Paralelo de Adão e Eva Como Figura de Cristo e a Igreja

Data de publicação: 18/11/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 20 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 20

Por: Pedro Arruda

Deus havia criado o homem e este não achou entre todos os seres existentes uma companheira que lhe fosse idônea. Nenhum dos seres que Adão havia conhecido e nomeado, possibilitava-lhe uma comunhão de igual para igual. Eles não eram como Adão e não podiam participar de sua natureza. Eles eram muito limitados para compreender Adão completamente. Diante disso, Deus fez Eva a partir de uma parte de Adão. Este quando a viu alegrou-se pois era carne de sua carne e osso de seus ossos. Somente o que saiu de Adão podia voltar para Adão e agradá-lo. Eva, antes de ser apresentada a Adão, estava dentro de Adão e, portanto, Eva era Adão. Por conseguinte, como Eva era do corpo de Adão, este, por extensão, continuou vivendo em Eva. Onde estava Eva, estava também Adão, porém na forma de Eva, pois os dois tinham a mesma origem.

Quando Eva estava em Adão, ela não podia exprimir uma vontade própria. Tudo o que a cabeça determinava fazer, Eva fazia junto, pois era apenas o corpo de Adão. Antes de Eva ser a esposa de Adão foi o corpo dele. Embora Eva já estivesse em Adão, quem olhasse veria somente Adão.
Neste sentido Adão e Eva prefiguravam o relacionamento entre Cristo e a Igreja. Cristo, o último Adão, terá a sua esposa que será a Igreja. Antes porém da Igreja ser a esposa de Cristo, ela é o seu corpo. Esta é a sua condição atual – Corpo do último Adão. Assim é que devemos entender a expressão: “estar em Cristo”. Isto é, estar dentro de Cristo, guardado e protegido por ele, escondido nele. Por outro lado, se somos o corpo de Cristo, devemos obediência total à cabeça, não restando a nós vontade e ações próprias.

Chegará um dia que a Igreja será a esposa do Cordeiro. Devemos lembrar porém, que assim como somente aquilo que saiu de Adão podia agradá-lo, assim também será nesse dia, ou seja, somente aquilo que saiu de Cristo poderá voltar para ele e agradá-lo. O que não saiu de Adão não era Eva e não poderia ter comunhão com Adão. Assim também o que não saiu de Cristo não poderá ter comunhão com ele.

Somente tem valor e pode ser considerado Igreja o que sai de Cristo e é isto que poderá voltar para ele. Diante disso, todas nossas ações que não procederem do Espírito e que são de nosso esforço próprio, não têm valor algum para Cristo, pois não é igreja. Antes de ser a esposa do Cordeiro, a igreja precisa ser o Corpo de Cristo. Viver a vida de Cristo, revelar sua natureza e total identificação com ele. Quem olhar para a Igreja deve ver Cristo. Assim como quem olhasse para Adão não via nele uma outra figura, embora Eva já estivesse presente dentro dele. Assim deverá ser a Igreja, enquanto Corpo de Cristo. Quem olhar para ela, não deverá vê-la, mas sim a Cristo, que a envolve. A igreja deve expressar Cristo e não uma identidade própria. Somente o que tinha origem em Adão poderia ser Eva, assim somente o que tem origem em Cristo pode ser igreja. Fora disso não há idoneidade, não serve para estabelecer comunhão. O que é nascido do Espírito é espírito, o que é nascido da carne é carne. A carne não herdará o reino dos céus.

Adaptado do livro “La Iglesia Gloriosa” de Watchman Nee.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *