Notícias: Primeiro Encontro Impacto

Data de publicação: 12/09/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 37 e Revista Impacto - 1998 a 2014.

Por Eliza Walker

Datas: 30/10/04 – 02/11/04
Local: Araras – SP
Preletores: Harold Walker, Christopher Walker, Pedro Arruda, Ezequiel Netto e Eliasaf de Assis.
Número de participantes: 120
Estados brasileiros representados: Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal,Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro.

O primeiro Encontro Impacto foi realizado com base na verdade de que Deus é um Deus que se revela, e de que ele não fará nada na terra sem antes avisar a seus amigos, os profetas.

A intenção foi buscar a Deus, inquirir dele sobre o momento em que estamos vivendo no seu plano. Precisamos nos preparar para o próximo mover dele na terra, queremos aprender a ouvir sua voz, para que não fiquemos como meros espectadores, mas participantes, servos úteis para o Senhor. Foi este o desejo de cada irmão que esteve presente conosco, e cada momento foi aproveitado para este propósito.

Apesar da ênfase ser na palavra, Deus nos visitou fortemente nos períodos de oração, pela manhã, e também durante o louvor. Houve palavras proféticas e grande quebrantamento.

Deus falou, através de várias ministrações da palavra, um mesmo assunto: Ele quer ter uma base na terra, para estabelecer o seu Reino. Esta base se chama Jerusalém, lugar de Deus habitar com o homem.

Jerusalém é o oposto de Babilônia. Estas duas cidades só podem ser vistas no Espírito. Não tem como julgarmos naturalmente o que é Jerusalém ou o que é Babilônia. Por isso precisamos estar intimamente ligados no espírito com Deus e com os irmãos, para sabermos a hora, o momento certo para nos levantarmos e sairmos de Babilônia, pois ela vai cair! Mas o que é Babilônia, o que é Jerusalém? O que é esta base que Deus quer na terra? Será que este grande número de denominações não significa a base de Deus na terra? Afinal o que é igreja?

Em primeiro lugar, igreja é família. A missão que Deus deu para o homem é a mesma que deu para a família: resgatar a terra que Satanás tinha usurpado. Porém, isso somente seria possível se mantivesse comunhão com Deus.

O propósito do homem sem Deus continua sendo o mesmo, dominar a terra, mas independente de Deus. Isso resulta em Babilônia. Que é a cidade feita por mãos humanas, base falsa, falsa união, exaltação do homem, e nessa hora Deus intervém e traz uma divisão divinamente inspirada, confusão (governo humano).

Estes fatos nos mostram claramente que a “igreja” não está em Jerusalém, pois tudo o que vemos é confusão, governo humano e muitas, mas muitas, divisões.

Dons e milagres, presença de profetas, multiplicação: nada disso significa necessariamente que Deus tem uma base na terra.

Épocas específicas em que Deus tinha uma base na terra:

• Moisés (tabernáculo).
• Davi (Jerusalém).
• Jesus (Pessoa).
• Igreja Primitiva.

Deus precisa de uma base na terra hoje, mas ele depende do homem. Para Deus trazer sua base para a terra, é necessária uma longa preparação. Deus não vai passar por cima de nada em nossas vidas.

Ele usa a Babilônia para alinhar o homem ao seu plano. Babilônia é instrumento de Deus para julgar seu povo, faz parte da solução de Deus para o homem. O sofrimento é inevitável, já que o cristianismo representa morte para os nossos sonhos, perda de nossas certezas, das nossas respostas prontas. Até que essa vida interior possa ser vista no mundo. Então Babilônia é usada para preparar o povo de Deus.

Quando esta base estiver estabelecida, então Deus julgará Babilônia.

Jerusalém é a vida de Cristo. É o Espírito Santo dirigindo a igreja, assim como fazia na Igreja Primitiva. Hoje somos uma casa sem presença permanente do Pai, e o Espírito clama através de nós: ABA, PAI!

Todas estas ministrações trouxeram um peso maior pela vida de Cristo que foi perdida durante os séculos… Jerusalém foi escolhida, perdida, restaurada parcialmente, perdida novamente e agora aguardamos que seja restaurada de uma vez por todas.

Este peso deve ter espaço em nós a ponto de se tornar o motivo de nossa existência. O amor por Jerusalém é proporcional ao ódio pela Babilônia. Devemos ter paixão por Jerusalém, e por ela suspirar dia e noite.

Algumas músicas foram dadas por Deus naqueles dias. Não foi um encontro de onde saímos empolgados e, sim, sóbrios, pela responsabilidade de estar em contato com Deus, inquirindo dele, clamando a ele, até que ele responda dos céus, e diga: BASTA! Esta é a hora de meu povo retornar para a minha cidade santa! E é nesta hora que queremos estar prontos para dizer: Eis-nos aqui Senhor, opera em nós o teu querer! Estabelece na terra o teu reino através de nós.

Obs.: Para pedir o conjunto de CD’s com as mensagens do encontro (R$ 36,00), ligue para (19) 3462 9893 ou mande um e-mail para [email protected]
Estão disponíveis também os conjuntos de CD’s dos dois encontros de líderes de 2004.