Um dos Heróis do Vôo 93

Data de publicação: 21/11/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 19 e Revista Impacto - 1998 a 2014.

Local da Queda: Shanksville, Pensilvânia.
Boeing 767 da United Airlines
Todd Beamer

“Vocês estão prontos? Então vamos nessa!”  Era assim que Todd Beamer costumava falar com sua esposa e dois filhos pequenos antes de saírem de casa para um passeio.

O executivo e professor de Escola Dominical, de 32 anos de idade, disse a mesma coisa antes de agir contra os seqüestradores do Vôo 93 da United Airlines, no último dia 11 de setembro, logo antes de cair num campo na Pensilvânia, nos Estados Unidos.

O jato, que provavelmente estava se dirigindo para um alvo importante na capital Washington, era o quarto a cair num ataque coordenado de terroristas que matou milhares, e foi o único que não matou ninguém além dos que estavam no próprio avião.

“Ele era um homem de natureza muito mansa, mas também não tolerava que alguém se machucasse,” disse a esposa de Todd, Lisa. “Sabendo que ele ajudou a salvar vidas por fazer o avião cair no campo ajuda a trazer alegria numa situação onde não é muito fácil achar motivos para isso.”

Todd Beamer fez uma ligação através de um dos telefones do Boeing 757, e falou durante aproximadamente 13 minutos com uma telefonista da GTE. Deu detalhes sobre o seqüestro, e ao ser informado sobre os ataques já ocorridos no World Trade Center e Pentágono, disse que ele e outros no avião estavam pretendendo agir contra os terroristas a bordo.

A ligação foi feita às 9h45 da manhã. Ele informou que havia três seqüestradores no avião com facas, e aparentemente um deles tinha uma bomba amarrada ao corpo com um cinto. Os outros dois haviam ocupado a cabine depois de forçar o piloto e co-piloto a saírem.

O jato estava com trepidação, e havia mudado de curso várias vezes. Os passageiros sabiam que nunca chegariam a São Francisco.

“Eles sabiam que iriam morrer. Todd disse que ele e alguns outros passageiros iriam pular em cima do homem com a bomba,” Lisa disse.
Vários outros passageiros fizeram ligações antes do jato cair. Pelo menos três disseram nas suas ligações que pretendiam fazer algo para impedir os terroristas de atingirem seu alvo.

Antes de terminar sua conversa com a telefonista, e com som de gritos no fundo, Todd pediu que ela orasse com ele. Juntos recitaram o Salmo 23. Depois pediu que ela ligasse para sua esposa (estavam casados há sete anos), que está esperando um terceiro filho – os outros dois tem 3 anos e 1 ano de idade.

Finalmente Todd deixou o telefone pendurado, sem desligar a linha. Foi então que a telefonista ouviu-o dizer estas palavras: “Vamos nessa!”. Depois silêncio. Pouco depois o avião caiu, matando todas as 45 pessoas a bordo.

“Algumas pessoas vivem vidas longas, mas não deixam nada depois delas,” Lisa disse. “Meus filhos ouvirão durante toda sua vida que o pai deles foi um herói, e que salvou vidas. É um grande legado para um pai deixar para seus filhos.”

Da Associated Press, 16 de setembro de 2001.