A Eclesiologia de Rute e a Escatologia de Ester (Parte 2)

Publicado em: 08/03/2016 Categorias: 2016 / Revive Israel

Asher Intrater

Os livros de Rute e Ester descrevem eventos históricos reais, mas também podem ser interpretados como parábolas com sentido profético. Rute contém uma mensagem sobre o relacionamento entre Israel e a Igreja. Isso é o que chamamos de a “Eclesiologia de Rute”. Semelhantemente, no livro de Ester encontramos uma mensagem sobre o Fim dos Tempos. Chamamos isso de: a “Escatologia de Ester”.

As histórias de vida dessas duas mulheres contêm o mistério ainda em desdobramento de Israel e a Igreja, e das profecias do Fim dos Tempos. Um afeta o outro. Uma “Eclesiologia de Rute” deve levar a uma “Escatologia de Ester”.

Ester pode ser vista como um símbolo da Igreja, a noiva do Messias. Ela está num relacionamento de intimidade, graça e beleza com seu marido, o Rei. E, de repente, surge uma crise. Ester foi conduzida à realeza exatamente “para conjuntura como esta” (Ester 4.14). E que “conjuntura” foi aquela? Foi o momento de uma crise internacional sem precedentes. E que crise exatamente foi aquela? Uma tentativa de matar todos os judeus.

A tentativa de eliminar os judeus aconteceu não apenas pelas mãos de Hamã (Ester 3.6), mas também por meio de Faraó (Êxodo 1.16), Herodes (Mateus 2.16) e acontecerá novamente no Fim dos Tempos (Ezequiel 38-39; Zacarias 13-14). Toda guerra espiritual acaba tendo seu clímax na tentativa de matar os judeus. Podemos encontrar essa tendência genocida tanto no Nazismo quanto na Jihad islâmica. No fim dos tempos, uma tentativa de eliminar os judeus poderia muito bem ter como alvo também todos os cristãos que acreditam em Yeshua como o Rei dos judeus, ou que se posicionam em alinhamento com a nação de Israel.

É interessante que a descrição de Hamã em Ester 3.7; 8.1; 9.10, 24 é “Tsorer” צורר que é a palavra comumente usada no hebraico moderno para “Anticristo” e é a raiz da palavra “Tribulação” no Velho Testamento. Hamã pode ser visto como uma figura do Anticristo nessa parábola do Fim dos Tempos na Tribulação por vir.

Ester é alertada por Mordecai numa mensagem profética sobre a urgência de interceder junto ao rei em favor dos judeus durante essa crise mundial. Ela fica relutante a princípio ao ouvir uma mensagem que parece ser intensa e nagativa demais. Ela até tenta dar desculpas para evitar o seu envolvimento pessoal nessa crise, mas Mordecai é persistente para mostrar-lhe a necessidade de desempenhar o seu papel na intercessão.

Por anos, vozes apostólicas e proféticas têm tentado nos alertar sobre as crises e tribulações iminentes. Muitos cristãos parecem desinteressados; outros ainda têm sido ensinados que não participarão desta crise, porque já terão sido arrebatados ao céu. Não entendemos os eventos futuros desta forma de jeito nenhum. Por essa razão, todo ano, temos organizado o “Jejum de Ester” תענית אסתר com cristãos árabes e judeus messiânicos locais aqui em Israel, transmitido ao vivo pela internet para parceiros e guerreiros de oração ao redor do mundo (Ester 4.16).

Muitos ainda não compreenderam a urgência dessa visão “de Ester” a respeito do fim dos tempos. Talvez soe para você também como uma perspectiva intensa, negativa ou judaizante demais. Alguns dos nossos amigos que mais conhecem a Bíblia e que mais têm discernimento profético parecem não entender isso. Até mesmo aqueles que entendem a “Eclesiologia de Rute” não prosseguem necessariamente para ver o próximo passo na “Escatologia de Ester”.

Contudo, a história tem um final feliz! Após um período extremamente difícil de intercessão, tribulação e guerra espiritual, há uma intervenção repentina e miraculosa de Deus que afeta o mundo inteiro. O decreto assassino é cancelado. As forças do mal são destruídas (9.17). A história é alterada. Um grande avivamento acontece.

O livro de Ester declara que muitos “se fizeram judeus” (8.17) ou “se uniram” aos judeus (9.27).  Como parábola, isso poderia apontar para um grande avanço evangelístico, em que multidões se tornariam verdadeiros cristãos, ou passariam a apoiar Israel, ou compreenderiam as raízes judaicas do cristianismo ou se converteriam ao judaísmo tradicional – ou para todas essas opções.

Finalmente, os justos tomam posse do governo sobre todas as nações (8.2; 9.3; 10.3). Todas as pessoas ficam felizes, a paz abunda e festas são celebradas. Esse é um belo quadro do reino de Deus na terra. Purim é uma época de muita alegria. Vamos nos unir nesse chamado de Ester e Mordecai para entrar na batalha espiritual a fim de ganhar a vitória no fim dos tempos.

——————————————————————

O Jejum de Ester

Todo ano, durante o Jejum de Ester, realizamos um evento que dura um dia inteiro, transmitido ao vivo pela internet, de adoração, jejum e oração. Convidamos você a participar conosco no dia 23 de março, 2016, das 8h às 18h, horário de Israel, neste momento importante em que juntamos nossas forças para lutar para que os planos e propósitos de Deus prevaleçam sobre todos os desígnios malignos contra o povo de Deus em nossa geração. Ofereceremos tradução do hebraico para o inglês. Para assistir ao vídeo de convite em inglês:

https://youtu.be/QDSzoxd-2NM

——————————————————————

Pedidos Especiais de Oração  

– Ariel B, nosso emissário na Ásia, fará uma viagem rápida, mas estratégica para a China e Hong Kong neste final de semana. Por favor, ore por ele, para que ele tenha força e para que todos os planos do Senhor sejam realizados.

– Ore também pela saúde/cura da nossa equipe do Revive Israel. Muitos ficaram ou ainda estão doentes com um resfriado/gripe terrível transmitido por um vírus que está circulando em Israel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *