Uma Mensagem Transformada

Data de publicação: 12/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 04 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 04

O que Jim Bakker prega e escreve hoje? Quais são os pontos principais da sua mensagem? Veja como Deus transformou radicalmente sua maneira de pregar o evangelho.
Abaixo, alguns pontos extraídos de entrevistas e artigos.

Prosperidade

Enquanto estava na prisão, o Senhor me mostrou que queria que eu estudasse as palavras de Cristo na Bíblia. Então escrevi a mão todas as palavras que ele proferiu. Passei dois anos fazendo isso. Eu queria conhecer a Cristo e tudo que ele disse. À medida que comecei a absorver os ensinamentos dele, a minha vida foi transformada. Às vezes, eu estudava 16 horas por dia.

Chorei ao ver que tinha errado tanto o alvo, pregando um outro evangelho e um outro Jesus. Jesus não falou bem nenhuma vez do dinheiro. Falou do engano das riquezas; disse “Ai dos ricos” (Lc 6.24), e que não podemos servir a Deus e ao dinheiro (Mt 6.24). Não devemos acumular tesouros perecíveis (Mt 6.19), e alertou contra toda espécie de avareza (Lc 12.15).

Sempre citei 3 João 2, dizendo que Deus acima de tudo quer que sejamos prósperos. Eu adorava esta passagem, e ficava ótimo na televisão, quando você quer levantar fundos. É muito popular pregar que Deus quer que todos fiquem ricos.

Mas quando examinei a palavra prosperamo grego, e coloquei o versículo dentro do seu contexto, descobri que João basicamente estava dizendo: “Amado, quero que faça uma boa viagem pela vida, assim como sua alma faz uma boa viagem para o céu.” Era uma saudação! Basear teologia nisso é como edificar a igreja em “Tenha um bom dia!”

Eu usava um método de pregação que escolhia os textos de acordo com o tema. Você simplesmente tira versículos da Bíblia que tratam do tema que deseja. Mas quando estava na prisão, passei a estudar as Escrituras dentro do contexto. E vi que a maioria das minhas passagens prediletas nada tinha a ver com o que eu pregava.

Por exemplo, um dos textos que usávamos para ensinar prosperidade era: “Dai e dar-se-vos-á” (Lc 6.38). Mas Jesus não disse isto sobre dinheiro, mas quando estava ensinando sobre atitudes de perdão. Pela mesma medida em que perdoarmos os outros, seremos também perdoados.

Outro problema que temos é quando pegamos nossos temas de pregação de outras pessoas. A Bíblia adverte sobre pastores que pegam suas mensagens uns dos outros. Creio que a razão por que pregamos um outro evangelho, e um outro Jesus, é que pegamos nossos sermões uns dos outros e de ensinamento motivacional. Colocamos filosofias predominantes nas nossas pregações com alguns versículos, e fazemos com que os textos confirmem o que pensamos.

Encontro com pessoas feridas em toda parte que acham que Deus as abandonou porque não têm bênçãos materiais, ou perderam o emprego, a esposa ou o marido, ou por causa de algum outro problema. Mas a Bíblia ensina que a prova da nossa fé é mais preciosa do que ouro. Por que ensinamos então que as provações ou as perdas vieram do diabo? Se dinheiro fosse sinal da aprovação de Deus, então os donos de cassinos e astros de Hollywood são aprovados por ele!

Veja bem, não estou tentando tirar as bênçãos financeiras das pessoas, mas a bênção de Deus não tem nenhuma ligação obrigatória com dinheiro. Deus pode na sua sabedoria dar recursos para uma pessoa dependendo do plano que tem para ela, mas a Palavra de Deus nos adverte contra ensinamentos de que a “piedade é fonte de lucro” (1 Tm 6.5). E era exatamente isso que eu ensinava.

1 Timóteo 6.10 diz que o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Diz que muitos que procuraram se enriquecer se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. Não tem como fugir da mensagem clara destes textos.

Sofrimento

As pessoas acham que Deus não vai deixar que passem por provas, e nem pela grande tribulação. Temos ensinado um evangelho de fuga. Creio que a Bíblia ensina claramente que a igreja vai passar pela tribulação. O arrebatamento antes da tribulação é uma doutrina relativamente recente na igreja.

Quando estudei a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse, não encontrei um homem ou mulher de Deus que viveu uma vida protegida do sofrimento. Só encontrei fornalhas de fogo, covas de leões, desertos e cisternas sem água (Jeremias 38).

João Batista foi o maior profeta a andar sobre a terra segundo Jesus (Mt 11.11), mas ele não só foi jogado na prisão, mas Jesus nada fez para libertá-lo. E no fim foi decapitado pelo rei Herodes. Isto não cabe na pregação de prosperidade.

A Bíblia inteira foi escrita sobre conhecer a Deus e a comunhão dos seus sofrimentos. Isto não dá sermões muito populares. Mas descobri pela comunhão com seu sofrimento que meu tempo na prisão se transformou de um período de solidão (e que solidão!) num período de quietude, em que andei mais perto de Cristo do que em qualquer outra época na minha vida.

Final dos Tempos

Eu creio que a meretriz do livro do Apocalipse é o materialismo. Fiz parte de uma igreja, como muitas outras, que ensinava que a meretriz era a Igreja Católica. Isto é uma fuga. Sempre queremos culpar alguém ou alguma outra entidade, e nunca examinar a nós mesmos. Se você estuda os atributos da meretriz, tem tudo a ver com materialismo. É sobre o comércio de comprar e vender. É sobre amar este mundo e as coisas deste mundo.

Creio que os quatro cavaleiros do Apocalipse já saíram, e que estão andando já. O último cavaleiro traz morte através dos animais. Eu nunca consegui entender como animais poderiam matar até um terço da população — seriam elefantes pisoteando multidões? Aí entendi que morte significa peste ou doença. E o vírus HIV veio de onde? De macacos, de animais!

Talvez você ache isso fanatismo, mas a Bíblia fala 17 vezes que o sol escurecerá antes da volta de Jesus. Fala de estrelas que cairão (Mt 24.29), e de uma montanha em chamas sendo atirada no mar. Creio que isto é um asteróide ou cometa que vai colidir com a terra. Um documentário científico chamado  Fire from the Sky (Fogo do Céu) explica que se um asteróide batesse na terra, causaria uma nuvem que cercaria a terra e causaria um inverno nuclear por um ano. O sol escureceria e pareceria como sangue.

Julgar os outros

Fui criado num ambiente de lei, apesar de estar no evangelho. Mas ou acreditamos na graça de Deus, ou não acreditamos. E o mais difícil de tudo é perdoar a mim mesmo. Deus me deu vitória para perdoar os outros. Na prisão, Deus falou ao meu coração que se não perdoasse meus inimigos e não orasse para que Deus os abençoasse, eu nunca sairia da lá. Temos a história de Davi na Bíblia. Ele cometeu homicídio. Cometeu adultério. Mas o que aprendemos da vida dele é que seu coração estava sempre voltado para Deus. É por isso que não podemos julgar uns aos outros, por que só Deus conhece os corações.

Nota: Jim Bakker está escrevendo um outro livro, chamado “Prosperity and the Corning Apocalypse” (Prosperidade e o Iminente Apocalipse)

————————————————————————————————————————————————————————-

Amar a Jesus, e a Seus Inimigos

Este artigo foi adaptado de uma mensagem dada por Jim Bakker no culto de passagem de ano 31 de dezembro de 1996, numa conferência MorningStar, nos EUA.

Cada vez que vou diante de uma audiência estes dias, encontro alguém que nunca me viu antes, mas que me odeia pelas formas em que feri o corpo de Cristo. Muitas vezes, não conseguem vencer este sentimento enquanto estou ali na sua frente. Eu entendo isto, e quero que fiquem livres.

Se você ainda não ouviu meu pedido de perdão, espero que ouça agora, e que me perdoe. Não quero que fique ferido. Se você me odeia, na verdade não está me ferindo, porque nem sei que me odeia. Mas se você me odeia, está matando a si mesmo. A Bíblia diz que se não perdoarmos, não seremos perdoados. Não quero que as pessoas vivam em ódio e escravidão, porque eu sei o que é estar numa prisão.

Deus falou comigo que não me soltaria da prisão até que tivesse perdoado a todos que na minha opinião tinham feito algo errado contra mim. Todos! Ele me mostrou que eu morreria na prisão se não perdoasse. E quero que você saiba que foi muito difícil perdoar algumas das pessoas que me feriram.

Abençoando os que o Feriram

Encontro com pessoas por toda parte que ainda vivem numa prisão feita por elas mesmas porque não perdoam. Deus recentemente deu-me ousadia para falar com um pastor amigo e com sua esposa que tinham de perdoar as pessoas que acabaram de dividir sua igreja. Falei que deveriam convidar os causadores de problemas à sua casa para jantar, e ter comunhão com eles. Achei que tinham se comprometido a quebrar seus muros de indisposição de perdoar, mas há poucos dias recebi uma carta preocupante da esposa do pastor. Ela havia concluído que as pessoas que dividiram a igreja eram simplesmente terríveis demais para serem perdoadas, ou para se fazer um esforço para ter comunhão com elas.

Deus diz que devemos amar nossos inimigos. Antes de poder ser solto da prisão, tive que orar para Deus abençoar as próprias pessoas que ajudaram a me colocar lá dentro. “Bem, não posso orar para abençoar meus inimigos”, as pessoas dizem. Mas se realmente entendesse o que é a bênção de Deus, você não hesitaria em pedir bênçãos sobre seus inimigos.

Quando você pede a bênção de Deus, não é para que recebam um BMW, ou uma mansão aqui na terra. Não é a estas bênçãos que a Bíblia se refere. Ao pedir as bênçãos de Deus, você está pedindo que Deus os salve, os encha com o Espírito Santo, e que faça deles ganhadores de almas!

Que vingança tremenda! Pense no seu pior inimigo amando as pessoas e ganhando almas para Jesus! Esta é uma vingança do Espírito Santo, ver seus inimigos cheios de amor e ardendo em fogo para Deus. E a melhor parte é que você fica liberto. Eu tive de ir à prisão para ser liberto da escravidão da falta de perdão.

Não perdoamos as pessoas porque são merecedoras do nosso perdão — perdoamos porque amamos a Jesus. Poucas coisas colocam à prova a autenticidade do nosso amor por ele mais do que ser confrontado com sua ordem de perdoar e abençoar nossos inimigos.

Amar a Jesus Mais do que às Coisas

Enquanto estava na prisão, o Senhor tratou comigo sobre outra questão também: minha necessidade de apaixonar-me por Jesus e não pelas coisas. Não sou contra a prosperidade; acredito nela. Creio que se Deus quiser dar um bilhão de dólares ao seu ministério, ou conceder-lhe um quarteirão inteiro na cidade de Nova York (ou São Paulo), ele certamente é capaz de fazê-lo. Mas precisamos tomar cuidado para não nos apaixonarmos mais pelas coisas do que por Jesus.

Creio que uma das razões por que tive de ir à prisão foi que eu ensinei as pessoas a se apaixonarem por este mundo atual. Levei as pessoas a se apaixonarem pelo meu sonho — Heritage USA. Construir este parque ficou tão importante que a própria mensagem do evangelho começou a ficar em segundo lugar. Comecei a escrever livros sobre como ficar rico, embora Jesus não tivesse falado bem uma só vez do dinheiro. Dê uma outra olhada naquilo que Jesus diz nos evangelhos. Ao invés de ensinar pessoas a ficar ricas, ele advertia sobre o engano das riquezas.

Há poucos dias encontrei um milionário que estava apavorado que ia perder o céu porque tinha tanto dinheiro. Ele falava insistentemente sobre o jovem rico e o camelo. Ao invés da sua riqueza oferecer-lhe um senso de paz e segurança, ele estava apavorado porque não estava bem com Deus.

Veja, estamos tão ocupados com a preocupação de como vamos ajuntar riquezas, tão ocupados ouvindo a mídia, e assistindo nossos programas de televisão — ocupados com entretenimentos, sendo que Jesus morreu para nos libertar precisamente dessas coisas. Eu tive que ir à prisão para me afastar de tudo isso. Fiquei numa espécie de sepultura por cinco anos, e quando voltei fiquei chocado por ver o quanto o mundo e a igreja haviam mudado — e como agora os dois se pareciam mais do que eu jamais poderia imaginar. Mais chocante ainda era o fato que a igreja não percebe o quanto tem se afastado.

Enganos dos Últimos Dias

É mais tarde do que você imagina. A Bíblia adverte que um dia de engano viria que por pouco enganaria os próprios eleitos. Então, tome cuidado; fique alerta; fique na Palavra. Temos de nos apaixonar por Jesus. O Senhor está preparando sua noiva. A igreja está sendo preparada nestes dias para a vinda do Noivo.

Mas neste momento a igreja ainda não está pronta. Não somos uma igreja sem mancha ou ruga. Não somos ainda a gloriosa noiva que fomos destinados a ser — mas Deus está fazendo algo na terra. A maioria da sua obra agora é invisível e subterrânea. Com as pessoas mais improváveis e nos lugares mais inesperados, Deus está fazendo uma obra.

Os dons do Espírito vão funcionar mais do que qualquer época anterior. Uma nova onda de cura está chegando. Uma massa de pessoas sem nome, sem rosto, está se levantando que não tomará glória alguma para si mesmas. Quando a igreja não se importar mais com quem vai receber a glória, o Senhor fará milagres entre nós como nunca antes.

No meio de tudo isto, precisaremos aprender a ficar humildes. Escutem, já estive lá em cima, e conheço os perigos. Vejo muitos jovens pregadores hoje que querem ser grandes. Meu coração chora por eles, pois senti na própria pele como será abatido quem se exaltar. Todo rei na Bíblia que se elevou acima de Deus foi derrubado. Todo rei que parava de pedir direção de Deus caiu.

Eu estava na televisão mais do que Johnny Carson. Houve um ponto em que eu estava na televisão mais do que qualquer outra pessoa nos Estados Unidos. Eu trabalhava noite e dia para ficar em cima. Mas se quisermos ser usados por Deus, temos de nos humilhar. Não procure ser escolhido. Não procure ficar à frente. Não procure ser alguém. Procure ser ninguém.

A razão de existir tanta solidão hoje é que estamos tão vivos para a nossa carne. Tudo que Hollywood produz é para atrair nossos impulsos sexuais e o amor ao dinheiro. O mundo inteiro, e agora a igreja também, nos incentiva a aproveitar a vida. Até a igreja nos estimula a cobiçar coisas e possessões. Entretanto, a Palavra de Deus diz que devemos morrer para nós mesmos:
“Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só” (João 12.24)

O Jugo de Jesus

Devemos buscar primeiro o reino de Deus e sua justiça (Mateus 6.33). Quando você está apaixonado por Jesus, você anda com ele e ele lhe diz o que ele quer que você faça.

Durante os meus anos na prisão, o Senhor disse-me vez após vez: “Jim, você não precisa construir nada para mim, a não ser que eu o mande. Você não precisa se esforçar para me agradar. Só fique apaixonado por mim, e tudo o mais se resolverá. Mantenha um relacionamento íntimo comigo.”

Quero estar tão perto de Jesus que ele possa simplesmente cochichar no meu ouvido: “Quero que você faça isso. Quero que faça aquilo.” Neste tipo de relacionamento íntimo, sua promessa se cumprirá: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28-30). Isto ganha de longe daquilo que eu tinha antes: um orçamento de $2 milhões de dois em dois dias que eu tinha de ir até ao inferno para arrecadar. “Achareis descanso”, Jesus disse. “O meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”

Uma vez durante meu último ano de prisão, alguém me perguntou: “Jim, o que você aprendeu? Quais foram as três coisas mais importantes que aprendeu na prisão?”

Nem hesitei para responder; eu só disse: “Jesus, Jesus, Jesus.”

Apaixone-se por ele. Aprenda a conhecê-lo e a sua palavra. Eu testei o evangelho na prisão e funciona!

Este artigo foi publicado na Revista MomingStar, Volume 7, nº 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *