O Início da Jornada de Um Novo Casal

Data de publicação: 12/01/2012
Categorias da Biblioteca:
Edição 70 e Revista Impacto - 1998 a 2014.

Por: Ezequiel Netto

DEFEITO DE FABRICAÇÃO NOS AUTOMÓVEIS

Há poucos anos, por causa de um defeito na fabricação dos pneus, um número considerável de automóveis Ford Explorer capotava sem nenhuma causa aparente, causando mortes e sérias consequências aos ocupantes do veículo. Esse fato quase levou o fabricante à falência, por conta do pagamento de indenizações aos familiares das vítimas. Outro fato semelhante aconteceu com os automóveis Fiat Tipo, que pegavam fogo sem nenhuma explicação. Ninguém quis mais comprar esse carro, e o mesmo foi tirado de linha. Atualmente, vemos na mídia problemas semelhantes com o Fiat Stilo, que solta a roda traseira, e o Toyota Corola, que prende o pedal do acelerador, ambos causando acidentes fatais aos ocupantes.

Imagine, então, o que aconteceria se 50% a 75% dos automóveis 0 Km, em todo o mundo, se desintegrassem completamente logo no primeiro ano de uso? Você ainda teria coragem de comprar um automóvel?

O QUE ISSO TEM A VER COM CASAMENTO?

Esse fenômeno vem acontecendo com muitos casamentos que se desintegram logo no início de sua história. Entretanto, parece que poucos se importam ou tomam providências para mudar as estatísticas catastróficas.

Eu gostaria de considerar algumas ferramentas importantes, à nossa disposição, para evitar que isso continue acontecendo.

1. Os novos casais precisam receber conselho dos mais velhos

Um fato observado é que muitos conselheiros perderam completamente a esperança e não querem mais instruir aos namorados e noivos quanto ao casamento. Os jovens também não gostam de receber conselhos nessa área, achando que não precisam de ajuda, que o amor que sentem é capaz de superar qualquer obstáculo e que, afinal, já estão ocupados demais com outras coisas.

Acredito que pais e mães já ouviram muitas vezes frases como: “me poupe, mamãe”, “vocês não estão entendendo nada”, ou “deixem que eu resolva isso”.

Uma decisão que influenciará toda a vida futura de um casal nunca deveria ser tomada sem a ajuda de pessoas mais experientes.

2. Também, precisam manter intimidade com Deus

Em relação a Deus, muitos preferem deixá-lo de lado nessa hora, praticamente o tratando como se fosse um ser idoso que não entende os assuntos da atualidade, especialmente da juventude, ou, até mesmo, para não perturbá-lo, já que ele tem de ouvir a oração de milhões de pessoas em todo o mundo. Em suma, é como se esse assunto não tivesse muita importância para ele.

Contudo, a Bíblia nos orienta a apresentarmos todas as nossas necessidades diante de Deus, principalmente aquelas que afetam de forma mais profunda o nosso futuro e o de outras pessoas.

3. Atenção exagerada na cerimônia de casamento

Outro elemento que acontece com alguns casais é a tendência de passar mais tempo preparando a cerimônia das bodas do que se preocupando com o casamento propriamente dito. Como resultado, muitas cerimônias belíssimas são seguidas de uma vida sem harmonia, sem acordo, sem fundamento. A ocasião do casamento é usada, muitas vezes, para impressionar os outros com a posição social e o sucesso financeiro.

Em contrapartida, para os cristãos, o casamento pode ser um culto de louvor, um testemunho da dedicação mútua do casal a Cristo. Essa mensagem se perde, com demasiada frequência, em meio às flores, aos fotógrafos, padrinhos, listas enormes de convidados e festas dispendiosas.

4. Falta de preparo para assumir novas responsabilidades

A instabilidade no casamento é gerada principalmente pela falta de preparação das pessoas que se casam. Baseados principalmente sobre a atração sexual, o desejo de escapar de uma situação doméstica difícil, um sentimento de amor muito emotivo ou qualquer outro motivo superficial, muitos relacionamentos são frágeis demais e se mostram incapazes de sobreviver às pressões, aos desafios e às tempestades da vida diária.

As diferenças entre o casal não podem ser negligenciadas quando o casal planeja sua vida a dois, mas no período de namoro não se costuma dar muita importância a isso. Esse período é um tempo precioso para que o futuro casal possa conversar sobre seus projetos de vida, suas expectativas, seus valores e sentimentos, e aproveitar para ouvir o conselho de líderes e pessoas mais maduras e orar junto.

Além do fato de não saberem administrar as diferenças, a imaturidade pessoal acaba gerando insensibilidade. A desintegração do matrimônio não se inicia, geralmente, com “comportamento conscientemente maldoso”, mas com aquilo que cada um deixou de dizer ou fazer. Os primeiros passos para a destruição resultam, na maioria das vezes, de omissões.

5. Expectativas frustradas

Muitos casais esperam que suas expectativas sejam alcançadas de imediato e ficam desapontados ou desiludidos quando isso não acontece. Não compreendem que uniões significativas se solidificam vagarosamente e exigem esforço. As expectativas só podem ser satisfeitas mediante uma atitude de esforço recíproco. Tal aprendizado é lento…

O casamento é um relacionamento em que as necessidades serão satisfeitas somente se cada um aprender a dar incondicionalmente para o outro. Quando uma das partes apresenta características de egoísmo, atitude crítica, impaciência, espírito competitivo ou luta para alcançar proeminência, os problemas só vão se agravar.

Meu casamento passou por muitas tempestades, e não faltaram oportunidades para desistir de tudo. Mas quando nos casamos, fizemos um voto de que seria como se fôssemos para uma ilha deserta e tocássemos fogo no barco. Todos os problemas que surgissem teriam de ser enfrentados e solucionados. Esse passo foi fundamental para a solidificação progressiva do nosso relacionamento.

6. A necessidade de um “recall”

Quando já estamos sentindo na pele todos esses problemas apresentados, quando estamos no meio da tempestade, devemos seguir o exemplo das montadoras de automóveis: faça um recall! Devemos voltar para quem nos criou, deixar que ele nos conserte, que troque as peças que estão com defeito.

O cristianismo é tremendo! Só ele oferece a possibilidade de arrependimento e perdão, zerando a nossa conta. Esse negócio de “você precisa carregar esse carma” ou que tudo só será resolvido em outra encarnação é uma grande mentira. Não precisamos dessas ideias. Deus nos dá a oportunidade de resolvermos tudo agora. Não podemos perder essa chance!

UM CHAMADO PARA TODOS – UM PEDIDO DE AJUDA

Não existe o casamento perfeito. Quem é muito bom em um quesito sempre deixa a desejar em outro. E, quando duas pessoas vindas de famílias diferentes, cada uma com seus hábitos e estilo de vida peculiares, passam a viver em conjunto, muitos ajustes têm de ser feitos. Verdades que antes eram absolutas, agora são questionadas. Diariamente, precisam abrir mão de valores pessoais e ceder em alguma questão. Vão atravessar problemas e precisar de ajuda. Necessitarão de amizades verdadeiras, de orações, de ter quem as oriente e, quem sabe, até de algum dinheiro emprestado. Vão precisar dos pais, dos amigos, da igreja, de Deus.

Deus quer contar com pessoas que tenham verdadeira compaixão pelos novos casais, com disposição de colaborar para que tudo corra bem com eles, que lutem para que os casamentos durem por toda a vida. Quem sabe este não seja o ministério que você tanto procurava? E então?

Esse texto foi baseado, em parte, num capítulo do livro Aconselhamento Cristão, Edições Vida Nova, de Gary Collins.