Editorial 23

Data de publicação: 15/11/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 23 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 23

Por: Conselho Editorial

Você ficou chocado com a capa desta edição? Achou que talvez a revista Impacto estava se aliando a alguma nova modalidade de Teologia da Libertação, ou defendendo uma vida ascética de abnegação como caminho para uma maior espiritualidade?

Na verdade, a capa tem exatamente esta função: de despertar a curiosidade do leitor, de levantar dúvidas, e de fazer com que leia a revista, examine e reflita sobre as questões e acima de tudo, que deixe Deus falar e mudar a sua vida.

Evidentemente cada um dos temas tratados nesta revista pode ser explorado muito mais a fundo; estamos apenas abrindo as questões, mostrando pontos de vista e indicando alguns caminhos para mais aprofundamento.

Sentimos fortemente que o Senhor deseja falar com seu povo sobre este assunto. Tínhamos um outro tema já sendo preparado para esta edição, quando houve uma testificação em vários corações sobre a alteração que devia ser feita. E de repente tínhamos tanto material que tivemos de transformar este número numa edição especial, inteiramente voltada ao ministério da igreja para os pobres.

Prepare-se então para a leitura, pois há artigos de conteúdo muito forte e que podem abalar ou ameaçar alguns conceitos enraizados na sua vida. Mas se não nos abrirmos genuinamente para que o Senhor quebre nossas idéias e estruturas naturais, como nossas vidas ou as igrejas que hoje existem poderão ser transformadas à imagem de Jesus?

Uma coisa precisamos aprender a fazer: examinar todas as coisas, reter o que é bom, e não jogar fora todo o resto só porque há alguns pontos com os quais não concordamos. Você não precisa concordar com todos os autores, nem com todos os pontos expostos nesta edição. Mas se quiser realmente ouvir de Deus, precisa abrir seu coração e examinar como os bereanos “para ver se estas coisas eram assim” (At 17.11).

Para que tenha mais sossego, porém, vamos definir já na saída o que não estamos dizendo:

NÃO estamos defendendo um movimento teológico ou político para implantar justiça social na terra através de alguma instituição, estrutura ou governo, religioso ou não;

NÃO estamos sugerindo uma intensificação nas contribuições para instituições de caridade, ou de assistência social, como forma de apaziguar a consciência;

NÃO estamos dizendo que o pobre, por ser pobre, tem Jesus na sua vida pessoal.

O QUE estamos dizendo então? Isto você terá de descobrir!

Lembre-se: esta é uma revista periódica, e por isto tem data de publicação, mas deve ser colecionada e guardada, pois seus assuntos estão sempre atuais. Deus pode lhe falar por meio destes artigos logo ao receber a revista, ou daqui a um ou dois anos.

Que Deus abençoe a sua vida, e que tenha a graça de encontrá-lo — verdadeiramente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *