deus.

Por que você não quer mais ir à igreja? é um título chocante. A ideia era fazer uma crítica às instituições?

Não, de forma alguma. Quando alguém está encontrando vida dentro de uma instituição, nós sempre o incentivamos: “Se você está ouvindo o convite para estar mais próximo de Jesus, se sua vida está sendo transformada à imagem de Jesus, então continue, vá em frente!” O livro foi escrito para pessoas que não têm achado vida ali. Dave e eu já fomos pastores e não estávamos passando nenhuma mensagem do tipo: “Se você não seguir exatamente o que estamos ensinando, coitado de você”. Nosso desejo era encontrar essas ovelhas perdidas aonde quer que estejam, aquelas que não estão encontrando soluções nas instituições.

Nosso propósito não era apontar o dedo nem provocar quem está se dando bem nas igrejas organizadas, e creio que tomamos muito cuidado para não fazer isso. Algumas pessoas acharam que o livro tinha o objetivo de atacar a igreja e surpreenderam-se quando viram que a mensagem era totalmente diferente.

A intenção do livro é mostrar que existe, de fato, um relacionamento real com Deus e uma comunidade com irmãos e irmãs tão poderosa quanto a que vemos na Bíblia; que nossas instituições, como se tornaram ao longo do tempo, talvez não ofereçam a prática disso para a maioria de seus membros hoje. O número de pessoas que estão deixando as igrejas hoje nos Estados Unidos, assim como em outros lugares do mundo, mostra exatamente isso.

Se você olhar as estatísticas de moralidade, por exemplo, comparando o mundo com a igreja, verá que tem muito pouca diferença entre os dois. Eu creio que mesmo pastores muito comprometidos com a igreja, como instituição, dirão que, para a maioria, o sistema não está funcionando e que precisamos procurar outras respostas. Alguns tentam criar um novo sistema. Eu já fiz isso e conheço outros que fizeram o mesmo. No final, só vai produzir um resultado semelhante. Apesar de toda a expectativa e esforço, não gera a realidade da vida de Deus no interior.

O livro foi, então, uma maneira de dizer às pessoas que há outro jeito de pensar e viver a vida de Deus que funciona de verdade. É possível conectar-se com Deus. Ele realmente transforma sua vida. Você pode experimentar comunhão com outros irmãos e irmãs sem usar manipulação e pressão para mudá-los. É por meio de relacionamentos baseados em profundo amor e afeição, encorajando e ajudando um ao outro durante a jornada.

Colaboraram nesta entrevista Vivian Haddad (transcrição e tradução das respostas) e Renata Ribeiro (redação).

21 respostas para “Entrevista com Wayne Jacobsen-Vida Genuína na Igreja: Como Encontrar?”

  1. Luciano Moura disse:

    Parabéns pela entrevista , eu já li o livro e estou lendo outra vez e tem me ajudado muito a encontrar respostas no meu relacionamento com o Pai,que Deus abençoe a vida do escritor Wayne Jacobsen para que através da vida dele muitas pessoas possam ser abençoadas e encontrar um verdadeiro relacionamento com o Senhor Jesus e com Deus nosso Pai.

  2. Angelica Farias disse:

    Simplesmente ótima, comprei o livro, acabei de recebe-lo, e ainda não o lí! Mais creio que foi Deus quem me motivou a fazê-lo. Não vejo a hora de começar a leitura.
    Um Forte Abraço.
    Angelica

    • Jonathan Costa disse:

      Nossa! Estou lendo esse livro. Realmente me surpreendeu e me fez refletir muito. Me identifiquei com muitos questionamentos de Jake e já tenho mudado minha perspectiva de um verdadeiro relacionamento com Deus Pai. SENHOR obrigado por ouvir minhas orações e está me transformando através desse livro.

  3. eliete fraga disse:

    Este livro está realmente me ajudando a entender porque em enúmeras vezes me vi tentada a largar tudo porque achava que o fardo era pesado demais, ai percebi que a única coisa a fazer era simplesmente confiar no Deus vivo e ter um relacionamento com ele e com meus irmaos.

  4. SILVANIA MOURA BRAZ disse:

    O livro é maravilhoso! Encontrei várias respostas que ansiava perguntar. Parabéns

  5. Celina disse:

    Recomendo a leitura deste livro , para que possamos voltar ao primeiro amor e aceitar este amor do Pai que traz mudança de dentro para fora.

  6. Rafaela Araújo disse:

    Estou lendo o livro e estou passando a achar sentindo em muitas coisas que antes eram normais e rotineiras.

  7. Adriano disse:

    Livro maravilhoso. Me ajudou muito a abrir minha visão de como ter uma intimidade e confiar no amor de Deus.

  8. Leonardo Lara disse:

    Excelente livro, aprendi bastante e recomendo sua leitura.Um irmão em Cristo me esclareceu o que o Senhor Jesus disse quando ensinava aos discípulos sobre o sal da terra – que se for insípido para nada serve, o que é a mais pura verdade e Ele fala que nós somos o sal da terra, mas o sal só têm sua função realizada quando ele é misturado ao alimento tanto para dar sabor como para conservá-lo e esse é o verdadeiro significado de comunhão. A paz do Senhor Jesus a todos.

  9. Marcelo Santos disse:

    Não é SÓ um livro… é uma nova maneira de viver, aprendendo a valorizar o relacionamento mais íntimo com nosso Pai, sem barganhas, sem castigos.

  10. Robert Verdi disse:

    Livro maravilhoso, por meio do mesmo venho conhecendo Jesus de uma forma que nunca conheci…
    Deus abençoe Wayne!!!

  11. Orlando Budi Junior disse:

    Este livro foi um instrumento de Deus para desmanchar muitas ilusões que são fabricadas dentro das instituições. O contexto deste livro choca com a religiosidade que tem escravizado inúmeras pessoas. Graças dou a Deus por este livro, pois, com sua ajuda me aproximei mais Dele, de Sua Palavra, e do verdadeiro cristianismo que não tem nada a ver com o “igrejismo”. O verdadeiro cristianismo é maravilhoso. Lembro-me de quando criança com pouco tempo de salvação havia em mim uma vida que com o tempo foi perdendo o sentido e vejo como Deus opera para que voltemos a esta vida abundante que Cristo veio nos dar. Nosso relacionamento com Deus baseia-se unicamente no Amor.

  12. Marlene disse:

    Nossaaa a cada leitura uma surpresa pra mim,este livro é maravilhoso,esta me ajudando a entender certas coisas e bate realmente com tudo que esta acontecendo em muitas igrejas..É muita festa,muitos compromissos,é uma pressão tão grande,os pastores ao invés de ensinar as ovelhas colocam medo,se vc não ir a igreja vai ficar doente e algumas pessoas tomam isso pra si e acaba ficando mesmo..É tanto egoismo,irmão que nem olham um na cara do outro,e se mostram ser de oração..Meu Deus socorre-nos pois estamos confundindo as coisas,estamos nos atarefando com coisas sem sentido pra Ti senhor…Esquecendo das almas de lá fora,e nos prendendo entre 4 paredes nos tornando Robôs de instituição…Eu não quero issooo…Esse livro esta abrindo meus olhos,e me fazendo a cada dia mais chegar mais perto do Pai e do Homem…Esta me ensinando a amar simples assim..

  13. eliane disse:

    Cheguei na loja e encontrei este livro esquecido no cantinho, de longe pensei que era A Cabana, quando me aproximei o título fazia uma pergunta para mim ao qual eu não tinha uma resposta. Comprei o livro imediatamente e comecei a ler. Ele respondeu a pergunta que fazia há anos, pois sintetizou de maneira divina o que estava em meu coração. Posso afirmar que ele mexeu comigo e polarizou a fé que iniciou no primeiros anos em que conheci a Jesus.

  14. Ana Labre disse:

    Este livro foi um divisor de águas em minha vida, sempre que posso e tenho intimidade com alguém, o compartilho. Foi de encontro a tudo que eu acreditava, mas não sabia colocar em palavras, estava em meu coração. O anseio pelo amor ao pai, isento de dogmas e religiosidade. Te amo Deus, e obrigada Wayne Jacobsen, por esta maravilha que é este livro!

  15. Rodrigo Galvão disse:

    Acabei de ler o livro hj e claro que fico com mais perguntas e questionamentos. Mais a certeza de que além de mim existem outras pessoas que desejam algo diferente daquilo que se encontra em muitas igrejas,não culpando a igreja pois funciona pra outras pessoas. Mas eu com certeza desejo buscar esse novo relacionamento. Deus abençoe a todos

  16. Marluce Batista disse:

    Que livro maravilhoso !! Ele nos leva às raízes de nossa fé no único e verdadeiro Deus. Nos tira a trave que por milênios tem sido colocada pelas instituições que não vivem e nem pregam o evangelho puro de Cristo.

  17. Paula Navarro disse:

    Eu achei na rua kkkk, quando o encontrei não dei muito valor a ele;deixei guardado por muito tempo,mas essa semana resolvi que iria ler, me surpreendi, muito bom mesmo, porque mostra quem é a igreja de verdade, que somos nós e que o problema não está na instituição chamada de igreja e sim em nós seres humanos que tentamos fazer as coisas querendo comprar o amor de Deus, sendo que Ele já nos ama sem precisar de nada em troca, e o livro nos desperta para termos um verdadeiro relacionamento com Deus, estou amando, parabéns aos escritores. ♡

  18. Jussirleia disse:

    De fato é muito revelador e confrontador ler esse livro. Cheguei a pensar que fosse uma história verídica. Mas me aprofundei e vi que era apenas uma ficção criada por 2 homens que aprenderam a ter um relacionamento íntimo com Deus. Não sei se sair da igreja é o certo. Mas sei que Jesus tem que ser o centro.

  19. Guilherme Afonso Ferreira disse:

    Sugiro que leiam outros dois livro do Wayne em português: “Deus me Ama” e “Amar o Próximo”. Simplesmente excelentes. Minha vida tem sido impactada com o conteúdo! Recentemente comprei vários exemplares desses dois livros para doar a amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *