25 DIA DE ORAÇÃO PELA CORÉIA DO NORTE – 09 DE MAIO

Publicado em: 09/05/2012 Categorias: Missões / Sem categoria

 O CRISTIANISMO NA COREIA DO NORTE: OS MÁRTIRES DA IGREJA

 Enquanto apedrejavam Estêvão, este orava. “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”. Então caiu de joelhos e bradou. “Senhor, não os considere culpados deste pecado”. E, tendo dito isso, adormeceu. Atos 7.59-60

 Quando assumiu o poder da Coreia do Norte em definitivo na década de 50, Kim Il Sung tinha certeza de que o cristianismo era uma ameaça ao seu conceito de pureza da raça coreana e ao seu ideal nacionalista. Então, o governo comunista norte-coreano decidiu eliminar totalmente a fé cristã do país. Em seus primeiros anos de governo, cinco bispos, 82 padres, 25 monges, 34 mulheres e quatro seminaristas foram mortos.

De acordo com Paul Estabrooks (2007, p.13), “em maio de 1997, sete prisioneiros cristãos norte-coreanos da província de Hambuk tiveram o maxilar quebrado pelos guardas, porque continuaram a orar e cantar louvores a Deus. Minutos depois, eles foram mortos a tiros”.

De acordo com ex-agentes secretos norte-coreanos, há pelo menos quatro grupos de vigilância que, entre outras coisas, têm a função de monitorar a movimentação e atividade dos cristãos. Todas as informações levantadas por esses agentes são salvas em dossiês, que contêm informações sobre antecedentes familiares, atividades religiosas passadas e tendências políticas. Muitos agentes são treinados para se passar por cristãos. É muito comum na Coreia do Norte cristãos serem presos e mortos em praça pública para servir de exemplo aos demais indivíduos da sociedade. Mesmo diante da morte, esses mártires não negaram sua fé em Cristo.

ORE:

• Louve ao Senhor porque muitos cristãos norte-coreanos estão dispostos a dar suas vidas para que outros conheçam o evangelho.

• Peça a Deus que os novos convertidos não desistam da fé, mesmo diante da morte.

• Ore para que o testemunho dos mártires norte-coreanos possa encorajar outros cristãos do país e do mundo a se manterem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *