Deus Se Importa Com Suas Amizades

Data de publicação: 16/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 03 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 03

Por: David Wilkerson

Quem você identificaria como seus amigos mais íntimos? Acredite ou não, esta pergunta é uma questão de grande preocupação ao Senhor. E isso é porque suas amizades falam em alto som —tanto para Deus como para o mundo — sobre a condição de seu coração.

Você alguma vez pensou em orar: “Senhor, o que achas de minhas amizades? Elas te agradam — ou te desagradam?” De fato, um amigo íntegro pode ser um vínculo para a bênção e favor de Deus, porque o estimula para um estilo de vida cristão. Por outro lado, um amigo ímpio pode representar uma cadeia que o prende a todo tipo de mal e pode o conduzir a escravidões terríveis.

À medida que uso a palavra “amigo” ao longo deste artigo, não estou me referindo a membros familiares próximos, como cônjuge, pai, mãe ou filho. Minha definição de amigo aqui é alguém com quem você está intima mente envolvido—alguém em quem você confia naturalmente. Em resumo, um amigo é alguém com quem você caminha, conversa e expõe sua alma.

E quando uso o termo “ímpio”, não estou me referindo simplesmente a alguém que não é “crente” ou “evangélico”. Uma pessoa ímpia é alguém cujo coração está em rebeldia ou impureza, podendo tanto levar o nome de cristão evangélico ou não. Da mesma forma, muitas pessoas não evangélicas ou não convertidas não são ímpias, ou seja, não têm o coração em rebeldia contra Deus ou seus caminhos.

Provavelmente você tenha vários círculos de amigos. Você tem seu “círculo de negócios” que inclui seus colegas de trabalho, sócios ou clientes. E tem seu “círculo social”, incluindo as pessoas com quem você se envolve num nível superficial. Pode ser que tenha contato também com conhecidos ímpios. O apóstolo Paulo nos diz que é impossível evitar estes tipos de contatos— caso contrário, teríamos de sair do mundo completamente!

Mas o círculo de amigos com que Deus mais se preocupa é seu círculo íntimo, seus camaradas íntimos. Estes são aqueles a quem você mais ama, e que exercem influência sobre sua vida. Vocês são atraídos um ao outro naturalmente, e concordam na maioria das coisas—por isso sentem-se seguros em abrir seus corações um ao outro. Em resumo, são as pessoas com quem você tem afinidade.

Nossos corações estão constantemente enviando sinais—mensagens que atraem nos outros o sentimento que corresponde àquilo que sai do nosso interior. Tenho visto esta verdade ilustrada poderosamente em nossa congregação, a Times Square Church (Nova Iorque, EUA). Por exemplo, uma mulher sensual pode entrar pela primeira vez em um culto e dar uma olhada ao redor do santuário. Dentro de instantes, ela faz conexão com todos os homens na congregação que têm olhos impuros. As suas qualidades e sentimentos essenciais enviam sinais que atraem corações semelhantes.

Durante um culto, fiquei atônito ao ver esse tipo de ligação sendo feita entre dois jovens viciados em drogas. Um deles havia abandonado nosso programa de reabilitação, por nunca haver deixado o hábito da cocaína. Ao assentar-se em nossa congregação, ele estudou cada face, uma por uma—e logo fez uma conexão com outro viciado que lutava para se libertar. Depois do culto, vi os dois jovens caminhando rua abaixo, falando secretamente. Houvera uma atração profana—e seus espíritos se ligaram!

Por outro lado, observei uma vez com interesse um seminarista consagrado que assistia nossos cultos. Perguntei-me a quem este jovem encontraria como amigo. Então uma noite depois de um culto, observei-o conversando com dois outros cristãos muito dedicados. Algo sobre este jovem atraiu essas pessoas consagradas—e o sinal foi captado!

A Bíblia nos fala que não devemos ser ignorantes em relação às seduções de Satanás. E um dos ataques mais comuns do Diabo contra nós é introduzir em nosso círculo íntimo de amizades alguém que está debaixo de engano—um agente do inferno cuja missão é nos destruir. Satanás usa esta estratégia especialmente com cristãos solitários e compassivos. Ele tenta transformar a bondade de uma pessoa ingênua em afinidade com um espírito demoníaco!

Eu tive um amigo pastor que fora liberto há alguns anos de um problema com bebida. De alguma maneira ele começou uma amizade íntima com um pastor que morava a centenas de quilômetros —um homem que nunca fora liberto do seu próprio problema de alcoolismo. Os dois começaram a realizar reuniões de avivamento juntos e a compartilhar as necessidades um ao outro. E logo este outro pregador convenceu meu amigo que não havia nenhum mal em beber moderadamente. Ele seduziu meu amigo a beber—e dentro de pouco tempo, ambos os homens se tornaram alcoólatras, perderam suas igrejas e acabaram nas ruas de Nova Orleans.

Acredito que o diabo enviou este homem alcoólatra para a vida de meu amigo. Satanás sabia que não poderia alcançá-lo de nenhum outro modo, então introduziu na sua vida um suposto amigo, para o destruir!

Aliança com o Ímpio

O rei Josafá era um homem íntegro que reinou sobre Judá durante o período em que o reino de Israel era dividido. O coração deste homem era completamente alicerçado em Deus, e era santificado e honrado acima de todos os demais em sua geração: “E o Senhor era com Josafá, porque andou conforme os primeiros caminhos de Davi, seu pai…” (2 Crônicas 17.3).

Entretanto as Escrituras declaram que Josafá fez uma aliança com o ímpio rei Acabe que reinou sobre o reino norte de Israel: “Tinha, pois, Josafá riquezas e glória em abundância, e aparentou-se com Acabe” (18.1). A Bíblia diz de Acabe, “.. fez muito mais para provocar à ira o Senhor Deus de Israel do que todos os reis de Israel que o antecederam (Reis 16.33).

Você pode perguntar: como um rei íntegro como Josafá pôde se associar com um homem ímpio? Eu acredito que só há uma razão para esta aliança profana: Fazia parte de um enredo satânico para destruir este homem íntegro!

Veja só. Josafá havia purificado a terra, expelindo todos os ídolos de Baal e matando os profetas idolatras. A esposa diabólica de Acabe, Jezabel, adorava a Baal, e ela sabia o que Josafá tinha feito aos seus ídolos. Por isto ela se concentrou em como derrubar este homem de Deus! Jezabel inventou um enredo com sua perversa filha, Atalia, para penetrar na esfera santificada da família de Josafá. Logo Atalia conheceu o filho de Josafá, Jeorão—e usou todos seus charmes femininos para ganhar o coração dele. O plano funcionou: Jeorão decidiu casar com Atalia, e logo foi pedir a bênção de seu pai. Impensadamente, Josafá o concedeu.

Quando a Escritura diz que Josafá aparentou-se com Acabe, significa que eles “se uniram através de matrimônio”. O diabo deve ter dado uns brados para celebrar com alegria esta união! Agora Josafá teria contato constante com o ímpio Acabe e se sujeitaria aos charmes de sua perversa filha. Em suma, o mal tinha entrado no círculo íntimo de Josafá!

Finalmente, quando Josafá morreu, Jeorão herdou o trono—e Jezabel co- meçou a mandar indiretamente. A na- ção voltou rapidamente à idolatria. E Jeorão acabou matando seus seis irmãos. Este era só o começo do derramamento de sangue por todo o Judá. E tudo aconteceu porque Josafá permitiu-se envolver intimamente com um homem ímpio. Teria sido impossível para Jeorão casar com Atalia sem a aprovação dele. Por que Josafá não falou ao seu filho: “Esta mulher a quem você ama está cheia de idolatria—ela está em rebelião contra o Senhor! Ela só lhe dará maus conselhos e o levará para longe de Deus. Eu estou lhe falando, Jeorão—desista desta relação agora mesmo, antes que ela o destrua!” Ao invés disso, Josafá nunca disse qualquer coisa.

Além disso, Josafá tinha acesso às Escrituras, nas quais Davi declarou claramente: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” (Salmo 1.1). “Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos” (SI 119.63). Josafá sabia de tudo isso contudo ele não quis tomar uma posição!

O casamento de Jeorão e Atalia produziu um filho chamado Acazias que tomou o trono aos 42 anos. A Bíblia diz a respeito deste homem: “Ele também andou nos caminhos da casa de Acabe, porque sua mãe era sua conselheira para proceder impiamente” (2 Crônicas 22.2-3). De repente, Atalia era o conselheiro da corte em Judá. E as Escrituras dizem que esta mulher ímpia “…destruiu toda a descendência real da casa de Judá” (verso 10).

Estou convencido que esse foi o plano de Satanás desde o princípio — destruir a descendência piedosa de Judá! Na verdade, esta era a linhagem de Davi, e as Escrituras profetizaram que era desta linhagem que o Messias viria.

Amado, você pode estar certo que o Diabo tentou tudo possível para acabar com a semente de Cristo. Igualmente, se você é um seguidor de Jesus— se você está agora na linhagem de sangue de Cristo — Satanás tentará introduzir em sua vida alguém para destruir tudo o que Deus plantou em você!

Como saber?

Agora mesmo, você pode estar pensando: “Espere um minuto—eu não quero começar a duvidar dos meus amigos. Não quero desconfiar subitamente de suas atitudes.” Minha resposta para você é: se eles são verdadeiros amigos— se eles são ligados a seu coração no Espírito de Cristo—você não tem nada a temer ao examinar suas relações com eles. E você precisa olhar todas as suas amizades à luz das Escrituras—senão poderá perder até mesmo sua alma!

E fácil determinar se suas amizades íntimas agradam a Deus, ou se foram plantadas pelo inimigo para o destruir. Simplesmente pense em seu melhor amigo, e então responda estas perguntas:

• Seu amigo fofoca ou fala mal de outros?
• É alguém que questiona as Escrituras, sempre debatendo, mas que nunca alcança a verdade?
• Costuma chamar pessoas consagradas de “fariseus”?
• Você detecta em suas palavras um espírito de desobediência, inveja ou suspeita?
• Ele/ela vomita palavras venenosas contra seu próprio cônjuge?
• Ele/ela conseguiu plantar pensamentos indelicados em sua mente sobre outras pessoas?
• Você já começou a imitá-lo em proferir palavras de amargura?

Se seu amigo se encaixa nesta descrição – e você está se deixando conduzir para longe de Jesus por causa desta amizade –  você pode saber que o diabo plantou esta pessoa em sua vida. É uma pessoa com espírito de Acabe – e ele foi enviado para destruir a obra de Cristo em você!

Por outro lado, um verdadeiro amigo cristão sempre tomará o lado da Palavra de Deus em qualquer assunto, e não tomará seu lado só porque é seu amigo. Tal amigo não o aconselhará na amargura do pecado. Ao invés disso, ele o amará o suficiente para contar-lhe a verdade.

Deixe-me lhe mostrar o que acontece a todo filho de Deus que se envolve com alianças com uma pessoa amarga e injusta. Há três conseqüências terríveis:

1. Você será envolvido na “guerra” ou nos problemas de outra pessoa – para seu próprio prejuízo!

A Bíblia nos fala que o reino de Josafá estava em paz até este ponto: “Então caiu o temor do Senhor sobre todos os reinos das terras que estavam ao redor de Judá, de modo que não fizeram guerra contra Josafá” (2 Crônicas 17.10). Judá era abençoado e prosperou abundantemente, e ninguém ousou guerrear contra eles.

Mas depois que Josafá se envolveu em afinidade com Acabe, diz a Escritura: “E Acabe o persuadiu (Josafá) a subir com ele a Ramote-Gileade. E respondeu-lhe Josafá: Como tu és sou eu, e o meu povo como o teu povo; seremos contigo na guerra” (18.2-3). Josafá se envolveu de boa vontade em uma guerra sem chances de vitória—na qual Deus não tinha parte alguma!

A palavra hebraica para “persuadiu” nesta passagem significa “uma sedução sutil”. Josafá se permitiu ser seduzido e conduzido à guerra por Acabe respondendo: “Como tu és sou eu”. Em outras palavras: “Eu sou seu amigo, sendo assim, estou contigo em qualquer situação. Eu não o decepcionarei. Você pode contar comigo!”

Seu amigo íntimo está cheio de amargura, ódio, raiva—e está travando algum tipo de guerra? Ele está envolvido em uma guerra matrimonial, uma guerra familiar, uma guerra pessoal? E você como Josafá quer oferecer-lhe ajuda e encorajamento? Nesse caso, tome cuidado—você está próximo a ser seduzido e a envolver-se com tudo! Isso mesmo: quando menos esperar, estará bem no meio da confusão de seu amigo—e você terá que tomar uma posição. Se seu amigo está com problemas de casamento, por exemplo, você será forçado a tomar um lado. E acabará simpatizando-se com ele por todo o seu caminho tortuoso — até o divórcio!

Esteja atento, servo do Senhor—sempre que você oferece conforto ou encorajamento para alguém que está em rebelião, você toma partido contra o Espírito Santo. E isso o faz participante do pecado daquela pessoa. Tragicamente, quando Josafá se juntou à guerra de Acabe, ele só empurrou seu amigo mais rápido pelo caminho da destruição!

2. Você acabará ignorando todas as advertências proféticas e conselhos bíblicos!

Recentemente, uma mulher veio conversar comigo depois de deixar seu marido. Ela me olhou diretamente nos olhos e disse: “Deus falou comigo claramente. Ele me disse que eu deveria deixar meu marido, porque tinha algo melhor para mim do que este casamento.” Tragicamente, a melhor amiga desta mulher “recebeu a mesma palavra do Senhor”—e a encorajou a se divorciar! Se você tem um amigo ímpio em seu círculo íntimo de amizades, ele lhe dará todas as confirmações que deseja, até mesmo quando está errado. De fato, Satanás encherá sua cabeça com vozes de falsos profetas, todos alegando falar a verdade. Eles dirão: “Vá em frente—tudo vai dar certo. Deus está contigo.” Mas eles o conduzirão à beira da destruição!

Estou certo de que Josafá tinha convicção de estar agindo corretamente quando ele prometeu unir-se a Acabe em guerra. De fato, as Escrituras dizem: “Disse mais Josafá ao rei de Israel: Consulta primeiro a palavra do Senhor” (2 Crônicas 18.4). Ele disse: “Vamos pedir ao Senhor sua opinião sobre o assunto. Nós não agiremos até ouvirmos dele!”

Assim Acabe chamou seus quatrocentos falsos profetas: “Eles disseram: Sobe, porque o Senhor a entregará nas mãos do rei” (verso 5). Todas as quatrocentas vozes concordaram: “É correto ir para guerra. Deus está contigo!” Mas Josafá não ficou convencido. Perguntou para Acabe: “Não há aqui ainda um profeta do Senhor para o consultarmos?” (verso 6). Josafá queria ouvir de um homem que ele soubesse ser santo. Então Acabe chamou o profeta Micaías que tinha sido encarcerado por falar a verdade.

Quando Micaías apareceu, este homem destemido zombou de tudo o que tinha acontecido. Até mesmo profetizou a morte de Acabe dizendo:”… Vi todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor…” (verso 16). Ele estava dizendo: “Você vai morrer em batalha, Acabe. E o povo de Deus será espalhado pelas colinas!”

Deus deu uma palavra clara a Josafá e Acabe, sem deixar dúvida alguma sobre o que ele pensava sobre a questão: “Está consumado! Corra seu próprio risco. Nada mais que morte e derrota os esperam no campo de batalha!”

Neste momento, Josafá pareceu disposto a obedecer a verdadeira palavra profética. Pareceu querer fazer tudo o que Deus lhe falou. Mas, durante séculos, os teólogos se maravilharam do que aconteceu logo depois. Quando a palavra do Senhor veio claramente, Josafá a ignorou!

Micaías parecia sentir a relutância de Josafá em obedecer. E terminou sua advertência com estas palavras: “…Ouvi, povos todos!” (verso 27). Creio que Micaías estava olhando diretamente para o rei Josafá e dizendo: “Você, senhor—preste atenção à minha palavra! Isto tudo é um engano demoníaco. Só pode terminar em destruição! Não vê que sua amizade com Acabe está toda errada? Ele é um idolatra! Por favor, não escute a todas estas vozes mentirosas.” Mesmo assim, inacreditavelmente, o próximo verso declara: “Subiram, pois, o rei de Israel e Josafá, rei de Judá, a Ramote-Gileade” (verso 28). Josafá marchou para guerra com Acabe — ignorando totalmente a advertência de Deus!

Amado, você pode se gabar o quanto quiser sobre seu amor à palavra de Deus e sua vontade de obedecê-la. Mas se não romper com o engano dos amigos ímpios e buscar discernimento do Espírito Santo, você acabará ignorando a palavra de Deus! Você pode acompanhar seu amigo em sua guerra—mas quando tudo estiver a perder, ele o entregará para o inimigo. Isso é exatamente o que aconteceu a Josafá, quando foi para guerra com Acabe. O rei ímpio armou uma armadilha para que Josafá fosse morto. Ele lhe disse que vestisse suas vestes reais, enquanto o próprio Acabe ia vestido como soldado. Dessa forma, de acordo com seu plano, os assírios perseguiriam Josafá em vez de ir atrás dele.

Ironicamente, Acabe foi morto por uma seta que o perfurou através de uma abertura minúscula em sua armadura. E de repente, Josafá foi cercado por sol dados inimigos que estavam prontos para o cortarem em pedaços. O rei percebeu que estava diante da morte—e clamou a Deus por misericórdia. As Escrituras nos dizem: “…e o Senhor o socorreu, e os desviou dele” (verso 31).

A guerra foi um desastre, exatamente como Micaías havia profetizado. O exército de Israel fugiu em desordem, como ovelhas sem pastor. E Josafá se retirou para Jerusalém, seu amigo Acabe morto e seus exércitos derrotados. Foi somente pela graça de Deus que ele escapou da morte!

Posso imaginar os pensamentos que devem ter passado pela mente de Josafá enquanto fugia para Jerusalém: “Oh, Deus— obrigado por me livrar! Agora vejo o perigo de andar com um companheiro ímpio. Nunca farei outra vez, Senhor! Não farei mais parte daquele sistema mundano. Agora é para valer!”

Mas não tinha acabado. Deus ainda tinha uma controvérsia com este homem!

3. A última e mais trágica conseqüência da afinidade com um amigo impio é a ira de Deus sobre você!

Enquanto Josafá ia para casa, o Senhor enviou um profeta ao seu encontro, com estas duras palavras: “O vidente Jeú, filho de Hanani, saiu ao encontro do rei Josafá e lhe disse: Devias tu ajudar ao perverso, e amar aqueles que aborrecem o Senhor? Por isso caiu sobre ti grande ira da parte do Senhor” (2 Crônicas 19.2).

Deus estava dizendo a Josafá: “Você não sabe o perigo e as conseqüências do que você fez. Você pode pensar que é simples se unir com alguém que é contra mim. Acabe era meu inimigo—um idolatra—e você se fez seu amigo. Você ouviu suas palavras ímpias e deu apoio à sua imundícia. E não tomou uma posição contrária a nada disso, Josafá. Tenho uma controvérsia contigo sobre isso!”

Neste momento, você pode estar pensando. “Eu entendo que Acabe era mau. Mas quando penso em meus próprios amigos, não há como pensar neles como inimigos de Deus.” Contudo, considere estas passagens das Escrituras:

• “Quem não é por mim, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha” (Lucas 11.23). Seu amigo está do lado do Senhor em todas as coisas?
• “Rebelião é como o pecado de feiti-çaria…” (1 Samuel 15.23). Os conselhos de seu amigo estão cheios de rebelião?
• “…O que justifica o ímpio, e o que condena o justo, são abomináveis ao Senhor, tanto um como o outro” (Provérbios 17.15). Seu amigo fala mal de pessoas de Deus?

Isto não é um jogo! Seus amigos são uma questão séria para Deus—porque suas ações têm conseqüências sérias: “Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua trama enganos. Sentas-te para falar contra teu irmão; difamas o filho de tua mãe. Tens feito estas coisas, e eu me calei; pensavas que eu era teu igual; mas eu te argüirei, e porei tudo à tua vista. Considerai, pois isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedace, sem que haja quem vos livre….” (Salmo 50.19-22).

Escute ao profeta Isaías: “Porque dizia: Certamente eles são meu povo, filhos que não procederão com falsidade; assim ele se fez o seu Salvador. Em toda a angústia deles foi ele angustiado, e o anjo da sua presença os salvou; no seu amor, e na sua compaixão ele os remiu; e os tomou, e os carregou todos os dias da antigüidade. Eles, porém, se rebelaram, e contristaram o seu santo Espírito; pelo que se lhes tornou em inimigo, e ele mesmo pelejou contra eles” (Isaías 63.8-10). Deus na verdade se torna inimigo desses que ignoram a palavra dele!

No caso de Josafá, Deus trouxe guerra e tribulação a Judá: “Depois disto os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos amonitas, vieram contra Josafá para lhe fazerem guerra” (2 Crônicas 20:1). Até então, Judá havia desfrutado de grande paz. Mas agora Josafá viu inimigos vindo contra ele de todos os lados, ameaçando destruir seu reino!

Paulo escreve: “Pois do céu é revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça” (Romanos 1.18). O apóstolo está falando aqui das pessoas que conhecem a verdade e contudo a ignoram. Simplesmente, a ira de Deus está sobre todos os que suprimem a verdade e não fazem nada sobre ela—como o rei Josafá!

Graças a Deus, as Escrituras nos dizem: “Então Josafá teve medo, e pôs-se a buscar ao Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá” (2 Crônicas 20.3). O rei se humilhou e se arrependeu: “Então Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém se lançaram perante o Senhor, para o adorarem” (verso 18).

Deus respondeu ao quebrantamento de Josafá dando a Judá vitória total contra os moabitas. Finalmente, a Bíblia nos diz: “Assim o reino de Josafá ficou em paz; pois que o seu Deus lhe deu repouso ao redor” (verso 30).

Deixe-me concluir com esta advertência final:

A escolha sábia e cautelosa de suas amizades é uma preocupação para a vida toda. O fato é, você pode escapar de um relacionamento indevido—mas depois caminhar direto para outro!

A Escritura nos fala que a história de Josafá terminou tragicamente: “Depois disto Josafá, rei de Judá, se aliou com Acazias, rei de Israel, que procedeu impiamente” (verso 35). Josafá cometeu o mesmo erro novamente! Ele se aliou com o ímpio Acazias, da mesma maneira que havia feito com Acabe.

Desta vez Deus enviou um profeta a Josafá dizendo:”… Porquanto te aliaste com Acazias, o Senhor destruiu as tuas obras” (verso 37). O Espírito de Deus deixou este homem anteriormente íntegro—porque não quis obedecer!

Amado, a Bíblia é muito clara neste assunto: “Não faças amizade com o iracundo; nem andes com o homem colérico; para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma” (Provérbios 22.24-25). “Mas aos que se desviam para os seus caminhos tortuosos, levá-los-á o Senhor juntamente com os que praticam a maldade….” (Salmo 125.5).

Tome uma posição hoje. Se você tem amigos ímpios em seu círculo íntimo de amizades, rompa com eles! Deus em sua misericórdia o livrará dos laços do inimigo, como fez a Josafá. Mas o fato é, você nunca pode deixar de ficar alerta às tentativas de Satanás de pôr alguém em sua vida para destruir a obra de Cristo em você.

Ore:
“Senhor, abra meus olhos a todas minhas amizades! Ajude-me a vê-las claramente, se são boas ou más, se agradam ou não a ti. Que todas as minhas amizades tragam glória ao teu nome!”

Copyright © 1998 por World Challenge, Lindalc, Texas, EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *