Leitura de Impacto: Encontrando Deus nos Lugares Mais Inesperados

Data de publicação: 27/10/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 26 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 26

Por: Mateus Ferraz de Campos

Ele Está Falando – Você Consegue Ouvir?

Onde você espera encontrar a Deus? Onde você espera ouvir sua voz? Em uma igreja evangélica? Em um culto tradicional de domingo à noite? O que diria de encontrar a Deus em uma academia de ginástica? Ou em uma reunião com pacientes terminais de câncer? Ou na história não contada de países do leste europeu? O que acha de ver a face de Deus olhando para o céu estrelado da Somália? Ou mesmo em seu trabalho, enquanto digita algumas coisas no computador?

O livro “Encontrando Deus nos Lugares Mais Inesperados”, do conhecido autor Philip Yancey, é um verdadeiro desafio. Ao ouvir suas histórias, todas baseadas em experiências próprias do autor e em suas análises jornalísticas, começamos a nos perguntar se não temos perdido a oportunidade de ouvir a Deus, por limitarmos a sua maneira de falar conosco.

Há alguns meses atrás, li na Revista Impacto um artigo chamado “As torres caíram e perdemos o recado”, referindo-se à mensagem de Deus ecoada na queda das torres do World Trade Center, em Nova York. Meses depois fui novamente impactado pela chamada de capa “Encontrando Deus nos Pobres”. Desde então, tenho me perguntado: Quantas outras mensagens tenho perdido em meu cotidiano, simplesmente por não prestar atenção?

Deus está falando, e quer ser ouvido. Às vezes tenho a impressão de que ele está gritando e o seu povo continua surdo. Limitamos a presença de Deus ao espaço e ao tempo. Conseguimos, com nossa religiosidade, enclausurar um Deus onipotente e onipresente em quatro paredes de um templo religioso e em duas horas de culto. E enquanto isso, ele continua falando, no olhar das pessoas que conhecemos, nas tragédias que ouvimos, nas coisas mais cotidianas onde ninguém espera encontrá-lo. Suas mensagens de alerta estão estampadas nas manchetes de  jornais, suas advertências estão sendo explicitadas em  meio à dor. Suas lições estão sendo ensinadas em muitos lugares, e não somente nos templos.

Até quando continuaremos surdos? Até quando continuaremos ouvindo somente o que nos interessa? Até quando vamos ignorar os clamores de Deus?

Philip Yancey me fez pensar. Abriu meus olhos para o que acontece ao meu redor. Comecei a olhar meus dias com atenção, esperando ouvir os recados de Deus. Aprendi a olhar para cima e ouvir suas mensagens no céu estrelado, e também olhar ao meu lado para ouvi-lo falar através de um menino de rua. Aprendi a prestar atenção na história, pois o Senhor da História está falando. Consegui ouvir sua voz em meio à agitação do comércio de São Paulo. Aprendi uma valiosa lição na voz de uma criança. Ao ver o olhar aflito de um camelô nas ruas de São Paulo, eu ouvi sua voz dizendo: “Este é o seu próximo”. E então entendi.

Entendi que se não conseguir ouvi-lo nos lugares mais inesperados, é bem provável que a voz que ouço aos domingos seja o eco da minha própria vontade, e não a vontade daquele que deseja moldar-me.

Aprendi que devo ouvi-lo em casa, no escritório, na rua, nos jornais, nas pessoas e também na igreja. Sua voz não precisa de intérpretes nem de microfones. Suas mensagens não precisam de um respaldo denominacional. Seus recados estão em todos os lugares, esperando o olhar dos leitores espirituais.

Leia este livro e descubra também as mensagens sutis que Deus tem enviado a cada dia. Veja como Deus falou no rasgar da Cortina de Ferro e na queda do muro de Berlim, veja como ele falou em meio a cristãos, judeus e muçulmanos. Ouça seus recados amplificados em vidas que ouviam sua voz. E da próxima vez que você abrir os olhos pela manhã, abra também os olhos de seu coração e descubra onde ele está. Ele está falando, você quer ouvir?

Para pedidos destes livros ligue para (19) 3462-9893

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *