Leitura de Impacto: Nascidos Para a Eternidade

Data de publicação: 28/07/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 53 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 53

Por: Luiz Rohwedder Junior

Livro: Nascidos Para a Eternidade – Kent Crockett – Editora Vida

Nascidos para a Eternidade é um livro que trata da vida eterna, porém com uma base bíblica tremenda. O que aguça a curiosidade é sua chamada: “O que você fará daqui a 5 milhões de anos?”

O modo como vivemos hoje é decisivamente importante para a eternidade. Temos realmente nos importado com o porvir? Quanto tempo dedicamos a nós mesmos, à nossa família, à Bíblia, à igreja, a Deus? É tão comum corrermos de um lado para outro com uma agenda cheia de tarefas intermináveis, esquecendo-nos do que realmente importa na vida. Pequenas ações diárias podem fazer diferença para a eternidade!

De forma bem humorada, o autor constrói profundas considerações, mexe muito com os valores que normalmente pesam mais aqui na Terra (mesmo dentro da igreja) e mostra como nossa vida aqui é, ao mesmo tempo, um teste e uma preparação para a vida eterna e para nossas responsabilidades futuras. Nada do que passamos aqui deve ser avaliado da perspectiva dos nossos poucos anos nesta Terra nem daquilo que podemos ver e sentir no mundo visível, mas à luz da eternidade e do mundo invisível que já existe agora.

O livro não só mostra como esta vida é um pequeno intervalo de tempo que pode mudar a eternidade, mas discorre também sobre a própria vida eterna em si. Deixa o leitor até pasmo diante de tantas passagens (citadas junto com o texto e numa extensa relação no apêndice), exemplificando ou explicando detalhes da vida eterna, às quais aparentemente não demos atenção ou não notamos como devíamos.

Com sua fina ironia, o autor vai desmantelando idéias que parecem ter virado certezas, com o passar do tempo, e “implode” fatos que ficam arraigados no imaginário de muitos cristãos. Como exemplo, veja esta “tabela para o sorriso de Deus” que mostra como muitos de nós pensamos:

•missionários que vão para a África: grande sorriso
•missionários que vão para outros lugares: médio sorriso
•pastores de igreja grande: grande sorriso
•pastores de igreja média: médio sorriso
•pastores de igreja pequena: pequeno sorriso
•professores de escola dominical: pequeno sorriso
•vigias noturnos, zeladores, mães e donas de casa: nenhum sorriso

Se o cenário acima fosse verdadeiro, menos de 1% das pessoas estariam agradando a Deus. Usando exemplos da vida real e a parábola dos talentos no evangelho de Mateus, o autor mostra como Deus vê de uma forma totalmente diferente. Esta vida é um teste para todos, porém nem todos estão no mesmo nível ou contam com o mesmo potencial. Entretanto, não importa qual seja nosso nível de capacidade, todos temos o mesmo potencial para fazer Deus sorrir. Basta entendermos o que Deus espera de nós e usarmos totalmente a nossa capacidade (qualquer que ela seja) para agradá-lo.

Para ilustrar, o autor conta, já nas primeiras paginas, uma cena imaginária junto à arvore da vida. A alguém recém-chegado é oferecida uma fruta por uma mulher que, em seguida, pergunta como ele aproveitou sua oportunidade na Terra. Enquanto tenta responder, ele vê um homem que recebeu a incumbência de cuidar daquela árvore e pergunta para a mulher o que ele fez para merecer um posto tão importante. Para sua admiração, a resposta foi: “Na sua oportunidade (no teste da sua vida terrena), ele foi vigia de uma empresa”.

“Vigia?!”, admirou-se.

“Sim”, ela respondeu, “e porteiro na igreja.”

“Mas o que mais ele fez? Deve ter outro motivo para ter obtido a aprovação de Deus.”

“Embora não tivesse cargo importante na igreja nem uma realização importante para apresentar em sua vida, ele amou sua esposa, sempre teve tempo para seus filhos, orava pelos membros de sua igreja e pelo pastor, visitava os idosos no asilo e, acima de tudo, amava a Jesus de todo o coração e foi fiel a ele até o fim. Jesus sorria ao observar que ele cumpria alegremente seu propósito no mundo, a sua oportunidade. Ele passou no teste.”

E você, o que fará daqui a 5 milhões de anos? Depende de como está aproveitando sua “oportunidade” agora.

Luiz Rohwedder Júnior é funcionário público e faz parte da Igreja do Nazareno em Americana, SP. É casado com Eliana e tem três filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *