Noticiário: O Cristão e o Mundo

Data de publicação: 09/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 06 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 06

SOS Colômbia

As igrejas cristãs tem sido alvos cada vez mais freqüentes na crescente violência na Colômbia. “Não existe lugar seguro agora”, diz um ex-pastor. “Não estamos seguros nas nossas casas, nas ruas, nos carros, e, claro, nem nas igrejas.” As igrejas estão no meio do fogo cruzado entre o governo e grupos rebeldes, que tem esquentado ultimamente. Em alguns lugares, a ameaça vem de grupos de autodefesa e paramilitares, em outros é do exército, e em ainda outros vem de grupos guerrilheiros. Os traficantes de drogas provavelmente vêem os evangélicos como coligados com os Estados Unidos e a CIA, e os guerrilheiros FARC também. Este último tem fechado igrejas e imposto toque de recolher de 18h00 em outros lugares onde ainda permite a atividade de igrejas. Um outro grupo rebelde, a ELN, invadiu uma igreja católica em Cáli, e seqüestrou 140 membros em maio deste ano.

Grupos satânicos estão atacando igrejas e cristãos, especialmente em Cáli. Em junho, suspeita-se que um pastor na cidade de Armênia foi ferido e seu irmão foi morto por satanistas. Em Cáli, um homem confessou que fora contratado para matar um pastor.

Pastores e congregações estão fugindo das regiões mais violentas. O Conselho Evangélico da Colômbia está planejando um evento para promover paz, de 28 a 30 de julho em Bogotá. Em cada dia do evento, 1000 pessoas se reunirão para cantar e orar pela paz da nação. “Nada menos que um ato soberano de Deus pode salvar esta nação”, diz um obreiro na Colômbia.

Avanço do Evangelho na Turquia

De acordo com um ministério para a Turquia, com sede nos Estados Unidos, os cristãos estão proclamando o evangelho com mais ousadia neste país muçulmano, e com isto têm alcançado mais liberdade e aceitação. Os crentes estão ficando mais autoconfiantes, segundo Luís Bush,

do Movimento AD 2000. “O país turco está perto de um grande rompimento de barreiras espirituais”, ele disse. Istanbul, a capital, tinha apenas duas igrejas cristãs há dez anos atrás; agora tem doze com prédio próprio e quatro que se congregam em casas.

Os cristãos distribuíram 1200 Novos Testamentos e centenas de fitas cassete sobre a vida de Jesus no principal distrito comercial de Istanbul na véspera de Natal. A maioria das pessoas os recebeu de boa vontade, e a polícia não interferiu. Há menos de cinco anos, obreiros estrangeiros foram deportados pela polícia por fazer a mesma coisa.

“Creio que a razão principal disso são as orações de centenas de milhares de cristãos”, diz um obreiro da missão norte-americana para a Turquia. Há mais de dez anos, sua missão distribui uma carta bimestral sobre a igreja na Turquia. Por muito tempo, não havia muito para relatar, mas agora centenas de obreiros cristãos estão compartilhando ativamente o amor de Cristo.

No passado, os crentes turcos se reuniam secretamente e quase não evangelizavam, mas esta atitude fez com que as autoridades ficassem mais desconfiados. Agora estão reivindicando seus direitos constitucionais com ousadia, e a polícia não está disposta a impedi-los.

Perseguição no mundo

A Arábia Saudita é o país que mais persegue os cristãos, de acordo com as últimas pesquisas da  Missão Portas Abertas. Logo em seguida vêm o Afeganistão, o Sudão, e a China. Aproximadamente 600.000 cristãos de outros países vivem neste reino islâmico da Arábia, que não permite prática alguma da fé cristã.  No Afeganistão, controlado pelo partido fundamentalista muçulmano Taleban, há conhecimento de apenas uns 2.500 cristãos no país, mas eles não podem proclamar publicamente sua fé. Na China, continua a campanha contra os cristãos, e de acordo com informações de um centro de direitos humanos em Hong Kong, mais de 250 cristãos foram presos só na província de Henan. Além desses países, lêmen, Marrocos, Irã, Líbia, Tunísia e Egito completam a lista dos dez piores perseguidores da igreja cristã

“A perseguição em outras partes do mundo deve interessar a todos os cristãos”, diz Terry Madison, presidente de Portas Abertas. “Somos exortados a carregar os fardos uns dos outros, e podemos fazer isso através de oração, viagens para visitar e encorajá-los, oferecendo-lhes Bíblias e outras ferramentas espirituais, e sustentando os ministérios que apoiam a Igreja Sofredora.” A Missão Portas Abertas está fazendo isso, e você pode fazer parte, entrando em contato com eles pelo endereço: Caixa Postal 45.371, CEP 04010-970 São Paulo, SP, pelo telefone (011)5181 3330, pelo e-mail portasabertas@compuserve.com, ou ainda no homepage: www.gospelcom.net/od/index.htm.

Mensagem Simples

Um simples cartaz da cruz tornou-se uma ferramenta eficaz de evangelização na China. Como milhões de chineses são analfabetos, literatura com figuras são um meio de muita eficácia para evangelistas que chegam a vilas e áreas rurais remotas. Recentemente, quando alguns materiais bíblicos foram entregues a um grupo de crentes na China, ficaram especialmente felizes ao ver um cartaz com uma cruz em cima de um morro. Contaram que uma senhora de 88 anos tinha um cartaz semelhante que usara por muitos anos para evangelizar. Rasgado, remendado, e amassado, ela guardava o precioso papel dobrado numa bolsa, e levava para onde quer que fosse. No mercado ou num ônibus, ela tirava o papel e o usava para anunciar as boas novas. O papel só tem duas palavras escritas:”Está Consumado”. Então ela dizia ao seu ouvinte: “Mao não pôde dizer isso, Deng Xiaoping não pôde dizer, e você não pode dizê-lo. Só tem uma pessoa que pode dizê-lo, e esta pessoa é o Senhor Jesus Cristo”. Muitos chineses se converteram por causa da sua ousadia.

Um Farol

Sua casa, sua escola, ou seu local de trabalho pode ser um Farol (uma torre alta nos portos cuja luz mostra os rochedos perigosos para os navios que estão chegando). Sua casa ser um Farol significa que uma família ora regularmente por cada pessoa da vizinhança. Um Farol no local de trabalho significa que os cristãos oram pelos colegas. Isto significa também ajudar suprir as necessidades materiais das pessoas por quem você ora, e eventualmente compartilhar o evangelho com elas.

“Eu falo com os funcionários e chefes das empresas que seu trabalho é um ministério”, diz Rich Marshall, um pastor que trabalha estabelecendo Faróis em empresas. “Ninguém deve sentir-se inferior no ministério aos pastores e obreiros. Todos nós, não importa nossa atividade, somos chamados para o compromisso de tempo integral com o ministério cristão. As pessoas passam mais tempo no trabalho do que em casa. Por isto, é importante que estabeleçamos oração e Faróis lá também.” Nos últimos três meses, Marshall ajudou a iniciar 600 Faróis em empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *