A Festa de Shavuot

Publicado em: 27/05/2015 Categorias: 2015 / Revive Israel

Eddie Santoro, Congregação de Ahavat Yeshua

Há poucos dias, Israel celebrou a última festa da primavera — Shavuot – também conhecida como Pentecostes. Em nossa congregação, fizemos “a contagem do Omer”, os 50 dias entre a Festa da Páscoa e o Shavuot e foi crescendo a expectativa para a celebração do último final de semana.

De acordo com a tradição judaica, a Torá foi entregue a Israel no Monte Sinai neste mesmo dia de Shavuot — pouco tempo depois de esta nação de escravos ser milagrosamente liberta da nossa escravidão no Egito. De muitas maneiras, esse evento sempre foi visto como um momento decisivo para o povo judeu, a revelação de Deus que separou nossa nação como povo escolhido de Deus. Foi a Torá que instruiu Israel como viver e como se aproximar de Deus.

Surpreendentemente, também foi nesse dia de Shavuot, há dois mil anos, que Deus escolheu derramar o seu Santo Espírito sobre a sua Igreja recém-criada. E assim como a Torá, escrita em tábuas de pedra, veio para definir Israel, a nova vida do Espírito Santo, escrita nas tábuas dos corações dos homens, também viria para definir a Igreja.

Nós celebramos esta Festa, começando no último sábado à noite, 23 de maio, com uma reunião de oração que durou a noite toda. Durante esse tempo, irmãos de todo o Israel se reuniram para adorar, orar e interceder enquanto buscamos o coração de Deus em favor de tudo o que ainda está diante de nós. A reunião de oração teve início às 22h e continuou até às 6h (horário de Israel).

Todas as Nações no Shavuot

Chandy Thomas, Escolas de Treinamento Gateways Beyond

A experiência espiritual incomum de Atos 2 veio logo após a Grande Comissão de ir pregar o Evangelho ao mundo inteiro (Mt 28.18-20). Nesse momento crítico de receber poder para cumprir a comissão, é significativo que a primeira expressão do batismo no Espírito Santo foi a manifestação extática de falar nas línguas de muitas das nações debaixo do céu.

Shavuot-Pentecostes representa a capacitação dos primeiros judeus messiânicos para se tornarem uma luz às nações – o cumprimento de uma antiga promessa (Isaías 42.6; 49.6; 60.3). Era como se essa luz, esse fogo espiritual de Deus que veio sobre eles contivesse em si todas as cores do arco-íris, representando os diferentes povos do mundo. Assim, para nós, como um movimento judeu messiânico, não valorizar as diversas línguas, culturas e grupos étnicos das nações seria o mesmo que abandonar nosso próprio chamado original e global.

Isso nos leva à cena dos judeus devotos de todas as nações debaixo do céu reunidos em Jerusalém. Esse ajuntamento é mencionado especificamente, nação por nação, incluindo prosélitos, gregos, asiáticos e árabes!

Atos 2.5 e 11: “Ora, estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, vindos de todas as nações debaixo do céutanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios. Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus!

Quando foram batizados no Espírito Santo, a expressão exterior não foi um show aleatório de poder sobrenatural e, sim, uma manifestação com propósito extremamente definido. Isso significa claramente que essa mensagem do reino e do seu amor seria para todas as nações.

Na história moderna, a restauração do dom de línguas à igreja é paralela à restauração da língua hebraica à nação judaica. No Shavuot, podemos testemunhar e celebrar esse restabelecimento de oração e adoração em hebraico entre o remanescente messiânico em Israel. Ao mesmo tempo, é essencial estabelecer a importância das línguas dos “olim” (judeus devotos de todas as nações) e dos gentios que estão nos visitando de todas as nações. Nessa expressão multilíngue e multicultural de adoração unida, nós nos tornamos uma exibição extravagante da expectativa profética do iminente retorno de Yeshua.

Absolutos Morais

Nesta mensagem, Asher mostra como Yeshua desceu para dar a lei moral no Monte Sinai, explicou a atitude de coração por trás da lei no Monte das Bem Aventuranças, providenciou expiação para a quebra da lei no Monte do Calvário, nos capacitou a obedecer às suas leis dando-nos o Espírito Santo no Monte Sião e ainda é aquele que voltará para julgar as nações que quebram as suas leis a partir do Monte das Oliveiras. Para assistir em inglês: https://youtu.be/nT7c65TbLck

Evangelização em Zimbabwe

Troy Wallace, JVMI

No fim de abril, Jewish Voice Ministries International, liderado por Jonathan Bernis, promoveu mais um seminário de Treinamento de Liderança em Zimbabwe. Esse evento aconteceu simultaneamente a um trabalho bem-sucedido de evangelização médica em Mberengwa que resultou em mais de 600 novas conversões a Yeshua! Passamos um tempo com 62 líderes de 35 congregações que foram implantadas como resultado do mover de Deus entre o povo Lemba que nossos eventos evangelísticos serviram (os Lemba são uma tribo de origem judaica que vive em alguns países no sul da África, possivelmente oriundos da comunidade judaica do Iêmen, e que mantém até hoje muitos costumes e rituais judaicos). Conseguimos avaliar que temos atualmente por volta de 1.500 Lemba se reunindo cada Shabbat para participar dos cultos nessa rede incipiente de congregações.

O seminário incluiu dois dias de ensino bíblico básico desenvolvido ao redor do tema “O Chamado para Liderança”. Jonathan, Mezmur, Jack Zimmerman e eu cobrimos os tópicos de ensino abrangendo desde “Padrões de Liderança” e “Compromisso de Confrontar em Amor” até “Devocional Pessoal”. O nosso objetivo nesse tempo foi preparar os líderes para exercer autoridade de forma mais eficaz e tomar decisões melhores para promover uma vida congregacional saudável.

Nós também nos encontramos com muitos dos líderes locais depois das reuniões para podermos avaliar a eficácia do trabalho. Nosso tempo junto com os líderes locais culminou com a ordenação de Alfius Matandu como Supervisor Congregacional Nacional dos Lemba. Pudemos confirmar que esse foi um momento chave no desenvolvimento do corpo do Messias em Zimbabwe.

Deep Cries Out – Adoração do Ta’anit Esther (Jejum de Ester)

Aqui está uma canção em inglês extraída das 12 horas de adoração e oração durante o Jejum de Ester (4 de março) organizado pelo Revive Israel. Para assistir:
https://youtu.be/tlQp_x9I3vc?list=PLrQIjPM4N0r02R7APUoR7scn7zd1QSV4N

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *