ESQUECEU SEUS DADOS?

O Segredo de David Wilkerson

por / quarta-feira, 27 julho 2011 / Publicado em2 Vidas, 2 Mortes, 2 Destinos, Matéria de Capa

A Redação

Extraído e adaptado de uma mensagem no YouTube com título “Última mensagem de David Wilkerson”

Frequentemente, um jovem pastor me aborda e pede que eu lhe conte o segredo de como Deus me usa. Quero falar com vocês hoje exatamente sobre isso. Não vou pregar um sermão, nem falar sobre igreja ou ministério; quero falar sobre o que acontece quando meu coração é profundamente tocado por Deus.

Eu estava pastoreando numa cidade da Pensilvânia que tinha mais ou menos mil habitantes. A igreja tinha umas cem pessoas, eram pessoas boas, fazendeiros e mineiros. Eu as amava e fui pastor delas durante cinco anos.

Entretanto, algo me inquietava, cada vez mais. Éramos uma igreja pentecostal, mas tínhamos sempre as mesmas pessoas e os mesmos cultos, com cânticos, testemunhos, sermão e apelo. Porém, nunca víamos ninguém aceitar o apelo e vir à frente. Cheguei a falar que, se a experiência pentecostal era só isso, eu não a queria mais.

Comecei a buscar a face de Deus. Todas as vezes que você dispuser seu coração a buscar a Deus, o inimigo arranjará uma conspiração de interrupções e obstáculos para impedi-lo, a fim de que não fique no recinto de oração. Isso aconteceu comigo.

É por isso que você precisa achar um lugar de encontro, reservado e especial, para estar sozinho com Deus. Se você for fiel para estar ali, o lugar logo se tornará sagrado, santificado pela presença divina. No meu caso, era uma colina onde havia uma mata. Eu chegava ali e dizia: “Senhor, vou fixar meu coração, vou dispô-lo a buscar-te. Não estou satisfeito, preciso encontrar-me contigo. Vou ler a tua palavra, não para achar um sermão; quero encontrar teu coração”.

Já fiquei durante semanas nesse lugar de isolamento. Não atendia a ninguém. Eu sabia que tinha de colocar tudo de lado, toda ocupação e distração. Eu queria algo a mais, muito além daquilo que estava experimentando. Queria um verdadeiro Pentecostes. Não queria apenas que as pessoas falassem em línguas estranhas, que dessem seus testemunhos e falassem sobre suas experiências, ainda que tudo isso fosse muito bom. No dia de Pentecostes, milhares de pessoas foram salvas, houve fruto e presença do Senhor. Mas nada disso estava acontecendo comigo. Minhas pregações eram palavras vazias e secas. Meu coração ansiava por algo muito maior.

Eu dizia: “Deus, eu quero saber por que estás abalando meu coração. O que está acontecendo? Sinto-me quebrantado, choro na tua presença, tua palavra está se tornando viva para mim. O que estás querendo me dizer?”

Tenho percebido que, cada vez que Deus quer fazer algo novo na minha vida, há esse mesmo mover, esse toque divino no coração me incomodando, abalando-me. O Espírito Santo entra no meu ninho e começa a cutucar, trazendo insatisfação divina, um profundo anseio por algo mais. Não é uma ambição egoísta, algo que eu desejaria naturalmente, porque já tinha uma vida bem cheia.

Nessas horas, precisamos buscar ao Senhor de forma diferente. Não apenas as orações regulares, mas uma entrega especial em que reorganizamos nossa agenda e mudamos as atividades de tal forma que haja espaço para esperar em Deus.

Um amigo meu, que era um verdadeiro profeta de Deus, um Elias do nosso tempo, Leonard Ravenhill, disse-me certa vez: “David, vou dizer a você qual é o verdadeiro problema da igreja de Jesus Cristo: os pregadores não oram! Por onde ando, tenho falado sobre esse assunto, e líderes e pastores vêm à frente confessando que não estão orando, que não acreditam mais no poder da oração, porque não veem resultados imediatos”.

Se você achar um lugar que tem vida, onde as pessoas estão tendo verdadeiros encontros com Deus, pode ter certeza de que pelo menos uma pessoa ali tem se dedicado à oração, tem colocado como objetivo principal prostrar-se diante de Deus e buscar sua face.

A Bíblia mostra, no livro de Atos, como Paulo foi para a cidade de Antioquia e juntou-se a outros irmãos para ministrar ao Senhor. Foi assim que ele foi enviado por Deus. Não sabemos por quanto tempo ficaram ali, adorando e ministrando ao Senhor. Estavam dedicando tempo precioso para servi-lo, jejuando, esperando diante dele, jejuando outra vez. Depois impuseram as mãos, e o Espírito Santo enviou Barnabé e Paulo.

Creio que haja pessoas aqui que estão sendo tocadas, profundamente abaladas por Deus. Você não pode simplesmente sair daqui, voltar para o seu lugar de origem e acomodar-se. Não pode dizer que é seu destino viver assim, que não tem escolha, que sua vida terá de continuar do mesmo jeito. Eu estremeço só de pensar o que teria acontecido naquela época [1958] se eu não tivesse determinado no coração buscar ao Senhor. Porque foi assim que recebi a direção de ir para Nova York.

Creio que todo ministério genuíno seja resultado de intimidade com Deus. O Espírito Santo está sempre se movendo, procurando abalar corações e mudar nosso interior. Ele pode usar pessoas sem instrução, que nunca conheceram o fluir do Espírito. Ele pode realizar, por seu intermédio, algo infinitamente além de qualquer coisa que já tenha imaginado ou sonhado.

Estou ouvindo o Espírito Santo insistir comigo, como um pai fala com o filho: precisamos voltar a buscar a face de Deus. É urgente. Vejo pastores, servos de Deus, jovens com toda a tecnologia moderna, entretidos nos celulares e notebooks, twitando, digitando, mandando mensagens o tempo todo. Estão gastando mais tempo com isso do que na presença de Deus. Essas coisas estão tirando-os do lugar de oração, de fixar sua mente em coisas eternas.

Você pode dizer que já cumpriu seu horário de oração e de leitura bíblica para o dia. Mas talvez seja necessário fazer um jejum de tecnologia. Você está com a mente tão ocupada, carregada com centenas de mensagens para responder, de informações para acompanhar, de coisas para atualizar, que não tem espaço para ouvir de Deus.

Você quer saber qual é o segredo da Times Square Church? É oração e jejum, três dias de jejum três ou quatro vezes por ano.

É preciso traçar um círculo pequeno e buscar a Deus dentro desse limite. Jesus traçou um círculo pequeno, limitando-se apenas àquilo que o Pai lhe enviara para fazer. Alguém foi a ele, certa vez, pedindo ajuda numa contenda familiar sobre herança. Jesus disse que não fazia parte do seu chamado.

Muitos de vocês têm um círculo de atividades e interesses tão grande que não conseguem achar tempo para orar. Pode ser necessário diminuir o tamanho do círculo e começar a dizer “não” para as pessoas e suas exigências.

Ao longo da minha vida, tenho limitado o tamanho do meu círculo. Aprendi a ficar dentro dele. Aprendi a dizer “não” para tudo o que possa roubar meu tempo com o Senhor.

Estou sentindo uma inquietação, um chamado urgente, porque algo virá muito em breve. Tudo o que puder ser abalado será abalado, exatamente como o Senhor prometeu. Tudo o que tenho visto há mais ou menos 30 anos está próximo, às portas. Estamos perto de ouvir as últimas advertências do Senhor. Prepare-se para se encontrar com o seu Deus!

Senhor, peço que teu Espírito tome conta de nós neste momento. Falei com muita fraqueza, mas sei que o Senhor me enviou para este lugar. Peço que tome essas palavras fracas, às vezes um tanto desconexas, e chame as pessoas para ti mesmo. Eu não posso levar ninguém a orar.

O Senhor conhece cada um e as batalhas que estão enfrentando. Não existe uma pessoa que não tenha desânimo em alguma área de sua vida, em que aparentemente o Senhor não tem agido ou respondido às orações. Senhor, não permitas que “tomemos posse pela fé”, mas nos leva a prostrar-nos diante de ti. Dá-nos um coração contrito, ajuda-nos a nunca ficar tão ocupados que nos afastemos de tua presença.

Tu estás nos chamando ao lugar secreto de oração, para realmente buscarmos a tua face. Estás chamando alguns para ficarem a noite toda, para voltarem a jejuar, a não te dar descanso, a ministrar a ti, ó Deus.

Que ninguém escape da flecha de convicção do Espírito. Que essa flecha abra nosso coração até que sangremos como o Senhor sangrou em favor dos perdidos. Não podemos buscar a solução em outros ou em algum método para fazer tua obra. A responsabilidade está sobre nós mesmos. Vem sobre mim agora, vem sobre as pessoas aqui presentes. Manifesta-te, convence-nos com todo o teu amor e compaixão.

Eu ouço teu chamado, Senhor, para todos que se chamam pelo teu nome. Traz um avivamento de oração e de busca diligente da tua face. É muito simples, como sempre foi. É uma questão de permanecer na tua palavra, alimentando o coração até que ela se torne o sangue que corre em nossas veias. Faze isso em nome de Jesus!

Recomendamos, se possível, que o leitor assista à mensagem acima na íntegra: www.youtube.com/watch?v=WKzNOh63ORo (ou fazendo busca pelo Google: “Última mensagem de David Wilkerson”).

—————————————————————————————————————————————————————-

Momentos Especiais do Culto Memorial

Foi realizado, no dia 14 de maio, na Times Square Church, um culto memorial para David Wilkerson. Foi transmitido ao vivo, pela Internet, e, durante algum tempo, deixaram o vídeo no site da World Challenge (www.worldchallenge.org). Atualmente, só tem o áudio no site www.tscnyc.org/.

A seguir, alguns destaques do culto:

1.     “Acho que meu pai não teria se dado bem como aposentado. Ele não era homem de ficar numa cadeira de balanço, contando histórias do passado. Creio que Jesus, sabendo disso, teve misericórdia e chamou-o antes.” (Gary Wilkerson, filho)

2.    “Deus está completamente no controle. Há algo, no mais profundo do meu ser, que diz: ‘Venha o que vier, estou nas mãos de Deus’. O diabo não pode matar você, não pode me matar, sem a permissão de Deus. E, se Deus o permite, então é glória instantânea, glória instantânea! Imagine se você estiver indo para o trabalho e, ao atravessar uma rua de Nova York, for atingido por um carro e morrer. Num instante, você está na calçada; no outro, está na glória!” (clipe de uma mensagem de David Wilkerson)

3.    “Senhor, em ti me refugio” (Sl 143.9). No sentido original, é: “Senhor, eu corro para me esconder em ti”. Pense sobre isso. Nossa fé não pode basear-se em emoção. Não pode basear-se nos testemunhos de outros que foram libertos. Não pode basear-se em fórmulas ou clichês. Não pode ser uma questão de gritar com força. Precisamos ter um alicerce sólido para a nossa fé. E esse alicerce consiste nas declarações de Deus sobre quem ele é.

Começa exatamente aqui: “Senhor, ouve a minha oração… Responde-me conforme tua fidelidade e justiça” (Sl 143.1).

Deus, esta é a base em que venho a ti. Não está naquilo que ouvi no passado de outras pessoas, mas naquilo que disseste sobre ti mesmo. Tu disseste que és fiel, que és justo, que és santo, que não podes mentir.
Não estou chegando a ti por nenhum mérito ou justiça alguma da minha parte. Senhor Deus, tenho levantado minhas mãos a ti, tenho confiado em ti, tenho me agarrado às tuas promessas.
De agora em diante, vou esconder-me em ti, vou cobrir-me contigo mesmo. Vou me desligar de toda a confiança na minha carne, ou nas outras pessoas, ou em quem quer que seja. Vou lançar-me diante da tua misericórdia, da tua graça, do teu poder, da tua glória!
Estou me escondendo inteiramente em ti, em ti, ó Cristo!

(Trecho de uma mensagem por David Wilkerson exibido no início do culto; esse trecho ainda pode ser ouvido, em inglês, no site www.ellerslie.com/Wilkerson_Tribute.html – “I Will Veil Myself in You”. O impacto é bem maior quando se ouve o áudio por causa da unção e do sentimento que ele transmite.)

3 Responses to “O Segredo de David Wilkerson”

  1. Arnaldo Rodrigues dos Santos diz: Responder

    Concordo plenamente, não estou orando como devia, não estou desejando mais de Deus como devia, não estou muitas e muitas vezes fazendo a sua vontade e sim a minha.
    Senhor, ajuda-me a ser santo e viver em santidade.
    Meu abraço a todos voces e que o Deus eterno os guarde em sua luz.
    Arnaldo

  2. David Wilkerson e Leonard Ravenhill influenciam até hoje a minha vida. Suas mensagens foram e continuam sendo impactantes e desafiadoras, pois nos convocam à uma reflexão, a um confronto sobre a realidade com que temos vivido nossa cristandade. Eles nos levam a percebermos, de fato, que não somos tão íntimos do Pai, que mal-mal conhecemos a Deus em intimidade. Fica claro que muitos de nós, ao ouvi-los ou lê-los, só conhecemos a Deus de ouvir (como Jó disse certa vez). Porém, o mais impactante da vida desses homens, desses heróis da fé, é que eles nos mostram que é possível cada um de nós declararmos como Jó: “mas agora os meus olhos te vêem”.
    Que o nosso Deus nos ajude e o Espírito Santo nos auxilie nessa busca incansável pela presença gloriosa de nosso Senhor; que sejamos determinados em buscar esse “lugar secreto” de oração, onde possamos nos despojar de tudo mais com o objetivo único de ver a face de Deus, de permanecer a sós diante dEle e, somente depois de sermos totalmente quebrantados, nos levantarmos em temor e, em Sua doce permissão, nos apresentarmos diante dos homens. Sim, somente depois de estarmos com Deus, nos apresentarmos diante dos homens.
    Que o Eterno nos ajude a alcançarmos o mesmo padrão de vida desses homens, imitando-os conforme determinado pelo Apóstolo Paulo: “sede meus imitadores assim como eu sou de Cristo”. Pr Moisés Martins – Missão Pentecostal Aliança Com Deus – Contagem/MG (www.mipacd.blogspot.com.br)

Deixe uma resposta

Impacto Publicações

Tel: (19) 3462.9893
[email protected]

Rua Tamoio, 226 - Vila Santa Catarina
Americana/SP | CEP: 13466-250

Abra no Google Maps
TOPO