A Situação da Igreja no Final do Milênio

Data de publicação: 11/12/2011
Categorias da Biblioteca:
Edição 05 e Revista Impacto - 1998 a 2014.
Este artigo pertence a: Edição 05

Por: John Walker

Na virada do século XX, o movimento pentecostal iniciou-se na América do Norte e o Brasil sentiu seu efeito a partir de 1910 com o envio de missionários de lá para cá. Houve um grande desenvolvimento espiritual. Outra onda aconteceu na metade do século com o movimento carismático que influenciou todas as denominações do mundo, até mesmo a Igreja Católica.

Segundo as estatísticas, a população do mundo atingirá, em outubro de 1999, a casa dos 6 bilhões. Isto significa que em um século a população quadruplicou. Desses 6 bilhões, um terço é cristão nominal — aproximadamente 2 bilhões. Desses 2 bilhões, um bilhão é católico e outro bilhão é protestante. Desse 1 bilhão, 700 milhões são evangélicos praticantes e 300 milhões são protestantes por tradição. Destes 700 milhões, 400 milhões são pentecostais ou carismáticos, e dois terços desses 400 milhões estão no terceiro mundo — África, Ásia e América Latina. Percebe-se, então, que o aumento de cristãos no terceiro mundo é fenomenal, e que a chave desse crescimento é o movimento pentecostal/ carismático. Podemos afirmar que o Brasil, como país de terceiro mundo, está na vanguarda espiritual do século XXI. Os próprios teólogos pesquisaram e descobriram que a chave para esse fenômeno mundial é o batismo no Espírito.

Nos anos 60, alguns teólogos do primeiro mundo afirmaram que estávamos adentrando uma era pós-cristã. Um deles chegou a escrever um livro dizendo que Deus estava morto. No entanto, Deus não morreu, mas mudou de endereço — do primeiro para o terceiro mundo. Um motivo para isso é que o progresso material produz orgulho e auto-suficiência. Enquanto no primeiro mundo a cultura tornou-se secularizada, imperando o humanismo — o homem no centro — no terceiro mundo há simplicidade para Deus operar.

Agora, depois de constatar que estamos na fronteira espiritual do século XXI, por causa do movimento pentecostal/ carismático, devemos também tomar conhecimento dos problemas seriíssimos que ocorrem dentro desse movimento. Provérbios 28.19 diz que “sem visão o povo se corrompe”. No último número da Revista Impacto escrevemos um artigo mostrando que todo movimento espiritual durante a história da igreja passa por um ciclo quase inevitável. Esse ciclo é formado por 6 fases: 1) Inspiração; 2) Evangelização; 3) Organização — a mão do homem toca a arca de Deus; 4) Construção — movimento vira monumento; 5) Educação — treina mento e formação de pastores para preservar a doutrina certa e proteger o movimento de heresia; e 6) Estagnação. Nesta última fase, sempre surgiu durante a história da igreja uma sétima fase e cremos que novamente está chegando o seu momento: na verdade é o início de um novo ciclo — Reforma ou revolução na igreja. (Por estarmos vivendo nos últimos dias cremos que a nova reforma que a igreja precisa experimentar hoje não começará um novo ciclo de declínio, mas preparará a igreja para a volta de Jesus.)

Vejamos agora seis problemas no movimento pentecostal/carismático que clamam por soluções urgentes e que devem ser o centro da nova reforma de que a igreja tanto necessita, mas que ainda não apareceu no horizonte:

1) Revelação ou educação?
2) Adoração ou entretenimento?
3) Sacrifício ou prosperidade?
4) Santificação ou mundanismo?
5) A lei da liberdade (Tg 1.25; 2.12) ou legalismo e libertinagem?
6) O reino de Deus ou política (triunfalismo)?

A Bíblia não ensina que haverá um governo cristão antes da volta de Cristo. Esse casamento da igreja com o estado começou com Constantino no Império Romano (300). Hoje o problema se repete, mas mexer com política é mexer com demônios, pois Satanás é o príncipe deste mundo (Jo 12.31 ;Lc 4.6). O triunfalismo crê que Jesus voltará quando a igreja estiver dominando o governo secular. Mas Jesus voltará para estabelecer o reino de Deus que é totalmente diferente do governo deste mundo. /.Manifestar a glória de Deus no meio da tribulação ou fugir dela (arrebatamento pré-tribulação)?

————————————————————————————————————————————————————————–

Reflexão Final

Por: Harold Walker

É surpreendente constatar através das estatísticas expostas acima que aquilo que começou no início deste século no meio de pessoas humildes e desprezadas, tachado de “fanatismo” e “espiritismo” pela igreja estabelecida, é o único fator que impediu a igreja cristã de chegar a um estado terminal no final do século.

Não fosse o tremendo e precioso batismo no Espírito Santo o Cristianismo estaria desaparecendo rapidamente da face da Terra, tanto em números quanto em relevância. Isto nos leva, portanto, a uma pergunta séria e fundamental:

Diante da grave situação do movimento pentecostal/carismático causada pelos problemas expostos acima, o que precisa acontecer agora com a igreja cristã para que ela enfrente os desafios do século XXI de forma atual e corajosa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *