Fogo nos Olhos de Jesus

Data de publicação: 24/05/2012
Categorias da Biblioteca:
Edição 71 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 71

Por: Asher Intrater

Três vezes, em contextos diferentes, no livro de Apocalipse, a Bíblia afirma que Jesus tem fogo nos olhos. Queremos examinar cada uma delas.

1. O FOGO DO AMOR APAIXONADO

“Voltei-me para ver quem falava comigo […] e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem. […] A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; […] o seu rosto brilhava como o sol na sua força” (Ap 1.12-16).

O texto diz que Jesus tem fogo nos olhos. Quero afirmar, porém, que o fogo não vem de seus olhos! João não viu uma pequena chama saindo dos olhos de Jesus; o que viu foi uma pequena abertura em sua alma, uma janelinha que mostrava o fogo intenso que o consumia inteiramente por dentro.

Em Lucas 12, Jesus disse: “Um fogo está ardendo dentro de mim, e quero que saia para alcançar toda a Terra. Estou muito angustiado para que isso aconteça” (veja Lc 12.49,50). Ele estava ansioso para que o fogo saísse e começasse a arder fora dele assim como já ardia em seu interior.

Desejo, Anseio, Paixão

A primeira coisa que esse fogo representa é um desejo; um desejo de amor. Quando andamos com Deus, temos paixão, desejo, forte anseio por ele. É impossível ficar passivo, pois desejamos amar mais ao Senhor, ansiamos conhecê-lo, queremos que pessoas sejam salvas, sentimos angústia quando a presença dele não se manifesta. A dificuldade é que todas as forças deste mundo colaboram para roubar nosso desejo por Deus. Somos bombardeados por estímulos que querem aumentar o desejo por comida, sexo, dinheiro, conforto e comodidade. Deus quer que tenhamos desejo só por ele, porque, quando temos esse tipo de paixão, as outras coisas nos “serão acrescentadas”.

O desejo por Deus já é o próprio fogo que passa a arder em nosso interior. Para a igreja de Laodiceia, Jesus disse: “Eu não quero que sejam mornos, quero que sejam quentes! É melhor ser frio do que morno!” Na verdade, Deus não quer que sejamos frios, mas quem está frio pelo menos sabe que não está quente. O problema da mornidão é que a pessoa pode enganar-se, achando que está quente quando não está.

Se você vier para a reunião só para continuar morno, é preferível não vir. “Vá para o mundo e descubra se você ama ao mundo ou a mim. Não pode me amar e amar ao mundo também. Decida-se: você quer amar a mim ou ao mundo?”

Conflito Com o Mundo

Ainda no texto de Lucas 12, Jesus disse: “Não pense que eu só vim para trazer paz ao mundo. Meu fogo vai causar divisão”. No fim, o Reino de Jesus será cheio de paz, pois este é o desejo de Deus. Porém, enquanto estivermos neste mundo dominado pelo mal, o fogo de Deus dentro de nós vai causar confrontos e divisões. Se quiser o fogo de Deus, você não poderá ter medo de confrontos ou do que os outros vão dizer. O medo é uma das coisas que nos impedem de ter o fogo de Jesus.

Os muçulmanos nos odeiam porque somos judeus, os judeus nos odeiam porque cremos em Jesus, e o mundo nos odeia porque cremos em Deus. Parece que estamos sempre caminhando no sentido contrário. Isso não é fácil. É preciso ter o fogo de Deus para ir contra o mundo. Se você tentar fluir com o mundo, seu fogo se apagará. Isso acontece com muitas pessoas que dizem: “Eu amo Jesus, mas não quero causar problemas; quero ficar bem com todos”.

Fogo Interior, Permanente

O que você acha que aconteceu no Pentecostes? De onde veio aquele fogo? Para onde foi? Você acha que as chamas só apareceram sobre a cabeça dos discípulos e depois desapareceram, como um isqueiro que pode ser aceso e apagado? Não! Aquelas chamas vieram de Jesus, do seu interior, saíram de seus olhos e vieram sobre os discípulos pelo Espírito Santo.

E para onde foi o fogo? Não ficou parado ali sobre as cabeças, pois quem iria querer o fogo ali? Veio inicialmente sobre a cabeça, mas fluiu para o interior de cada um. Jesus quer que o mesmo fogo que está nele esteja dentro de mim e de você. Não como uma experiência que dure uma hora ou duas, mas como algo permanente, que entre no seu interior e lá permaneça. Ele quer que você seja quente para ele, que tenha fogo desde a cabeça até os pés, que as pessoas vejam o fogo de Jesus em seus olhos.

Um ano após minha conversão, fui a uma reunião de reencontro com minha antiga turma do high school (ensino médio). Eram pessoas que cresceram comigo, com quem ia para festas – e que não sabiam do meu encontro com Jesus. Como eu havia sido o presidente da classe, no meio da reunião pediram-me para dar uma breve palestra. Levantei-me e compartilhei o meu testemunho de salvação. Um jornalista do Washington Post que estava presente fez a seguinte afirmação em sua reportagem: “O presidente da classe levantou-se no meio da reunião e começou a pregar sobre Jesus; havia fogo em seus olhos!” Aleluia! Eu era um cristão convertido há apenas um ano!

Um Deus Que Se Revela Progressivamente

Nessa primeira ocasião em que Jesus mostrou fogo nos olhos, ele apareceu para João, seu amigo mais próximo, o discípulo amado. O propósito do fogo, aqui, não era outro a não ser revelar amor, amor apaixonado por João. João era seu melhor amigo, aquele que recostou em seu peito na última ceia da Páscoa. João era tão próximo que conheceu Jesus melhor do que qualquer outra pessoa no mundo. Mesmo assim, não conhecia metade de quem Jesus era.

Tirando o véu, Jesus deixou toda a sua glória aparecer. João caiu como morto diante dele. Se fosse qualquer outra pessoa, teria sido consumida num instante ao vê-lo. João era o único que podia sobreviver àquela experiência, mas até ele ficou tão chocado ao ver Jesus em todo o seu poder e paixão que desmaiou.

A Bíblia toda, do início ao fim, é uma revelação de Jesus. Nos evangelhos, que relatam a primeira manifestação clara dele na Terra, temos apenas uma visão parcial de quem ele é. De acordo com Filipenses 2, quando Jesus nasceu nesta Terra para aproximar-se de nós, ele assumiu um corpo sem fogo e sem glória. Do contrário, ninguém poderia ter conversado com ele sem ser consumido.

Foi exatamente isso o que aconteceu quando ele desceu no Sinai, não em corpo humano, mas em glória, como fogo consumidor: todos ficaram tão assustados que se afastaram. Foi preciso encobrir-se com a nuvem, e só Moisés teve fé suficiente para chegar perto e conversar com ele.

Pense um pouco sobre esse encontro em Apocalipse 1. Ninguém havia visto Jesus daquela forma. João foi o primeiro ser humano a falar com ele face a face em toda a sua glória. O único que podia suportar isso era ele, o melhor amigo de Jesus. Provavelmente, João estava orando e jejuando, sentindo saudade de Jesus: “Ó Senhor, tu és meu melhor amigo, eu te amo, tenho paixão por ti. Onde tu estás, quero te ver, vem para mim, Senhor Jesus, quero te ver em toda a tua glória!”

“Você tem certeza?”, Jesus respondeu. “Então, aqui estou!” Pelo menos um ser humano estava pronto para vê-lo.

Acendendo a Lâmpada Finalmente

O fim de toda a revelação da Bíblia é o livro do Apocalipse. Nos evangelhos, você ainda tem uma revelação limitada. É como mostrar a alguém que não conhece a lâmpada uma lâmpada apagada. A pessoa pensa que agora sabe o que é, mas, enquanto não vê uma lâmpada ligada, ela não sabe de verdade. Nos evangelhos, vemos Jesus ainda como uma lâmpada que não está ligada, mas, no Apocalipse, vemos quem ele realmente é.

A descrição de Jesus em Apocalipse 1 é quase uma citação direta de Daniel 10.5-6. Com isso, Jesus estava dizendo algo surpreendente para João e para todos os que viessem a receber a mesma revelação: “Veja, eu sou a mesma pessoa que Daniel contemplou em sua visão, a mesma que Ezequiel viu na coluna de fogo, a mesma que Moisés viu na sarça ardente. Sou o Todo-poderoso anjo do Deus vivo, aquele que seus antepassados viram! João, até agora você não entendeu quem eu sou, ninguém entendeu, mas é o último livro da Bíblia, e preciso lhe mostrar agora, porque, do contrário, não entrará na Bíblia! Eu sou o Primeiro e o Último, sou El Shaddai, o Deus Todo-poderoso, o Início e o Fim!”

Sabem o que nossos antepassados do Antigo Testamento viram? Viram uma coluna de fogo que ia à frente da congregação no deserto! Contudo, não era simplesmente uma coluna de fogo, era Jesus! O fogo estava saindo dele, cobrindo-o com fumaça. Não era fogo, era a glória de Deus! A glória de Deus saía dele, ele estava lá!

Agora Jesus estava se revelando a João e dizendo-lhe: “Ninguém entendeu isso, nem os profetas do Velho Testamento, nem os apóstolos do Novo, mas eu preciso revelar agora quem eu sou. Eu sou o Deus que apareceu aos seus antepassados, às vezes na forma de homem, às vezes como fogo ardente. Alguns correram porque não suportaram a glória, mas agora estou dizendo: venha, venha para perto, aproxime-se de mim, porque meu fogo é para você. Se você me amar de todo o coração, do jeito que eu o amo, meu fogo não irá machucá-lo. Pelo contrário, sairá de mim e entrará em você para arder em seu interior com intensidade e paixão, exatamente como arde em mim”.

A revelação de Jesus é um convite para conhecê-lo pessoalmente, para ser transformado, para ser glorificado e para tornar-se como ele. Todo discipulado tem um só propósito do ponto de vista divino: tornar-se como Jesus, conformar-se à sua imagem. Em primeiro lugar, queremos ser conformados à revelação de Jesus conforme ele é visto nos evangelhos, com todo o seu amor, humildade, bondade e compaixão. Isso é o que precisa acontecer primeiro. Porém, depois ele nos chama para conhecê-lo melhor. “Vem”, ele nos convida, “tem mais. Não é só isso que eu sou!
Se quiser ser como eu, precisa receber o fogo também! É assim que você será na eternidade!”

Na eternidade, teremos corpos glorificados. O plano de Deus, explanado em Romanos 8, é que, depois de conhecê-lo antes de você nascer, ele o chamou e o predestinou para ser justo (salvo), santificado (sem pecado) e, finalmente, glorificado. Ele quer fazer de você, num corpo ressurreto, um ser cheio de fogo, cheio de glória, cheio do poder de Deus. Ele quer que sejamos como Jesus em tudo o que ele é. Esse é o primeiro tipo de fogo, o amor apaixonado de Jesus.

2. O FOGO DA SANTIDADE

O segundo tipo de fogo está em Apocalipse 2: “Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes ao bronze polido. […] Tenho contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos” (vv. 18-21).

Aqui está o segundo tipo de fogo nos olhos de Jesus, o fogo da santidade. Amor exige santidade, porque santidade é a ira de Deus contra tudo o que tira o meu amor por ele. Se você ama o Senhor de todo o coração, tudo o que fizer será santo. Quando, porém, você fizer alguma coisa que o afasta do amor de Deus, você se contaminará, e Deus ficará irado.

O sentido da palavra santidade em hebraico é relacionado à fidelidade no casamento. É como o marido que diz à esposa logo após o matrimônio: “Agora você é dedicada somente a mim, você é santa para mim, seu amor é só para mim!” Caso ela não mantiver essa exclusividade, o marido ficará muito bravo. Qualquer homem que não ficasse bravo com uma esposa adúltera nunca realmente a amou. Quem ama exige todo o amor da pessoa amada, e é isso o que Jesus quer de nós.

No contexto dessa passagem, Jesus está olhando para sua Igreja. O primeiro encontro foi somente entre Jesus e João, que o amava de todo o coração. O segundo é com uma igreja cheia de carnalidade que dizia: “Nós servimos ao Senhor, temos todos os ministérios, temos muitas obras, muita paciência, estamos cumprindo todo o nosso dever”, embora estivesse permitindo que o mundo entrasse com suas paixões e imoralidade. Por isso, Jesus estava irado.

Cobiça e Fogo São Incompatíveis

Uma vez, o Senhor me repreendeu. “Sabe por que você não tem mais fogo?”, ele me perguntou. “É porque você tem muita cobiça em seus olhos. Você não pode ter os dois. Se você tiver 50% de cobiça, não poderá ter 100% do fogo de Deus. Você precisa ter 100%.”
Quero me dirigir aos homens agora. As mulheres também têm cobiça nos olhos, mas não tanto quanto os homens. Homem, se você quiser o fogo de Deus , será preciso tirar a cobiça do mundo. Não pode ter os dois. Ou você tem o fogo de Deus, ou a cobiça deste mundo. É preciso receber o fogo de Deus para queimar dos olhos toda a cobiça deste mundo.

Você olha para uma pessoa ou para uma imagem que o induz a cobiça e pensa: “Eu não deveria continuar olhando”. Mas você não consegue vencer cobiça por esforço humano. Quanto mais tenta parar, mais quer continuar. A Bíblia já nos avisou a respeito disso. O único jeito de escapar é por meio do fogo nos olhos de Jesus, transmitindo seu desejo, sua santidade, sua paixão. Se quisermos ser quem Deus quer que sejamos, não poderemos contemporizar com o mundo.

De todas as coisas do mundo que impedem o nosso amor e a nossa aliança com Jesus, há uma que sobressai: o espírito de Jezabel. Jezabel foi uma mulher que realmente existiu há quase 3 mil anos. Mas não era ela, obviamente, que estava na igreja de Tiatira. O nosso problema não é com ela, mas com o espírito que atuava nela e que está cada vez mais forte no mundo hoje. Na verdade, é o espírito dominante no mundo ocidental, o espírito de humanismo, de adultério, imoralidade e cobiça. Está em todo programa de televisão, toda propaganda, todo filme, todo show de moda. Precisamos lutar contra isso, porque não queremos que a cobiça do mundo nos roube o fogo de Deus. Queremos o fogo de Deus em nossos olhos, não a cobiça do mundo.

Castigo Para os Santos

Observe outra coisa importante aqui: Jesus está repreendendo uma igreja, verdadeiros crentes. Não são pessoas que vão para o inferno. São pessoas que estarão no paraíso por toda a eternidade. Jesus está dizendo: “Eu amo vocês, e vejo que estão me servindo. Mas há algo que estão fazendo errado, e vou repreendê-los”.

Há um segredo aqui que você precisa conhecer. Um dia, você estará em pé diante do tribunal de Cristo. Nem todo castigo é ser condenado para o inferno. Há outro tipo de castigo para os santos. Jesus não vai mentir, não vai dizer que está contente com você quando não está. Pode ser que ele diga: “Eu amo você, meu filho. Você tem vida eterna. Vi suas boas obras, vi como me serviu. Mas olhe para mim agora: houve coisas que lhe ordenei que fizesse, e você não fez, e outras que lhe ordenei que não fizesse, e você continuou fazendo. Você não fez minha vontade”.

Só o fato de ouvir isso dele já é um castigo. Não quero ter de ouvir isso no Dia do Juízo. Quero ouvir: “Você é um discípulo bom e fiel”. Não quero ouvir: “MAS tenho algo contra você”. Quero me arrepender agora, para que não haja nenhum “porém”, nenhuma exceção. Penso que seria melhor ir para o inferno por algumas horas do que ouvir essas palavras. Discipline-me agora! Dê-me uma surra! Queime-me! Não quero ouvir palavras de desaprovação naquele dia.

Ele está dando tempo para nos arrependermos agora. Precisamos enfrentar o fogo nos olhos de Jesus. Podemos olhar para ele e dizer: “Jesus, quero ver o fogo nos teus olhos agora, quero que queimes qualquer coisa que estiver em mim, a cobiça deste mundo, a contemporização com a carne. Livra-me de tudo isso, põe tua santidade em mim, põe o teu fogo. Não quero ficar envergonhado quando estiver diante de ti. Olha para mim, agora, com o fogo dos teus olhos, e queima tudo para que não permaneça nada de Jezabel, nada de ocultismo ou imoralidade. Nada deste mundo em mim!”

3. O FOGO DA DESTRUIÇÃO

O terceiro tipo de fogo está em Apocalipse 19, na cena que mostra Jesus na segunda vinda. “Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro, e julga e peleja com justiça. Os seus olhos são chama de fogo… E seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos… Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro, e pessoalmente pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-poderoso” (vv. 11-15).

Em todas as três situações, é o mesmo fogo. Jesus só tem um fogo, mas a forma em que atua depende da situação específica. Se você tem amor total e apaixonado por Jesus, você terá o fogo que João recebeu. Se você serve a Jesus, porém com um amor contaminado por paixões carnais, o fogo que virá sobre você será o fogo da santidade. Porém, há ainda um terceiro tipo de fogo reservado para aqueles que resistem, que se rebelam, que têm um coração duro para com o Senhor. É o fogo de destruição, de castigo eterno. Nessa descrição, vemos que Jesus voltará para julgar e fazer guerra.

Só o Juiz Pode Ser Salvador

Jesus é um juiz (como um juiz de tribunal) e um general de exército. Quando ele voltar, fogo sairá dele para consumir aqueles que o rejeitaram.

Não será o fogo de amor apaixonado, mas de castigo eterno. Em sua primeira vinda, ele tomou sobre si o nosso castigo. Nós é que merecíamos ser castigados, mas ele assumiu a nossa pena. Na segunda vinda, porém, ele não assumirá mais o castigo. O castigo virá sobre aqueles que rejeitaram a graça de Deus e será executado pelo próprio Jesus. Se você não consegue entender isso, é porque não sabe, de fato, quem é Jesus.

Se Jesus não fosse juiz, como poderia ser o Salvador? Se não fosse juiz, não teria autoridade para perdoar. O juiz é precisamente aquele que tem autoridade para castigar ou perdoar. Se Jesus perdoa pecados, ele também tem autoridade para castigar. Do contrário, a morte na cruz não teria sentido. Somente o juiz tem o direito de perdoar. Ele morreu na cruz como sacrifício por nossos pecados, mas está voltando como juiz e guerreiro.

Fogo Sobre Justos e Injustos

O fogo que sairá dele cobrirá toda a Terra. Será como no dilúvio de Noé, só que em vez de cobrir a Terra com água, desta vez será com fogo. O fogo de Deus sairá dele e transformará todo o nosso planeta; queimará as montanhas, as pedras, as cidades e os campos. Tocará todas as pessoas também. Se você já tem o Espírito Santo, o fogo de Deus já está ardendo em seu interior. Quando o fogo da segunda vinda atingir o seu corpo, ele será transformado, em um instante, num corpo glorificado, e você será arrebatado nos ares para encontrar-se com o Cristo triunfante. Dessa forma, você estará pronto para governar e reinar com ele para sempre.

Esse mesmo fogo, contudo, atingirá os descrentes também e os queimará. Serão expulsos da Terra, juntamente com os demônios, e condenados para o inferno, para o lago de fogo. O fogo de Deus sairá de seu trono, por meio de Jesus, e transformará o mundo, queimará o diabo, destruirá os rebeldes e transformará os justos em pessoas glorificadas.

O fogo que vai julgar, transformar e consumir na vinda de Jesus é o mesmo fogo que ele quer que tenhamos agora. Nós também queremos o seu fogo agora, não depois. Queremos que a transformação do nosso interior seja feita desde já.

Pense nisto: quando Jesus expulsava os demônios, o que eles diziam? “Vieste castigar-nos antes da hora?” Sabe por que diziam isso? Porque viam a mesma coisa que João viu no Apocalipse, o fogo em seus olhos. Para João, era o apaixonado amor de Jesus por ele, mas os demônios viram os mesmos olhos chamejantes e sentiram o fogo do inferno. Pensaram: “É o fogo! Ele já veio para nos castigar!”

Por isso, o importante não é o que você diz quando vai expulsar um demônio, mas se tem o fogo de Deus. Se não tiver, o demônio vai ignorá-lo. Mas se tiver o mesmo fogo que está em Jesus, os demônios fugirão imediatamente, porque não suportam o fogo. Eles sabem o que esse fogo significa.

Quando Jesus veio pela primeira vez, ele abriu mão de sua glória, da manifestação visível do fogo. Na segunda, porém, ele se revelará plenamente, com toda a sua glória e com fogo intenso. Agora é o tempo de buscar o fogo dele a fim de estar preparado para o fogo da segunda vinda!

12 respostas para “Fogo nos Olhos de Jesus”

  1. Edu Lopes disse:

    Muito bom este texto do Asher. Fui muito edificado!

  2. marcos vinicius disse:

    Glória a Deus por esta palavra,o Senhor me gerou temor!!!

  3. ely leda disse:

    Sempre,sempre sempre sou extremamente edificada, obrigada! Que Deus retribua a tds vcs com o que jamais poderia dar, que são coisas eternas!

  4. Elias Castilho disse:

    Antes de ler essa matéria, eu estava com meu violão tocando e cantando a música “Ele Vem”, e um dos trechos é:
    “(…) e nos Seus olhos, e nos Seus olhos: há FOGO!
    Incendeia Senhor a Tua Noiva, incendeia Senhor a tua Igreja, Incendeia Senhor a Tua Casa, e vem me incendiar.”
    Nunca se fez tão claro essa música quanto agora que li essa matéria.
    O Espirito geme! Que possamos ser incendiados por este fogo!!!!
    Graça e Paz Irmãos.

  5. Eduardo de oliveira lima disse:

    Dou graças a Deus por sua vida – Deus tem chamado os que são seus e revestindo-os com o fogo do seu Espirito para levar sua mensagem às suas igrejas que se encontram espalhadas pelo mundo. Que Deus em Cristo Jesus o abençoe e o guarde com sua força e amor. Deus é contigo amado irmão, paz seja contigo. Amém.

  6. Ney Otaviani disse:

    Com esta excelente explicação clareou o porque da insistente visualização mental que vem em meu pensamento de um homem em minha frente numa distância de 10 metros e seus olhos quando os miro, vejo as fagulhas de fogos misturados como se fossem brilhos de diamantes, que me transmitem transformação, amor, compaixão, grandeza e um incrível convite para achegar-me ainda mais até ELE: e este texto clareou este convite tão santificado que vem de Nosso Senhor Jesus Cristo a todo aquele que o busca. Tomo posse, AMÉM.

  7. Caê disse:

    Palavras cheias do fogo de Deus, precisamos deste fogo para nos queimar hoje junto com nossos familiares!

  8. aline disse:

    Que palavra profunda!
    Permaneça nele sempre.

  9. Henrique disse:

    Meu irmão eu sou um servo de deus
    E chorei quando lie
    Sua interpretação muito boa
    Você é usado parabéns

  10. Anderson A. V. Silva disse:

    Que a Paz de Deus, esteja sempre em sua vida! 🙏 Glórias a Deus por este Estudo!!!

  11. daniel almeida da silva disse:

    Nunca vi algo parecido..excelente discernimento..texto muito bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *