Devocional: Um Deus Ciumento

Data de publicação: 29/11/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 14 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 14

Por: Francis Frangipane

Você alguma vez sentiu resistência espiritual, como se um poder muito maior que você estivesse se opondo às suas ambições? Freqüentemente assumimos que é o diabo que vive lutando contra nós. Permita-me sugerir que o que está impedindo o seu caminho pode não ser um inimigo; pode ser de fato o ciúme de Deus.

O Todo-Poderoso tem ciúmes de nós? Sim. O Senhor se descreve ao longo da Bíblia como “um Deus ciumento” (Ex 20.5, 34.14; Dt 4.24, 5.9, etc). E isto não deveria nos surpreender, pois fomos criados para o seu prazer. Como o Pai está buscando verdadeiros adoradores, ele não permitirá que encontremos realização duradoura fora dele. A revelação de que seu ciúme lutará contra nós pode ser assustadora se estivermos com intenção de pecar, contudo pode também ser verdadeiramente libertadora se nosso desejo for de ter intimidade com ele.

Quando viemos a Cristo pela primeira vez, o seu amor protetor e sustentador nos aceitou como éramos. Mas, chega um momento em que ele começa a confrontar os falsos deuses, os ídolos que regem nossos corações. Na verdade, qualquer coisa em nós que nega o seu acesso completo às nossas almas, ou que permanece entre nossos corações e o coração de Deus, se torna inimigo dele.

Escute à sua ordenança em Êxodo: “Guarda-te de fazeres pacto com os habitantes da terra em que hás de entrar, para que isso não seja por laço no meio de ti. Mas os seus altares derrubareis, e as suas colunas quebrareis, e os seus aserins cortareis (porque não adorarás a nenhum outro deus; pois o Senhor, cujo nome é Zeloso (“Ciumento” no original), é Deus ciumento)” (Êx 34.12-14). Oh, vamos ouvir o coração de Deus em temor e tremor. O nome do Senhor é ciumento. Ciúme Divino é central à essência da natureza de Deus. Ele não coexistirá pacientemente com ídolos nos corações do seu povo. Na verdade, é uma abominação o fato de que falsos deuses ocupem nossos corações, pois nós somos o templo de Deus.

Uma Terra de ídolos

Israel cometeu muitos pecados, mas o pior deles envolveu a adoração a ídolos; a idolatria, mais do que todos os outros pecados, provocou o coração de Deus. Como isso se relaciona a nós? Hoje não temos outros deuses em nossa sociedade. Ah, temos, sim. Eles somente não são tão evidentes. É verdade que nossos ídolos não estão em nossas praças como aqueles do antigo Israel. Não obstante, nossa terra está cheia de ídolos.

Um ídolo é qualquer coisa, visível ou não, que assume um lugar de adoração em nossas vidas. Possui um poder que exige de seus adoradores controle de suas vidas.

Como nós mesmos somos os templos do Espírito Santo, Deus precisa confrontar e resistir aos ídolos em nossos corações. Um dos ídolos mais dominantes em nossa cultura é Mamom, ou dinheiro. Nós confiamos nele, ficamos preocupados com ele e enfocamos muito da nossa atenção em como receber mais dele. Jesus disse em Mateus 6.24: “Não podeis servir (prostrar-se) a Deus e a Mamom.”

O desejo pela riqueza pode se tornar um falso deus com suas próprias exigências e controle sobre nossas vidas. Jesus não disse que não poderíamos ter dinheiro; ele disse que não podemos servir ao dinheiro. A questão é o que enche os nossos corações: pensamentos de Deus ou pensamentos do dinheiro? Eu aprecio as palavras “Em Deus Nós Confiamos”, escritas nas cédulas da moeda corrente da América, mas é muito mais fácil ler do que fazer. Conheço pessoas que dizem que confiam em Deus, mas morrem de medo de devolver ao Senhor o dízimo da sua renda.

Elas retêm seu dinheiro, porque servem a Mamom, e não a Deus. Ou Mamom provê sua sensação de paz ou Deus o faz. A menos que o dinheiro se torne nosso escravo, ele se tornará nosso senhor. Assim, dizimar, dar ao necessitado, deixar o dinheiro ser uma ferramenta e não um deus, é livrar nossos corações da idolatria.

Por favor entenda, não estou dizendo que devemos fazer um voto de pobreza ou que não devemos possuir coisas. Devemos ter desejos normais de ver nossas vidas melhorarem. Deus nos deu tudo para ser desfrutado, mas ninguém a não ser ele próprio pode se tornar nosso senhor! Considere a influência poderosa que o entretenimento, o esporte, a moda, a busca pelo sucesso, e o materialismo exercem sobre a sociedade moderna. Se o Senhor tem de competir com nossas paixões, então estamos abrigando ídolos em nossos corações.

O ciúme de Deus é o seu puro desejo de nos dar tudo que ele tem. Ele não tem os elementos maus e escuros que existem no ciúme humano. Mas até mesmo nosso entendimento finito sobre o ciúme nos ajuda a entender um pouco de como Deus se sente. O ciúme é despertado como uma resposta a infidelidade em uma pessoa amada. Uma vez despertado, você não consegue pensar em mais nada além de como remediar essa infidelidade; a dor do ciúme é penetrante; a angústia de coração que provoca é quase insuportável.

Se você já o experimentou, então sabe um pouco como o Senhor se sente. Paulo estava certamente pensando nisto quando escreveu: “Porque estou zeloso (enciumado) de vós com zelo (ciúme) de Deus; pois vos desposei com um só Esposo, Cristo, para vos apresentar a ele como virgem pura” (2 Co11.2). Tiago 4.5 diz: “Não sabeis que o Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme?” Mas Tiago também disse:

“Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”(Tiago 4.4).

O ciúme do Senhor deseja nosso espírito; ele quer nosso tempo a sós com ele. Às vezes, quando busco ao Senhor, eu o chamo pelo seu nome “Ciumento”. Isso tem um efeito profundo em meu coração. Eu sei que ele me conhece e me ama. À medida que me rendo a ele em meu coração, ele me dá a sua própria fidelidade que nos une na intimidade do seu amor. Ao mesmo tempo, se eu buscar outras coisas sacrificando meu tempo com ele, sinto o fogo do seu ciúme. Fico cercado e incapaz de avançar em qualquer outra direção que não seja para ele.

O ídolo da Imoralidade

Discutimos o ídolo do dinheiro e mencionamos outros ídolos como entretenimento, esporte e sucesso. Mas precisamos nos precaver a respeito do poderoso ídolo da sexualidade. Lembre-se, em Êxodo 34 lemos que o mandamento do Senhor era cortar os aserins. Os aserins eram ídolos que supostamente representavam deusas da fertilidade, e eram adoradas nos países pagãos vizinhos de Israel. Na verdade eram demônios que haviam invadido a sexualidade humana, pervertendo-a até que o sexo se tornou um objeto de adoração.

Hoje, no mundo moderno, podemos não ter os aserins ou deusas da fertilidade nas esquinas, mas certamente a sexualidade está sendo explorada pelo reino demoníaco. Seu poder e influência foram exaltados ao status de um deus. É um poder demoníaco, amigos. Assim deixe-me ser muito claro: Se você está assistindo filmes ou outras mídias que glorificam a sexualidade pervertida, você está servindo a um ídolo demoníaco. Escutem, meus amigos, não se comprometam com entretenimento imoral. Não se comprometam com a sensualidade que segue a moda ou outras tendências imorais. Ponha um filtro de Internet em seu computador para que você não tropece. Liberte-se dos canais de filmes de TV a cabo que trazem imoralidade para sua casa. Uma coisa leva a outra e você logo estará debaixo do poder de algo que literalmente destruirá sua vida.

O Senhor criou a sexualidade com a finalidade de reprodução natural. Tudo que é vivo procura se reproduzir. Ainda mais, este processo de reprodução começou com Deus. E seu alvo é reproduzir-se em nós! Não tolere esta sujeira imoral. Seu poder de sedução é grande e muitas vidas foram destruídas por este ídolo. Lembre-se, Deus quer que você o destrua, e não que o ídolo destrua a você.

Reprodução é o propósito de Deus, sim. Mas Satanás manipulou este propósito para ligar as pessoas às suas luxúrias. Uma vez presos, paramos de enfocar, confiar e se preocupar com Deus. Nós nos encontramos presos em uma irresistível e insaciável atração às formas pervertidas de sexo que não têm nenhum propósito de reprodução ou realização do matrimônio. (Leia 2 Pedro capítulo 2 para ver este assunto claramente.) No Novo Testamento, estes espíritos sexuais são freqüentemente chamados de “espíritos imundos”. Produzem adultério, homossexualismo, e muitos outros pensamentos perversos naqueles em quem habitam. Temos que nos livrar destes espíritos imundos!

E não pense que porque você freqüenta uma igreja, os pensamentos imundos e os espíritos o deixarão em paz. Use o nome de Jesus e promova uma guerra espiritual contra o ídolo de passividade que está em seu coração!

Antes de orarmos, vamos recapitular: Deus deseja com ciúmes a você, a sua adoração e ao seu tempo. Ele deseja que você destrua os ídolos que o controlam e o fazem sair do caminho. Temos que pedir primeiro a Deus que nos revele quais são nossos ídolos, depois arrepender-nos agressivamente por permitir sua entrada em nossas vidas.

“Senhor Jesus, submeto meu coração a ti. Quero um coração livre de ídolos, livre de falsos deuses, livre de senhores demoníacos. Pai, eu me arrependo por permitir que os ídolos entrassem em meu coração. Em nome de Jesus, tomo autoridade sobre todo espírito imundo que teve acesso em minha vida por minha própria vontade ou permissão. Senhor, que sejas tu o único Deus que se assenta no templo do meu coração.”

2 respostas para “Devocional: Um Deus Ciumento”

  1. sergio disse:

    Valeu. Bom ouvir palavras com entendimento e clareza. São duras, mas duras pq reais. Sabemos disso. Obrigado.

  2. Antonio S. disse:

    Texto verdadeiro, é bem isso que acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *