Ciência e Fé: Como Saber se Deus Existe?

Data de publicação: 12/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 04 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 04

Por: Marilyn Adamson

Pelo menos uma vez na vida você não adoraria que alguém simplesmente lhe apresentasse as evidências da existência de Deus? Sem torcer seu braço ou tentar fazer sua cabeça. Nenhuma declaração do tipo: “Você só tem de crer”. Somente as razões simples e diretas que levariam a pessoa a concluir que há um Deus?

Este artigo lhe oferece a oportunidade para dar uma olhada honesta na possibilidade da existência de Deus. Tentaremos responder a pergunta: “Será que existe um Deus que é poderoso, pessoal e amoroso?”

Talvez seja um pouco surpreendente, mas muitas pessoas acreditam em Deus, não por causa de desespero ou vontade, mas como uma resposta honesta aos fatos convincentes diante deles.

Antes que você examine os seguintes fatos, porém, considere isto. Se uma pessoa se opõe à possibilidade da existência de um Deus, então qualquer evidência pode ser racionalizada ou explicada até ser desacreditada. É como se alguém se colocasse terminantemen-te contra a idéia de que o homem andou na lua, então nenhuma prova vai mudar seu pensamento. Fotos de satélite mostrando os astronautas caminhando na lua, pedras da lua de composição química estranha, o testemunho dos astronautas, relatórios escritos da missão deles… toda a evidência seria inútil, porque ele já concluiu que as pessoas não podem ir para a lua.

Quanto à possibilidade da existência de Deus, a Bíblia diz que há pessoas que viram evidência suficiente, mas suprimiram a verdade sobre Deus. (Rm 11.19-21) Por outro lado, para aqueles que querem conhecer Deus se Ele realmente está lá, Ele diz: “Vocês me buscarão e me acharão; quando me buscarem com todo o seu coração, serei achado por vocês” (Jr 29.13-14). Portanto, antes de olhar os fatos que provam a existência de Deus, é válido perguntar: “Se Deus existe, será que eu gostaria de conhecê-lo?”

Aqui estão, então, algumas razões que apontam para a existência de Deus:

1.  Ao longo da história, em todas as culturas do mundo, as pessoas sempre foram convictas de que há um Deus.

Será que alguém poderia afirmar com confiança que todas essas pessoas foram enganadas? Bilhões de pessoas que representam diversas estruturas sociológicas, intelectuais, emocionais, educacionais… todas chegaram à mesma conclusão de que há um Criador, um Deus a ser adorado.

“Pesquisas antropológicas indicam que mesmo entre as pessoas primitivas mais distantes e isoladas hoje, há uma crença universal em Deus. E nas histórias e lendas mais antigas de povos ao redor do mundo, o conceito original era de um Deus que era o Criador. Um Deus soberano original parece uma vez ter estado na consciência até mesmo das sociedades que hoje são politeístas.” (Paul E. Little, “Know why you Believe”)

2. A complexidade de nosso universo, de nosso sistema solar e de nosso planeta Terra aponta para um Projetista sábio e deliberado que não só criou nosso universo, mas sustenta-o até hoje.

Poderíamos citar páginas e páginas, talvez infinitamente, de exemplos que mostram as marcas do projeto de Deus no universo, mas mostraremos apenas alguns:

A Terra… seu tamanho é perfeito. O tamanho da Terra e a gravidade correspondente seguram uma camada fina de gases, principalmente nitrogênio e oxigênio, sobre a sua superfície. Estendendo aproximadamente a apenas 50 milhas acima da superfície da Terra, nossa atmosfera contém a mistura certa de gases necessárias para sustentar a vida. Se a Terra fosse menor, uma atmosfera seria impossível, como é o caso do planeta Mercúrio. Se a Terra fosse maior, sua atmosfera conteria hidrogênio livre, como Júpiter, (Ft.E.D Clark, “Creation”). A Terra é o único planeta conhecido equipado com uma atmosfera apropriada para a vida vegetal, animal e humana.

A Terra é localizada a exatamente a distância certa do sol. Considere as variações de temperatura que encontramos, entre aproximadamente -34ºC até 48ºC. Se a Terra fosse um pouco mais distante do sol, todos nós congelaríamos. Um pouco mais perto e seríamos queimados. Até mesmo uma mudança fracionária da posição da Terra em relação ao sol tornaria a vida na Terra impossível. A Terra permanece na sua perfeita distância do sol enquanto gira ao redor do mesmo a uma velocidade de quase 107.200 km por hora. E a rotação da Terra em torno de seu próprio eixo permite esquentar e esfriar adequadamente toda a sua superfície diariamente.

Nossa lua tem o tamanho certo e fica à distância certa da Terra. A lua cria importantes movimentos de água e marés nos oceanos fazendo com que a água dos oceanos não fique estagnada, e ainda impede as grandes massas de água dos nossos oceanos de se espalharem sobre os continentes (The Wonders of God’s Creation).

Água… incolor, inodoro e sem gosto, e no entanto nenhum ser vivo pode sobreviver sem ela. Não foi encontrada água em qualquer outro planeta, contudo cobre mais de 70 por cento da superfície de nossa terra. Plantas, animais e seres humanos consistem principalmente de água… cerca de dois terços do corpo humano são água. As características da água são singularmente apropriadas para a vida:

• A água tem um ponto de ebulição e de solidificação excepcionalmente alto, o que nos permite viver num ambiente de constantes mudanças de temperatura, ao mesmo tempo que mantém nossos corpos em uns 37 ºC constantes.

• A água é um solvente universal. Pegue um copo cheio de água, acrescente uma xícara de açúcar, e a água não transborda porque ela simplesmente absorve o açúcar. Esta propriedade da água permite que transporte milhares de substâncias químicas, minerais e nutrientes através de todo o nosso corpo e dentro dos vasos sangüíneos mais minúsculos.

• A água também é quimicamente inerte e não afeta a composição das substâncias que transporta. Alimentos, remédios e minerais são todos absorvidos e usados pelo corpo, enquanto a água continua como um agente neutro de transporte.

• A água tem uma tensão de superfície sem igual. Isso, junto com outra propriedade da água, permite que suba nas plantas, contra a gravidade, levando vida e nutrientes ao topo de até mesmo as árvores mais altas.

• A água congela de cima para baixo e flutua, permitindo a vida dos peixes durante o inverno.

• Noventa e sete por cento da água da Terra estão nos oceanos. Mas em nossa Terra, há um sistema planejado que remove o sal da água e depois distribui aquela água ao redor do globo. A evaporação retira água dos oceanos, deixando o sal, e forma nuvens que são movidas facilmente pelo vento para distribuir a água em cima da terra, da vegetação, dos animais e das pessoas. É um sistema de purificação e fornecimento que sustenta a vida neste planeta, um sistema de água reciclada e reutilizada.

O cérebro humano… simultaneamente processa uma quantidade surpreendente de informação. Seu cérebro capta todas as cores e objetos que você vê, a temperatura ao seu redor, a pressão de seus pés contra o chão, os sons ao seu redor, a secura da sua boca, até mesmo a textura deste artigo em suas mãos. Além de toda a informação sensória, seu cérebro reconhece respostas emocionais, idéias e recordações. Seu cérebro também monitora as funções contínuas de seu corpo como seu padrão de respiração, movimento das pálpebras, fome e movimento dos músculos em suas mãos.

O cérebro humano processa mais de um milhão de mensagens por segundo. Felizmente, seu cérebro avalia a importância de todos esses dados e filtra os relativamente sem importância. Esta função de filtragem do cérebro é o que possibilita ao homem sua concentração e capacidade de agir eficientemente em seu mundo. Um cérebro que lida com mais de um milhão de pedaços de informação todos os segundos, ao mesmo tempo avaliando sua importância e permitindo que você aja baseado na informação mais pertinente… será que podemos dizer que o mero acaso montou um órgão tão espantoso?

Quando a NASA lança uma missão de ônibus espacial, subentende-se que não foi um macaco que escreveu o plano, mas mentes inteligentes e instruídas. Como é possível explicar a existência do cérebro humano? Só uma mente mais inteligente e instruída do que a humanidade poderia criar um cérebro humano.

3. A improbabilidade do mero “acaso” explicar as características da vida.

Será que alguém poderia olhar ao Monte Rushmore onde as semelhanças de Washington, Jefferson, Lincoln e Theodore Roosevelt são esculpidas, e acreditar que elas apareceram por uma casualidade? Mesmo que houvesse tempo, vento, chuva e sorte infinitos, é difícil acreditar que algo assim, ligado à história, poderia ter sido formado por acaso no lado de uma montanha. Bom senso nos leva a concluir que foram pessoas que planejaram e habilmente esculpiram essas figuras.

Neste artigo mencionamos apenas algumas complexidades necessárias do nosso mundo: a posição da Terra em relação ao sol, algumas propriedades da água, um órgão do corpo humano. Será que qualquer uma destas coisas poderia ter ocorrido por acaso?

O distinto astrônomo Frederick Hoyle mostrou como até mesmo a combinação casual dos aminoácidos em uma célula humana é matematicamente absurda. A respeito de nossas vidas, Hoyle ilustrou a fraqueza do “acaso” com a seguinte analogia: “Quais são as possibilidades de um tornado passar por um ferroveIho que contém todas as partes de um Boeing 747, e acidentalmente ajuntá-las todas de forma perfeita, deixando um avião pronto para partida? As possibilidades são tão pequenas que ficam até desprezíveis mesmo que um tornado fosse passar por tantos ferrovelhos que enchessem todo o universo!” (Little, “Know Why You Believe”).

Em tudo na vida vemos uma lei lógica de causa e efeito. Todo efeito teve uma causa. Quando a gente considera as complexidades de nossa vida e universo, é razoável pensar que um Criador inteligente e amoroso proveu tudo que precisamos para a vida. A Bíblia descreve Deus como o autor e mantenedor da vida.

4. O senso inerente dos seres humanos de certo e errado não pode ser explicado biologicamente.

Até mesmo um ladrão fica chateado e se sente injustiçado quando alguém rouba dele. Surgem em todos nós, seja qual for a nossa cultura, sentimentos universais de certo e errado. Se alguém violentamente pega uma criança de uma família e a estupra, há uma raiva, revolta e ira para confrontar aquele ato como mau, independentemente da cultura. Onde adquirimos este senso de injustiça?

E coisas como coragem, disposição de morrer por uma causa, amor, dignidade, dever e compaixão – de onde vieram? Se as pessoas são meramente produtos de evolução física, substâncias materiais e biológicas, por que temos um senso de justiça? Como podemos explicar uma lei universal na consciência de todas as pessoas que diz que matar outros por diversão é errado? Não é verdade que todas as pessoas sentem que um espírito humilde e uma ênfase na satisfação das necessidades de outros são qualidades admiráveis? A melhor explicação para a existência da nossa consciência é a existência de um Criador amoroso que se preocupa com as decisões e harmonia da humanidade.

Marilyn Adamson, ex-atéia, é graduada da Universidade Drake.

Uma resposta para “Ciência e Fé: Como Saber se Deus Existe?”

  1. Everson disse:

    Uma parte dessa incredulidade em Deus é devida ao fato do ser humano ser orgulhoso, pois até no inconsciente coletivo dos que creem em Deus ele é sempre um ser superior aos homens. Assim, crer em Deus implica automaticamente em admitir-se menor que ele, e isso é difícil para o ser humano orgulhoso. Crer em Deus sempre será uma tarefa difícil para aquele que não consegue vencer o orgulho, crer em Deus é acima de tudo um exercício de humildade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *