Sente-se

Data de publicação: 03/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 11 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 11

Por: Watchaman Nee

O que significa realmente sentar (a primeira posição do cristão, conforme visto no livro de Efésios – ver Ef 2.6).

Quando nós andamos ou permanecemos de pé, apoiamos em nossas pernas todo o peso do nosso corpo, mas quando nós nos sentamos, todo o nosso peso repousa na cadeira ou no sofá em que estamos sentados.

Ficamos cansados quando andamos ou ficamos em pé, mas nos sentimos descansados quando ficamos sentados por um pouco. Andando ou ficando em pé gastamos muita energia, mas quando ficamos sentados, relaxamos imediatamente, porque o esforço não cai sobre os nossos músculos e nervos, mas sobre algo que está fora de nós. Assim também no reino espiritual, sentar-se é simplesmente descansar todo o nosso peso – nossa carga, nós mesmos, nosso futuro, tudo – no Senhor.

Deixamos para ele suportar toda a responsabilidade, e paramos de carregá-la nós mesmos. Este era o princípio de Deus desde o começo. Na criação, Deus trabalhou do primeiro ao sexto dia e descansou no sétimo. Podemos afirmar sem medo de errar que naqueles primeiros seis dias Deus estava muito ocupado. Depois, a tarefa a que se havia proposto estava completa, e ele parou de trabalhar. O sétimo dia tornou-se o sábado do Senhor; foi o descanso do Senhor.

E o que dizer de Adão? Onde é que ele fica com relação ao descanso do Senhor? Adão, segundo aprendemos, foi criado no sexto dia.

Então, fica bem claro que ele não tomou parte naqueles seis primeiros dias de trabalho, porque ele só veio a ser criado no fim daqueles dias. O sétimo dia de Deus foi na verdade o primeiro dia de Adão. Enquanto Deus trabalhou seis dias e desfrutou do seu descanso no sábado, Adão começou a sua vida com o sábado; porque Deus trabalha antes de descansar, enquanto o homem primeiro precisa entrar no descanso de Deus, para somente então poder trabalhar. Além disto, foi porque o trabalho da criação de Deus foi verdadeiramente completado que a vida de Adão podia começar com um descanso.

E aqui está o Evangelho: que DEUS foi um passo além e completou também o trabalho da redenção, e que nós não precisamos fazer absolutamente nada para merecê-lo; pelo contrário, mediante a fé podemos entrar diretamente nos valores do seu trabalho acabado.

Na verdade sabemos que entre estes dois fatos históricos, entre o descanso de Deus na criação e o descanso de Deus na redenção, se desenrola toda a trágica história do pecado e julgamento de Adão, do labor incessante e inútil do homem, e da vinda do Filho de Deus para sacrificar-se e dar-se a si mesmo até que a posição perdida fosse recuperada. “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”, explicou ele à medida que andava pelo seu caminho. Somente com o preço da reconciliação totalmente pago, ele pôde exclamar: “Está consumado”.

————————————————————————————————————————————————————————

“Quando  orares, prefira que seu coração fique sem palavras, a que as suas palavras não tenham coração”
John Bunyan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *