Editorial 73

Data de publicação: 26/11/2012
Categorias da Biblioteca:
Edição 73 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 73

Temos ouvido muito (mas talvez não o bastante!) sobre a falta de pais nas famílias de hoje, sobre a omissão dos homens e sobre os efeitos terríveis que isso tem causado em muitas vidas e na sociedade como um todo.

Nesta edição, resolvemos falar sobre as mães. Embora o pai tenha um papel importantíssimo na definição da identidade e da missão dos filhos, a História prova que muitos grandes homens e mulheres, que marcaram sua geração e muitas outras posteriores, devem à mãe grande parte de seus acertos e do rumo que tomaram na vida.

O exemplo de mães extraordinárias, que impactaram seus filhos, tornando-os homens e mulheres singulares no serviço de Deus e da humanidade, pode deixar-nos com uma sensação negativa: “Quem sou eu para chegar perto de tal realização? Jamais serei uma mãe como ela!”

De fato, é difícil comparar-se com uma Susanna Wesley (que teve 19 filhos, cuidava de todos os aspectos do lar, inclusive das finanças, gastava seis horas diariamente para educar os filhos e ainda achava tempo para permanecer na presença de Deus durante duas horas por dia!) ou com uma mãe moderna, Dona Deborah Gill (médica formada que dedicou – e ainda dedica – a vida a cuidar de seus 11 filhos).

Podemos ler essas e outras histórias reais, achar que são um verdadeiro exemplo e inspiração, mas concluir que representam algo totalmente inatingível e impraticável no mundo atual. Se pensarmos assim, elas não surtirão efeito algum sobre a nossa vida.

O objetivo principal das matérias desta edição é mostrar que todas as mães (assim como todos os pais) têm um potencial enorme, dado por Deus, para influenciar e impactar seus filhos (em qualquer fase de sua vida). Podemos perder essa chance e continuar correndo atrás de outros interesses, ainda que sejam importantes, ou podemos assumir nosso lugar diante de Deus e pedir sabedoria do alto para influenciar os filhos que ele nos deu a fim de que cumpram plenamente a vocação que o Senhor tem para eles. Não existe nenhum chamado mais importante ou mais urgente do que esse! Dessa forma, estaremos contribuindo para preparar a próxima geração para que consiga realmente ir além!

A Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *